OFERTA FORMATIVA

Ref. 139M2/24 Cancelada

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116864/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 13-05-2024

Fim: 28-06-2024

Regime: b-learning

Local: Agrup. Escolas Agualva-Mira Sintra - Secundária Matias Aires

Formador

Esmeralda Maria Arnelas do Nascimento Barra

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

- Documentos de enquadramento das políticas educativas. - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htmComissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=ENLucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA EditoraLicht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdfMinistério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME



Ref. 138N2/24 Cancelada

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116862/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 18-05-2024

Fim: 13-07-2024

Regime: b-learning

Local: Agrup. Escolas Agualva-Mira Sintra - Secundária Matias Aires

Formador

Adriano Ricardo Rodrigues Ferreira Marques

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as competências digitais dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 3) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Pretende-se desenvolver com os docentes de nível 3 (C1/C2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e de processos que lhes permita potenciar as suas competências digitais na promoção de estratégias e ações inovadoras na comunidade educativa. São objetivos específicos: - formular estratégias pedagógicas inovadoras e promotoras das CD dos docentes e alunos; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - promover o desenvolvimento de ações que contribuam para os Plano de Ação para o Desenvolvimento Digital das suas escolas; - promover e estimular a reflexão, a partilha e a utilização crítica das tecnologias digitais em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1 e 2. - Exploração de documentos de enquadramento das políticas educativas. - Discussão, renovação e inovação na prática profissional. - Reflexão em torno de conceitos relacionados com escolas, professores e alunos digitalmente competentes. - Utilização das tecnologias digitais na colaboração e inovação pedagógica ao serviço da comunidade educativa. - Estratégias e metodologias relacionadas com o desenvolvimento curricular através de ambientes e ferramentas digitais. - Estratégias digitais de caráter científico-pedagógico promotoras do desenvolvimento profissional dos docentes. - Planeamento de atividades didático-pedagógicas promotoras do desenvolvimento da competência digital dos alunos. - Conceção de Planos de Ação para o Desenvolvimento Digital: conceitos, metodologias de desenvolvimento, implementação, monitorização, avaliação.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htmComissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=ENEU Science Hub (2018). Self-reflection tool for digitally capable schools (SELFIE). Disponível em: https://ec.europa.eu/jrc/en/digcomporg/selfie-toolLucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora.Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf


Observações

Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial. Ação prioritária para os docentes pertencentes ao Centro de Formação Novafoco


Ref. 16617/24 Inscrições Fechadas

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-118262/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 22-06-2024

Fim: 09-07-2024

Regime: Presencial

Local: Agrupamento de Escolas Miguel Torga - Sec. Miguel Torga

Formador

Maria Manuela Oliveira Marques Bandeiras

Destinatários

Professores dos Grupos de Recrutamento 200, 210, 220, 300, 400 e 410

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos de Recrutamento 200, 210, 220, 300, 400 e 410. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos de Recrutamento 200, 210, 220, 300, 400 e 410.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Escolas Novafoco

Enquadramento

A comunicação entre docentes é uma das condições de sucesso do desempenho escolar. Esta proposta de Ação é uma oportunidade para o diálogo e partilha interdisciplinar que, no caso presente, conjuga conteúdos e metas curriculares de três áreas do saber. Por outro lado, importa combater a excessiva especialização das disciplinas cujos objetivos só adquirem sentido para o discente quando compreendidos no quadro geral da sua formação académica, ou seja, numa integração de saberes. As disciplinas de Filosofia, Português e História conjugam conteúdos e, sobretudo, objetivos afins, nomeadamente, a identificação e aplicação de conceitos; a interpretação e apreciação crítica de textos, interação discursiva, argumentação e debate de ideias, e a exposição argumentativa de temas. • Filosofia 10º e 11º anos: - Valores e cultura; - Filosofia, retórica e democracia; - Persuasão e manipulação ou os dois usos da retórica; - Pensamento e memória - responsabilidade pelo futuro. • Português 3º ciclo e Secundário: - Intencionalidade comunicativa; - Manifestação de ideias e pontos de vista; - Argumentação; - Valores culturais e ética; - Interpretação de texto. História 3º ciclo e Secundário: - O modelo de democracia ateniense do século V a.C.; - A importância assumida na cultura grega por formas literárias como a epopeia (poemas homéricos) e o teatro (tragédia e comédia); - A autonomia e o grau de sofisticação alcançado no mundo grego pela filosofia e pelas ciências

Objetivos

• Motivar os docentes para a interdisciplinaridade; • Partilhar saberes e experiências didático-pedagógicas entre docentes; • Construir recursos didático-pedagógicos e estratégias de trabalho em sala de aula; • Conceber estratégias de trabalho colaborativo e de articulação curricular; • Aprofundar/atualizar conhecimentos.

Conteúdos

1. Arquitetura do pensamento: a criação de conceitos e a construção do discurso. 9 h • Os diferentes tipos de discurso: informativo, descritivo, explicativo, argumentativo, narrativo, poético… • Linguagem e mundivisão: o universo cultural da língua e do discurso; • Conceitos e referências axiológicas; a intencionalidade discursiva. - Seleção e análise de textos sob o ponto de vista ideológico. 2. A Retórica e o jogo social das imagens. - 8h • O uso da linguagem na criação de estereótipos e modelos sociais; • Palavra e propaganda: persuasão e manipulação; • A comunicação e a (des)organização das paixões. - Análise de casos (históricos ou atuais). 3. A função da palavra no desenvolvimento de valores civilizacionais. 8h • A função da narrativa na exaltação de valores; • O desenvolvimento da retórica na polis grega: a sua importância na educação do jovem ateniense e no desenvolvimento da democracia; • O exercício dialógico na construção do conhecimento: o exemplo grego; • A importância do discurso argumentativo no exercício de uma cidadania ativa. - Seleção e análise de textos.

Metodologias

As sessões serão de cariz teórico-prático, pelo que integrará abordagens de carácter teórico, atividades de pesquisa e exploração de textos, construção de planificações e conceção de recursos a utilizar em sala de aula

Avaliação

A avaliação incidirá sobre tarefas realizadas durante a formação e um Relatório final individual da Ação de formação, tendo ainda em conta a participação durante as sessões presenciais. A avaliação dos formandos será efetuada de forma quantitativa na escala de 1 a 10, nos seguintes termos: Excelente – de 9 a 10 valores; Muito Bom – de 8 a 8,9 valores; Bom – de 6,5 a 7,9 valores; Regular – de 5 a 6,4 valores; Insuficiente – de 1 a 4,9 valores.

Bibliografia

ARENDT, H (2011). A Vida do Espírito, Vol I-Pensar. Instituto Piaget. Lisboa.BENVENISTE, E. (1995). Problemas de linguística geral, vol. I. Pontes. Campinas.CHARAUDEAU, P. (1983). Langage et Discours. Hachette, Paris.MOLES, A. (1978). Sociodinâmica de la Cultura. Paidos. B. Aires.PERELMAN, C. e OLBRECHTS-TYTECA, L. (1983). Traité de l’argumentation, La nouvelle rhétorique. 4a ed..


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 22-06-2024 (Sábado) 10:00 - 12:30 2:30 Presencial
2 22-06-2024 (Sábado) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial
3 02-07-2024 (Terça-feira) 09:00 - 13:00 4:00 Presencial
4 04-07-2024 (Quinta-feira) 09:00 - 13:00 4:00 Presencial
5 06-07-2024 (Sábado) 10:00 - 12:30 2:30 Presencial
6 06-07-2024 (Sábado) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial
7 09-07-2024 (Terça-feira) 10:00 - 13:00 3:00 Presencial
8 09-07-2024 (Terça-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial

Ref. 178ACD 10/24 Inscrições abertas até 20-06-2024 INSCREVER-ME

Registo de acreditação: ACD 19/24

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 24-06-2024

Fim: 24-06-2024

Regime: Presencial

Local: Auditório da Faculdade de Medicina da Universidade Católica

Formador

Helena Maria Gomes de Freitas

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Escolas Novafoco

Enquadramento

O programa Erasmus+ tem desempenhado um papel importante no Agrupamento de Escolas Aqua Alba em Agualva-Sintra e no próprio Centro de Formação de Escolas Novafoco. Possuímos uma acreditação no Ensino Escolar 2022-2027 e estamos envolvidos em projetos Erasmus+ de Ensino Escolar e Ensino Profissional. Estão estabelecidas, e em funcionamento, parcerias estratégicas no domínio da educação escolar, parcerias para a cooperação de inovação e troca de boas práticas e VET (Vocational Education and Training). Para o Agrupamento de Escolas Aqua Alba, o Erasmus+ tem sido uma fonte inestimável de crescimento e enriquecimento. A participação em projetos Erasmus+ proporciona aos professores oportunidades de desenvolvimento profissional e de observação de práticas inovadoras noutras escolas europeias, estimula a colaboração entre professores e pessoal não docente, criando um ambiente de trabalho mais cooperativo e inovador e dinamiza estratégias de gestão. A mobilidade estudantil permite que os alunos vivenciem diferentes culturas, idiomas e tradições, promovendo a sua compreensão intercultural e a tolerância. A interação com alunos de outros países expande a sua visão do mundo prepara-os para se tornarem cidadãos globais. A participação em projetos Erasmus+, também, impacta positivamente em outros Agrupamentos de Escolas do Concelho de Sintra, envolvidos em diferentes tipos de projetos Erasmus+ e que participam ativamente nas sessões de disseminação através do Centro de Formação de Escolas Novafoco. O intercâmbio de boas práticas e conhecimentos entre as escolas promove uma melhoria geral na qualidade da educação oferecida em toda a região. Estas Jornadas, as primeiras Jornadas Erasmus+ do Agrupamento de Escolas Aqua Alba, têm como objetivo, a patilha das nossas experiências e descobertas a toda a comunidade educativa, parceiros e demais interessados.

Objetivos

1 – Apresentar uma visão geral do programa Erasmus+, incluindo objetivos, benefícios e oportunidades. 2 - Aumentar o conhecimento sobre o Projeto Erasmus+, estimular a participação e compartilhar experiências. 3 - Explicar os processos de candidatura, os tipos de mobilidade e os financiamentos disponíveis. 4 – Apresentar alguns Informações das parcerias que têm sido construídas ao longo deste ano letivo incluindo alguns testemunhos de participantes europeus com quem trabalhámos para ilustrar o impacto positivo do programa. 5 – Disseminar através de apresentações organizadas por tipologia e objetivos, as atividades desenvolvidas em grandes áreas temáticas de informação, que vão ao encontro das grandes metas orientadoras dos projetos desenvolvidos no processo de internacionalização do agrupamento: - Inclusão e Interculturalidade - Educação Especial - Ensino das Ciências - Sustentabilidade - Educação Digital e Digitalização do Agrupamento - Trabalho Colaborativo - Ensino Outdoor - Metodologias ativas - Prevenção do Burnout

Conteúdos

Os conteúdos desenvolvidos estão relacionados com os objetivos de cada um dos tipos de atividades desenvolvido: Jobshadowing (Ensino Escolar e Vet) Mobilidade de grupo de alunos (Ensino Escolar) Mobilidade Individual de aprendentes (Ensino Vet) Cursos Estruturados de staff (Ensino Escolar e Vet)

Metodologias

A ação apresenta um programa definido com base em curtas apresentações encadeadas de todos os participantes. Utilizar-se-á uma metodologia ativa que seja dinâmica, interativa e eficaz. Através das apresentações dos vários participantes e do seu testemunho pretende-se incentivar a colaboração de mais professores no agrupamento e desafiar os agrupamentos que ainda não têm candidaturas Erasmus+ a entrar num processo de internacionalização. Será efetuada uma avaliação final da ação desenvolvida e uma análise do feedback dos participantes relativamente à eficácia e desenvolvimento deste tipo de ações para futuros eventos. Serão disponibilizados os materiais utilizados, bem como a disponibilidade para apoiar futuros aderentes ao Programa Erasmus+.

Modelo

Questionário Final


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 24-06-2024 (Segunda-feira) 09:00 - 12:00 3:00 Presencial
2 24-06-2024 (Segunda-feira) 14:00 - 17:00 3:00 Presencial

INSCREVER-ME

Ref. 1566/24 Inscrições Fechadas

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116933/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 25-06-2024

Fim: 11-07-2024

Regime: Presencial

Local: Agrupamento de Escolas Massamá - Sec. Stuart Carvalhais

Formador

José Manuel Pais Venturinha Correia

Destinatários

Professores dos grupos de recrutamento 230, 510 e 520

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos grupos de recrutamento 230, 510 e 520. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos grupos de recrutamento 230, 510 e 520.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Escolas Novafoco

Enquadramento

As necessidades de modernização e atualização da prática pedagógica não se compadecem com as rotinas instaladas nos modelos tradicionais de ensino-aprendizagem, sendo cada vez mais evidente que a Escola não pode apenas esperar servir-se das competências tecnológicas, mas tem de promover o seu desenvolvimento através de atividades e projetos relevantes do ponto de vista curricular e social. Para isso, torna-se necessário pensar na forma de acompanhar esta evolução tecnológica e permitir o acesso dos professores a novas ferramentas de capacitação digital e tecnológica. O ensino das Ciências Experimentais (CN/Biologia, Física e Química) é um dos domínios em que a utilização das TIC pode ser rentabilizada e contribuir para um ensino mais dinâmico que se afasta da atividade meramente expositivas e que rejeita a simples memorização de conhecimentos para criar um ambiente de aprendizagem dinâmico e assente numa construção significativa de ideias e conceitos científicos essenciais. O recurso à plataforma Arduino, pela sua enorme disponibilidade, facilidade de utilização e custos bastante reduzidos tem vindo a ser crescentemente utilizada sobretudo em países de recursos económicos limitados e que enfrentam dificuldades de dotação das escolas básicas de 1º, 2º e 3º ciclos com os equipamentos científicos indispensáveis à realização de trabalho laboratorial na área das ciências experimentais.

Objetivos

A ação agora proposta pretende habilitar os professores dos grupos 230, 510 e 520 para a utilização do Arduino no trabalho experimental das aulas das ciências experimentais e surge da necessidade de motivação dos alunos e de desenvolvimento do carácter ativo das aprendizagens em Ciência, numa perspetiva construtivista que promove valorizar um processo de construção recursivo, interpretativo, realizado por agentes ativos e que interagem com o mundo físico à sua volta.

Conteúdos

A ação aborda os seguintes conteúdos teórico-práticos : 1º - Introdução teórica ao funcionamento da plataforma Arduino (8 horas) - abordagem de aspetos histórico relacionados com a sua introdução em 2005 e posterior desenvolvimento; - descrição da arquitetura dos seus componentes eletrónicos e reconhecimento das capacidades de ligação analógico- digital através da manipulação das placas UNO R3 e MEGA; - introdução ao software IDE e ao desenho de “sketch” para Arduino; - breve análise das potencialidades do Arduino no ensino das ciências experimentais. 2º - Aplicação prática do Arduino e introdução aos sensores dedicados (4 horas): - utilização prática da plataforma Arduino (ensaio inicial : programação para ligar e desligar um LED); - descrição do funcionamento dos sensores de pH, temperatura DHT22, humidade do solo, CO2 e O2; - adaptação das bibliotecas dos sensores para utilização em ambiente IDE; - elaboração e compilação dos sketch em ambiente IDE. 3º - Atividades práticas : experimentação com o Arduíno (13 horas): - formação dos grupos de trabalho de acordo com as área específica de docência (CN/BIO/FQ); - preparação do material e das montagens experimentais; - utilização dos sensores de pH, temperatura DHT22, humidade do solo, CO2 ou O2 ; - exportação em tempo real dos dados sensoriais para bases de dados em Excel.

Metodologias

A ação desenrola-se nos três momentos apresentados e adota uma metodologia em que a) é ministrada uma formação teórica básica inicial sobre o hardware do Arduino e a utilização do sofwtare IDE e b) se confere ênfase particular à segunda fase, em que se privilegia uma abordagem direta hands-on das plataformas Arduino e dos sensores dedicados. A ação foi concebida para ser frequentadas por 16-20 formandos que formarão quatro grupos de trabalho com 4-5 elementos, preferencialmente agrupados por grupo disciplinar.

Avaliação

A avaliação dos formandos incidirá em três vertentes : - participação; - observação dos protocolos experimentais e realização das atividades de grupo propostas pelo formador; - conteúdo e alcance da reflexão final individual sobre a relevância da ação para a futura prática pedagógica na área de interesse curricular do formando. Escala de avaliação 1 a 10.

Bibliografia

- Nascimento, João Fernando Teixeira Flores (2016); Utilização da plataforma Arduino na realização de trabalho experimental em aulas de Ciências Naturais; Mestrado em Didática das Ciências da Natureza e Matemática, Instituo Politécnico do Porto.- Ruivo, J., & Carrega, J. (2013). A Escola e as TIC na Sociedade do Conhecimento. Castelo Branco: RVJ Editores.- Martins, I. P., Veiga, M. L., Teixeira, F., Vieira, C. T., Vieira, R. M., Rodrigues, A.V., & Couceiro, F. (2007). Educação em Ciências e Ensino Experimental - Formação de Professores (2ª Edição ed.). Ministério da Educação -DGIEC.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 25-06-2024 (Terça-feira) 16:30 - 20:30 4:00 Presencial
2 27-06-2024 (Quinta-feira) 16:30 - 20:30 4:00 Presencial
3 02-07-2024 (Terça-feira) 16:30 - 20:30 4:00 Presencial
4 04-07-2024 (Quinta-feira) 16:30 - 20:30 4:00 Presencial
5 09-07-2024 (Terça-feira) 16:30 - 20:30 4:00 Presencial
6 11-07-2024 (Quinta-feira) 16:00 - 21:00 5:00 Presencial

Ref. 17610/24 Inscrições abertas até 30-06-2024 INSCREVER-ME

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-123351/24

Modalidade: Curso de formação - Colóquios; congressos; simpósios; jornadas ou iniciativas congéneres

Duração: 18.0 horas

Início: 09-07-2024

Fim: 11-07-2024

Regime: Presencial

Local: Centro Cultural Olga Cadaval, Sintra

Formador

Maria Joana de Santos Inácio Vicente

Mónica Pinheiro Godinho Silva

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Escolas Novafoco

Enquadramento

i) A diversidade é um facto e a discussão em torno das práticas educativas promotoras de interculturalidade é tão necessária quanto emergente na sociedade global em que vivemos. Como consta no documento publicado pelo Ministério da Educação/DGE em janeiro de 2024 sob o tema “Inclusão de Alunos Migrantes em Meio Educativo”: No contexto atual de crescente diversidade, importa que as escolas consolidem, previamente e de forma intencional, respostas adequadas ao acolhimento e inclusão dos alunos migrantes. O bem-estar integral do aluno migrante potencia o trabalho a realizar pela escola, desde a socialização à promoção do sucesso na aprendizagem. (p.6). É nesse sentido que as Jornadas da Saúde e da Educação procuram promover o debate em torno da temática Somos Todos Mundo: Desafios da Escola Global! ii) Multiculturalidade, interculturalidade e pluralismo cultural: dos conceitos aos caminhos em torno da escola inclusiva. Como é que a escola e os seus atores protagonizam práticas de interculturalidade em torno dos pilares: Cultura, Currículo e Comunidade. Eis os termos de referência da REEI – Rede de Escolas para a Educação Intercultural, que corroboram os desafios da sociedade global e que convoca a Escola ao compromisso de respostas efetivas que sustentem o acolhimento e a aprendizagem de todos, com todos e para todos.

Objetivos

• Possibilitar aos diferentes agentes educativos – diretor, professores, alunos, pessoal não docente e agentes da comunidade local - a partilha e o cruzamento de testemunhos decorrentes das experiências vividas no âmbito da multiculturalidade e das práticas de interculturalidade promotoras de inclusão e do sucesso educativo. • Dar a conhecer projetos de relevância pedagógica em curso no agrupamento de escolas. • Esclarecer, debater e reflectir em torno de práticas interculturais no contexto educativo: do acolhimento ao currículo, da avaliação à aprendizagem plural. • Desafiar os professores, alunos e demais agentes educativos a pensarem conjuntamente os processos de ensino, no sentido da contínua melhoria da promoção da qualidade do sucesso educativo. • Contribuir para o bem-estar comum, numa lógica de reforço dos laços de cooperação, colaboração e inclusão, de todos os profissionais que trabalham no AEAMS. • Dar voz aos alunos, encarregados de educação e outras forças vivas da comunidade, com o propósito de enriquecer perspetivas e alargar horizontes de compreensão e resolução dos problemas.

Conteúdos

9 de Julho Escolas Promotoras de Saúde: Somos Todos Mundo – Desafios da Escola Global! 9h – 9h30 Check In 9h30 – 10h Apresentação e enquadramento do evento 10h – 11hIdentidade de Género – Nuno Colaço 11h – 11h30 Coffee Break 11h30 – 12h30Novas Tecnologias: dependência dos écrans – Nádia Barradas e Sofia Lemos (Médicas de Pedopsiquiatria na Unidade de Pedopsiquiatria de Segunda Infância do HDE) 12h30 – 14h Almoço 14h – 16h Somos Todos Mundo: Os Desafios da Escola Global – Eduardo Sá 16h – Momento Cultural 167h – Encerramento 10 de Julho Jornadas Pedagógicas: Somos Todos Mundo – Desafios da Escola Global! 9h – 9h30 Check In 9h30 – 10h Apresentação e enquadramento das Jornadas 10h-11h Somos Todos Mundo: Plano de Inovação do AEAMS – Luís Henriques 11h – 11h30 Coffee Break 11h30 – 12h30 Somos Todos Mundo: Os desafios do AEAMS • AtomUS – PLNM – Sónia Silva • Escolas 2030 – Anabela Carreira e Fátima Almeida • Kit de Acolhimento – Juliana Cardoso • PCE do PNA – Palavr’ARTE – Elda Tomé Moderação de elemento da CM Sintra: Susana Coelho 12h30 - 14h Almoço 14h – 16h Somos Todos Mundo: Desafios da Educação Relacional • Oradores convidados: Rui Marques do IPAV e Pedro Cunha da DGE Moderação de elemento da equipa da Educação Relacional do AEAMS 16h Momento Cultural 17h – Encerramento 11 de Julho Jornadas Pedagógicas: Somos Todos Mundo – Desafios da Escola Global! 9h – 9h30 Check In 9h30 – 10h Bingo Humano 10h – 10h30 Coffee Break 10h30 - 12h30 Somos Todos Mundo: Desafios da Escola Plural! • Oradores convidados: David Rodrigues (Ed. Especial), Mónica Mascarenhas (REEI - Fundação AgaKhan), Hélder Pais (DGE) Moderação: Adelino Calado 12h30 - 14h Almoço 14h – 17h Peddypaper Somos Todos Mundo – Parque da Liberdade em Sintra

Metodologias

Metodologias expositivas e ativas assentes na partilha de experiências e práticas. Reflexão sobre a atuação pedagógica no sentido da sua melhoria.

Avaliação

Avaliação dos formandos por meio de relatório/questionário individual, reflexivo com finalidade de incidir sobre: 1. Impacto da reflexão-ação em torno da temática veiculada pelas Jornadas nas práticas educativas e pedagógicas em contexto escolar. 2. Aferição de sugestões de estratégias e medidas a implementar no contexto educativo que fomente uma cultura de escola plural. Escala de avaliação:1 a 10 Assiduidade mínima: 2/3 do total de horas certificadas

Modelo

Avaliação dos formandos por meio de relatório/questionário individual, reflexivo com finalidade de incidir sobre: 1. Impacto da reflexão-ação em torno da temática veiculada pelas Jornadas nas práticas educativas e pedagógicas em contexto escolar. 2. Aferição de sugestões de estratégias e medidas a implementar no contexto educativo que fomente uma cultura de escola plural. Escala de avaliação:1 a 10 Assiduidade mínima: 2/3 do total de horas certificadas

Bibliografia

• Caixa de ferramentas Equidade e participação em contextos de educação:uma abordagem pedagógica baseada na cooperação - https://services4all.akfportugal.com/07.pdf• Crianças e jovens refugiados – medidas educativas - https://www.dge.mec.pt/criancas-e-jovens-refugiados-medidas-educativas• Inclusão de Alunos Migrantes e Meio Educativo - file:///D:/2023_2024/REEI_EI/inclusao_de_alunos_migrantes_em_meio_educativo_DGE.pdf• Kit Intercultural - https://www.acm.gov.pt/documents/10181/233158/Kit+Intercultural+Escolas_+link+inserido+final+I.pdf/6069a10c-ba7c-46eb-bb47-8a569205ab56• Manual Educar para o Pluralismo: um caminho - https://services4all.akfportugal.com/06.pdf


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 09-07-2024 (Terça-feira) 09:00 - 12:30 3:30 Presencial
2 09-07-2024 (Terça-feira) 14:00 - 16:30 2:30 Presencial
3 10-07-2024 (Quarta-feira) 09:00 - 12:30 3:30 Presencial
4 10-07-2024 (Quarta-feira) 14:00 - 16:30 2:30 Presencial
5 11-07-2024 (Quinta-feira) 09:00 - 12:30 3:30 Presencial
6 11-07-2024 (Quinta-feira) 14:00 - 16:30 2:30 Presencial

INSCREVER-ME

Ref. 177PND Inscrições abertas até 30-06-2024 INSCREVER-ME

Registo de acreditação: 123351/24

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 18.0 horas

Início: 09-07-2024

Fim: 11-07-2024

Regime: Presencial

Local: Centro Cultural Olga Cadaval, Sintra

Formador

Maria Joana de Santos Inácio Vicente

Destinatários

TSO - Técnico superior-outro; TSP - Técnico superior-psicólogo

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Escolas Novafoco

Enquadramento

i) A diversidade é um facto e a discussão em torno das práticas educativas promotoras de interculturalidade é tão necessária quanto emergente na sociedade global em que vivemos. Como consta no documento publicado pelo Ministério da Educação/DGE em janeiro de 2024 sob o tema “Inclusão de Alunos Migrantes em Meio Educativo”: No contexto atual de crescente diversidade, importa que as escolas consolidem, previamente e de forma intencional, respostas adequadas ao acolhimento e inclusão dos alunos migrantes. O bem-estar integral do aluno migrante potencia o trabalho a realizar pela escola, desde a socialização à promoção do sucesso na aprendizagem. (p.6). É nesse sentido que as Jornadas da Saúde e da Educação procuram promover o debate em torno da temática Somos Todos Mundo: Desafios da Escola Global! ii) Multiculturalidade, interculturalidade e pluralismo cultural: dos conceitos aos caminhos em torno da escola inclusiva. Como é que a escola e os seus atores protagonizam práticas de interculturalidade em torno dos pilares: Cultura, Currículo e Comunidade. Eis os termos de referência da REEI – Rede de Escolas para a Educação Intercultural, que corroboram os desafios da sociedade global e que convoca a Escola ao compromisso de respostas efetivas que sustentem o acolhimento e a aprendizagem de todos, com todos e para todos.

Objetivos

• Possibilitar aos diferentes agentes educativos – diretor, professores, alunos, pessoal não docente e agentes da comunidade local - a partilha e o cruzamento de testemunhos decorrentes das experiências vividas no âmbito da multiculturalidade e das práticas de interculturalidade promotoras de inclusão e do sucesso educativo. • Dar a conhecer projetos de relevância pedagógica em curso no agrupamento de escolas. • Esclarecer, debater e reflectir em torno de práticas interculturais no contexto educativo: do acolhimento ao currículo, da avaliação à aprendizagem plural. • Desafiar os professores, alunos e demais agentes educativos a pensarem conjuntamente os processos de ensino, no sentido da contínua melhoria da promoção da qualidade do sucesso educativo. • Contribuir para o bem-estar comum, numa lógica de reforço dos laços de cooperação, colaboração e inclusão, de todos os profissionais que trabalham no AEAMS. • Dar voz aos alunos, encarregados de educação e outras forças vivas da comunidade, com o propósito de enriquecer perspetivas e alargar horizontes de compreensão e resolução dos problemas.

Conteúdos

9 de Julho Escolas Promotoras de Saúde: Somos Todos Mundo – Desafios da Escola Global! 9h – 9h30 Check In 9h30 – 10h Apresentação e enquadramento do evento 10h – 11hIdentidade de Género – Nuno Colaço 11h – 11h30 Coffee Break 11h30 – 12h30Novas Tecnologias: dependência dos écrans – Nádia Barradas e Sofia Lemos (Médicas de Pedopsiquiatria na Unidade de Pedopsiquiatria de Segunda Infância do HDE) 12h30 – 14h Almoço 14h – 16h Somos Todos Mundo: Os Desafios da Escola Global – Eduardo Sá 16h – Momento Cultural 167h – Encerramento 10 de Julho Jornadas Pedagógicas: Somos Todos Mundo – Desafios da Escola Global! 9h – 9h30 Check In 9h30 – 10h Apresentação e enquadramento das Jornadas 10h-11h Somos Todos Mundo: Plano de Inovação do AEAMS – Luís Henriques 11h – 11h30 Coffee Break 11h30 – 12h30 Somos Todos Mundo: Os desafios do AEAMS • AtomUS – PLNM – Sónia Silva • Escolas 2030 – Anabela Carreira e Fátima Almeida • Kit de Acolhimento – Juliana Cardoso • PCE do PNA – Palavr’ARTE – Elda Tomé Moderação de elemento da CM Sintra: Susana Coelho 12h30 - 14h Almoço 14h – 16h Somos Todos Mundo: Desafios da Educação Relacional • Oradores convidados: Rui Marques do IPAV e Pedro Cunha da DGE Moderação de elemento da equipa da Educação Relacional do AEAMS 16h Momento Cultural 17h – Encerramento 11 de Julho Jornadas Pedagógicas: Somos Todos Mundo – Desafios da Escola Global! 9h – 9h30 Check In 9h30 – 10h Bingo Humano 10h – 10h30 Coffee Break 10h30 - 12h30 Somos Todos Mundo: Desafios da Escola Plural! • Oradores convidados: David Rodrigues (Ed. Especial), Mónica Mascarenhas (REEI - Fundação AgaKhan), Hélder Pais (DGE) Moderação: Adelino Calado 12h30 - 14h Almoço 14h – 17h Peddypaper Somos Todos Mundo – Parque da Liberdade em Sintra

Metodologias

Metodologias expositivas e ativas assentes na partilha de experiências e práticas. Reflexão sobre a atuação pedagógica no sentido da sua melhoria.

Avaliação

Questionário de Avaliação da Ação

Modelo

Assiduidade mínima: 2/3 do total de horas certificadas

Bibliografia

• Caixa de ferramentas Equidade e participação em contextos de educação:uma abordagem pedagógica baseada na cooperação - https://services4all.akfportugal.com/07.pdf• Crianças e jovens refugiados – medidas educativas - https://www.dge.mec.pt/criancas-e-jovens-refugiados-medidas-educativas• Inclusão de Alunos Migrantes e Meio Educativo - file:///D:/2023_2024/REEI_EI/inclusao_de_alunos_migrantes_em_meio_educativo_DGE.pdf• Kit Intercultural - https://www.acm.gov.pt/documents/10181/233158/Kit+Intercultural+Escolas_+link+inserido+final+I.pdf/6069a10c-ba7c-46eb-bb47-8a569205ab56• Manual Educar para o Pluralismo: um caminho - https://services4all.akfportugal.com/06.pdf


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 09-07-2024 (Terça-feira) 09:00 - 12:30 3:30 Presencial
2 09-07-2024 (Terça-feira) 14:00 - 16:30 2:30 Presencial
3 10-07-2024 (Quarta-feira) 09:00 - 12:30 3:30 Presencial
4 10-07-2024 (Quarta-feira) 14:00 - 16:30 2:30 Presencial
5 11-07-2024 (Quinta-feira) 09:00 - 12:30 3:30 Presencial
6 11-07-2024 (Quinta-feira) 14:00 - 16:30 2:30 Presencial

INSCREVER-ME

Ref. 16718/24 Adiada

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-123508/24

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 26.0 horas (13.0 horas presenciais + 13.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 30-10-2024

Fim: 12-12-2024

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária Ferreira Dias

Formador

Carlos Alberto de Sousa Gomes

Destinatários

Professores dos grupos 100 e 110

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos grupos 100 e 110. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos grupos 100 e 110.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Escolas Novafoco

Enquadramento

A expressão plástica tem uma especial importância na educação pré-escolar e no 1.º ciclo do ensino básico não apenas como promoção de valores estéticos e abordagens lúdicas mas, fundamentalmente com desenvolvimento de competências ao nível da comunicação e de compreensão do mundo. Em particular, no pré-escolar, a expressão plástica assume ainda particular relevância no desenvolvimento do controlo da motricidade fina, condição necessária para a aprendizagem da escrita. Esta ação procura responder às necessidades de atualização das competências dos docentes no âmbito da utilização de materiais ligados às expressões plástica, de forma a promover a concretização das Aprendizagens Essenciais no domínio da educação estética.

Objetivos

- Refletir sobre a importância e impacto das áreas das expressões no desenvolvimento de competências cognitivas e promoção de valores estéticos. - Promover a renovação das competências técnicas e artísticas de educadores e professores do 1.º CEB no âmbito das atividades de expressão plástica. - Obter conhecimentos teóricos e práticos suscetíveis de responderem a necessidades diversificadas de representações gráficas, plásticas, volumétrica e rigorosa. - Propiciar um maior conhecimento prático dos materiais, suportes das artes plásticas e das suas possibilidades. - Estimular e incentivar a criação artística de alunos e professores.

Conteúdos

Análise das orientações curriculares e análise de abordagens disciplinares de aprendizagens ativas na expressão plástica. – Desafios de aplicação em diferentes manifestações artísticas com diferentes abordagens, técnicas e materiais: Propriedades, características, e modos de utilização, de materiais (de escrita, desenho e pintura) mais tradicionais (carvão vegetal e mineral, giz, grafite e corantes), presentes nos lápis e aguarelas. – Exercícios de monotipia/simetria. Técnicas de impressão e raspagem. Exercícios de aplicação em papel, tecidos ou tela. Fantasia e inovação: potencialidades e modos de utilização de novos materiais. Manipulação deste material inovador e sua correta aplicação em cartão, madeira, azulejo, etc… – Proposta de trabalho em contexto de sala de aula “A árvore dos meus sonhos à maneira de Esher”

Avaliação

A avaliação dos formandos docentes nesta oficina de formação é contínua, participada por todos os intervenientes. Os critérios de avaliação a utilizar são: - a qualidade da participação e interesse no contexto dos objetivos a produzir; - a qualidade do trabalho final, (relatório , portefólio e apresentação).

Bibliografia

Silva, Isabel (coord.) Et al (2016), Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar, Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação (DGE), Editorial do Ministério da Educação e Ciência.Direção-Geral da Educação (2018). APRENDIZAGENS ESSENCIAIS | ARTICULAÇÃO COM O PERFIL DOS ALUNOS - 1.º CICLO DO ENSINO BÁSICO -EDUCAÇÃO ARTÍSTICA - ARTES VISUAIS. Consultado a 13/01/2019 em http://www.dge.mec.ptAAVV (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória (Despacho n.º 6478/2017 de 26 de julho), Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação (DGE), Editorial do Ministério da Educação e Ciência.Dorfles, Gillo (2001). As Oscilações do Gosto - Arte de hoje entre a tecnologia e o consumismo, Livros HorizonteMunari, Bruno (2007). Fantasia, Edições 70


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 30-10-2024 (Quarta-feira) 17:00 - 20:30 3:30 Presencial
2 07-11-2024 (Quinta-feira) 17:00 - 20:30 3:30 Presencial
3 13-11-2024 (Quarta-feira) 17:00 - 20:30 3:30 Presencial
4 21-11-2024 (Quinta-feira) 17:00 - 20:30 3:30 Presencial
5 28-11-2024 (Quinta-feira) 17:00 - 20:30 3:30 Presencial
6 05-12-2024 (Quinta-feira) 17:00 - 20:30 3:30 Presencial
7 12-12-2024 (Quinta-feira) 17:00 - 21:00 4:00 Presencial

Ref. 16110/24 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-123170/24

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 20-06-2024

Fim: 18-07-2024

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária Ferreira Dias

Formador

Célia Maria da Costa Baixa

Destinatários

Professores dos Grupos 220, 330

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 220, 330. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 220, 330.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

A inclusão da ação no plano de atividades do centro de formação justifica-se pela necessidade de oferta formativa na área cientifico-didática dos docentes de inglês. No caso desta ação em particular, o objetivo é o de fornecer aos professores de inglês uma base de trabalho a nível teórico, metodológico e prático para conceber recursos didáticos para trabalhar com os alunos uma cidadania intercultural transversalmente ao ensino das competências linguísticas de speaking, listening, reading e writing. Estando o posicionamento global da língua inglesa a entrar num paradigma de língua franca importa formar os alunos de inglês como falantes globais com capacidade para comunicar em contextos cultural e etnicamente diversos, tendo o próprio ensino da língua de se adaptar às circunstâncias mutáveis do mundo em que vivemos. Pretende-se que o ensino da língua possa ser entendido também como uma prática social através de tarefas que permitam aos alunos desenvolver criticamente o pensamento sobre noções como cultura, etnocentrismo, diferença ou estereótipo. Pretende-se que através desse curso os formandos contactem com uma diversidade de suportes (video, literatura, cinema, imprensa, cartoons, fotografia, música e arte) que permitem a conceção de recursos conducentes à aplicação de metodologias de consciencialização intercultural e de desenvolvimento da competência comunicativa intercultural

Objetivos

- Capacitar cientificamente os professores de inglês para a área da educação intercultural. - Fornecer o enquadramento teórico subjacente ao desenvolvimento da competência comunicativa intercultural (culture, globalization, difference, stereotype, intercultural speaker, intercultural citizenship,intercultural awareness, intercultural communicative competence) - Conhecer o enquadramento programático e de referência para o ensino do inglês no que diz respeito à competência intercultural (Programas, Metas Curriculares para o 3º ciclo, Aprendizagens Essenciais, Quadro Europeu Comum de Referência para o Ensino das Línguas) - Conhecer as metodologias para o ensino da competência comunicativa intercultural - Analisar e conceber recursos didáticos para aplicar as metodologias de desenvolvimento da competência comunicativa intercultural através das competências de receção (reading, listening) e de produção (writing, speaking).

Conteúdos

Módulo 1: Primeiro encontro; Enquadramento teórico e metodológico (5h) - Primeiro encontro – Socialização. Abordagem aos conteúdos/temas identificados na ação e ao processo de avaliação. - Conceitos teóricos relativos aos campos da cultura, da interculturalidade, da cidadania intercultural. - Dimensões éticas do ensino da competência intercultural. - A competência intercultural nos documentos de referência para o ensino do inglês (Programas, Metas Curriculares, Aprendizagens Essenciais, QECRL) Módulo 2: Abordagens metodológicas (4h) - Métodos de consciencialização intercultural (IA-intercultural awareness): comparativo, comportamental, experiencial, cognitivo, reflexivo, cooperativo. - Desenvolvimento da competência comunicativa intercultural (ICC-intercultural communicative competence) - Recomendações éticas e metodológicas subjacentes à criação de recursos didáticos para a formação de falantes/cidadãos interculturais. Módulo 3: Consciencializar para a cidadania intercultural através das competências de leitura, compreensão e produção oral. (8h) Metodologias a adoptar, contacto com diferentes recursos, criação de um recurso didático, discussão. Módulo 4: Consciencializar para a cidadania intercultural através da ampliação de competências de escrita e de aquisição/uso de vocabulário (8h) Metodologias a adoptar, contacto com diferentes recursos, criação de um recurso didático, discussão. - Elaboração do relatório final

Metodologias

O curso será ministrado através de uma metodologia teórico-pratica. Os módulos 1 e 2 são totalmente teóricos. Os módulos 3 e 4 consistem numa breve abordagem teórica em que se apresentam e discutem o âmbito, limites, vantagens dos recursos didáticos apresentados e a restante parte prática que assumirá várias formas desde a análise de recursos existentes em manuais adotados à conceção de novos recursos didáticos e à discussão da sua pertinência e da sua aplicabilidade. Para a parte teórica, disponibilizar-se-ão materiais de apresentação e reflexão em diferentes formatos para despoletar a discussão (textos teóricos, artigos de imprensa, vídeos de abordagem teórica). Na parte prática, haverá lugar a interação, através de momento de discussão e também de conceção e de apresentação de recursos.

Avaliação

- Participação nas atividades propostas (qualidade, frequência, cumprimento de prazos) - Relacionamento interpessoal e capacidade de partilha de conhecimentos científicos e profissionais. - Relatório final individual (exposição e pertinência de pontos de vista, qualidade de argumentação, correção) - Avaliação na escala de 1 a 10

Bibliografia

Bravo, C., Duarte, E. e Cravo A. (2015) Metas Curriculares de Inglês Ensino Básico 2º e 3º Ciclos, Lisboa: Cadernos de ApoioBaker, Will (2011) “Intercultural Awareness: Modelling an understanding of cultures in intercultural communication through English as a lingua franca”, Language and International Communication 11 (3), 197-214Campos, Ana Tristana Solano (2009) “Strategies to Raise Cultural Awareness and Create Multicultural Materials and Activities in the Language Classroom”, Revista de Lenguas Modernas, nº 11, 383-390Frank, Jerrold (2013) “Raising Cultural Awareness in the English Classroom” English Teaching Forum, Nr 4, 2013, 2-11Holmes, Prue and Fred Darvin eds (2016) The Cultural and Intercultural Dimensions of English as a Lingua Franca, Bristol and Ontario: Multilingual Matters


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 20-06-2024 (Quinta-feira) 18:45 - 21:30 2:45 Presencial
2 25-06-2024 (Terça-feira) 18:45 - 21:30 2:45 Presencial
3 27-06-2024 (Quinta-feira) 18:45 - 21:30 2:45 Presencial
4 02-07-2024 (Terça-feira) 18:45 - 21:30 2:45 Presencial
5 04-07-2024 (Quinta-feira) 18:45 - 21:30 2:45 Presencial
6 09-07-2024 (Terça-feira) 18:45 - 21:30 2:45 Presencial
7 11-07-2024 (Quinta-feira) 18:45 - 21:30 2:45 Presencial
8 16-07-2024 (Terça-feira) 18:45 - 21:30 2:45 Presencial
9 18-07-2024 (Quinta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Presencial

Ref. 137L/24 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116863/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 15-05-2024

Fim: 26-06-2024

Regime: b-learning

Local: Escola Secundária Ferreira Dias

Formador

Nuno Sérgio Infante de Passos Sousa

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores da Comissão Europeia (doravante DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 1) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se, assim, criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 1 (A1/A2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (B1/B2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes na utilização significativa de ambientes e ferramentas digitais e definição de estratégias diversificadas de integração destes em contexto educativo; - capacitar os docentes para a implementação de atividades promotoras da aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos.

Conteúdos

1. Documentos enquadradores das políticas educativas atuais associados ao Plano nacional de Transição Digital. 2. Envolvimento profissional: Exploração de opções digitais para colaboração e comunicação institucional e melhoria da prática profissional. 3. Recursos Digitais: Exploração, seleção e adequação de RED ao contexto de aprendizagem. Utilização de RED interativos. 4. Ensino e Aprendizagem: Exploração de estratégias de ensino e de aprendizagem digital. Integração significativa de RED na melhoria de atividades de ensino e aprendizagem. 5. Avaliação das aprendizagens: Exploração de estratégias de avaliação digital. Melhoria das abordagens de avaliação através de soluções digitais. 6. CD dos Alunos: Exploração de estratégias de promoção e uso pedagógico de tecnologias digitais. Utilização de ferramentas e estratégias para suporte ao desenho e implementação de atividades de promoção da CD dos alunos. 7. Planificação de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htmComissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=ENLucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora.Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdfMinistério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME


Observações

Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial. Ação prioritária para os docentes pertencentes ao Centro de Formação Novafoco

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 15-05-2024 (Quarta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Presencial
2 22-05-2024 (Quarta-feira) 18:45 - 22:15 3:30 Online síncrona
3 27-05-2024 (Segunda-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
4 04-06-2024 (Terça-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
5 06-06-2024 (Quinta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Presencial
6 17-06-2024 (Segunda-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
7 20-06-2024 (Quinta-feira) 18:45 - 22:15 3:30 Online síncrona
8 25-06-2024 (Terça-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Presencial

Ref. 1255B/24 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-119545/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 13-05-2024

Fim: 10-07-2024

Regime: e-learning

Local: Online

Formador

Ricardo Oliveira

Destinatários

Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico, Secundário e de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico, Secundário e de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Escolas Novafoco

Enquadramento

Avaliar não descura a exigência de conhecimentos ao nível das conceções pedagógicas, teorias de aprendizagem, técnicas e reflexões sobre o papel do professor, do aluno e dos recursos digitais. Atualmente, tem sido conferida à Escola a possibilidade de gerir o currículo dos ensinos básico e secundário, com autonomia e flexibilidade, de modo a alcançar as competências previstas no Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória. Com efeito, é essencial que a avaliação de competências requeira uma nova abordagem, na qual se devem integrar conhecimentos, capacidades e atitudes, contemplando transformações didáticas, desde o desenho curricular à transparência na avaliação, a qual deve ser visível e compreensível por todos os intervenientes.

Objetivos

• Analisar sobre os modos de avaliar atualmente na sala de aula e na escola. • Reconhecer a importância de avaliar para as aprendizagens. • Identificar as características inerentes às práticas de avaliação de aprendizagens. • Reconhecer a importância da transparência na avaliação. • Distinguir meios de instrumentos de avaliação. • Identificar potencialidades e limitações dos vários processos de avaliação, retirando destes as suas mais-valias. • Realizar tarefas autênticas com recurso ao digital. • Diversificar processos de avaliação com tecnologias digitais.

Conteúdos

Sessão 1 [3,5h] - Apresentação do formador e dos formandos. - Diagnóstico de necessidades e expetativas. - Apresentação da proposta de formação: objetivos, conteúdos, metodologia, calendarização e avaliação da ação. - Distinção concetual: meio de instrumento de avaliação. - Quadro concetual para as práticas de avaliação modelo PrACT (Praticabilidade, Consistência, Autenticidade e Transparência). - Critérios que contemplam a Dimensão da «Transparência» na avaliação: (i) Democratização; (ii) Envolvimento; (iii) Visibilidade; e (iv) Impacto. - A importância da transparência na avaliação. - Avaliação de aprendizagens. - Características dos meios de avaliação. - Levantamento dos meios e instrumentos de avaliação (conhecidos, aplicados, pretendidos). Sessão 2 [3h] - Mudanças provocadas pelas TIC no contexto da avaliação. - Meios e instrumentos de avaliação. - Potencialidades e limitações das tecnologias utilizadas (ex. apresentações digitais). - Características das tarefas autênticas. - Utilização das tecnologias para a criação de tarefas autênticas e/ou projetos digitais. Sessão 3 [3h] - As tecnologias digitais para a criação de processos de avaliação. - Potencialidades e limitações das tecnologias utilizadas (ex. portefólios digitais). - Utilização das tecnologias para a criação de tarefas autênticas e/ou projetos digitais. Sessão 4 [3h] - As tecnologias digitais para a criação de processos de avaliação. - Potencialidades e limitações das tecnologias utilizadas (ex. mapas mentais/concetuais). - Utilização das tecnologias para a criação de tarefas autênticas e/ou projetos digitais. Sessão 5 [3h] - As tecnologias digitais para a criação de processos de avaliação. - Potencialidades e limitações das tecnologias utilizadas (ex. sondagens). - Utilização das tecnologias para a criação de tarefas autênticas e/ou projetos digitais. Sessão 6 [3h] - As tecnologias digitais para a criação de processos de avaliação. - Potencialidades e limitações das tecnologias utilizadas (ex. feedback). - Utilização das tecnologias para a criação de tarefas autênticas e/ou projetos digitais. Sessão 7 [3h] - As tecnologias digitais para a criação de processos de avaliação. - Potencialidades e limitações das tecnologias utilizadas (ex. vídeo/questionários). - Utilização das tecnologias para a criação de tarefas autênticas e/ou projetos digitais. Sessão 8 [3,5h] - Apresentação das propostas de tarefas e projetos digitais desenvolvidos. - Balanço e avaliação final da ação de formação.

Metodologias

O presente curso de formação é composto por oito sessões síncronas, com momentos de natureza teórica, nomeadamente para o esclarecimento concetual, mas predominantemente prática. Nestas sessões pretende-se, essencialmente, fomentar a reflexão sobre as práticas avaliativas. Por outro lado, será aberto o leque de meios e instrumentos de avaliação com a utilização das tecnologias digitais. O contacto com inúmeras ferramentas digitais, onde se inclui a Web, exige que as sessões tenham uma prevalência dos momentos práticos face aos de natureza teórica que também servirão para conhecer, identificar e contextualizar alguns conceitos. Os docentes irão disponibilizar e partilhar os vários projetos criados, no decorrer das sessões, através da plataforma Moodle do Centro de Formação. Este espaço online, devidamente preparado, terá ainda locais próprios para partilha de documentos de apoio à formação, dicas/sugestões pedagógicas, projetos de práticas e fóruns de partilha/discussão de temas.

Avaliação

– Parâmetros de Avaliação: (i) Participação (15%) (ii) Atividades realizadas (70%) (iii) Reflexão crítica individual (15%) II – Escala de Classificação (quantitativa e qualitativa): - 1 a 4,9 valores – Insuficiente - 5 a 6,4 valores – Regular - 6,5 a 7,9 valores – Bom - 8 a 8,9 valores – Muito Bom - 9 a 10 valores – Excelente III – Condições para aprovação: (i) Frequência obrigatória: 2/3 das sessões online (sessões síncronas) (ii) Realização das atividades propostas (iii) Realização da reflexão crítica individual (iv) Avaliação igual ou superior a 5 (Regular)

Bibliografia

Amante, L., Oliveira, I., & Araújo. (2017). O Modelo PrACT: Um novo olhar sobre a conceção e desenvolvimento de práticas de avaliação alternativa digital. Oficina realizada no âmbito do V Seminário Web Currículo. PUC São PauloAmante, L., Oliveira, I., & Pereira, A. (2017). Cultura da Avaliação e Contextos Digitais de Aprendizagem: o Modelo PrACT. Revista Docência e Cibercultura, 1(1), 135-150.Barberà, E. (2016). Aportaciones de la tecnología a la e-Evaluación. Obtido em 10/ 2017, de RED - Revista de Educación a Distancia. Em linha: http://www.um.es/ead/red/50/barbera.pdfDepresbiteris, L. (2011). Recursos de avaliação: necessidade de diversificá-los. Em L. Depresbiteris, Avaliação da aprendizagem: casos comentados (pp. 47-61). Pinhais: Editora Melo.Estanqueiro, A. (2010). Boas Práticas na Educação - O Papel dos Professores. Lisboa: Editorial Presença.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 13-05-2024 (Segunda-feira) 18:30 - 22:00 3:30 Online síncrona
2 27-05-2024 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
3 12-06-2024 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
4 19-06-2024 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
5 26-06-2024 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
6 01-07-2024 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
7 03-07-2024 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
8 10-07-2024 (Quarta-feira) 18:30 - 22:00 3:30 Online síncrona

Ref. 1255/24 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-119545/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 09-05-2024

Fim: 27-06-2024

Regime: e-learning

Local: Online

Formador

Ricardo Oliveira

Destinatários

Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico, Secundário e de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico, Secundário e de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Escolas Novafoco

Enquadramento

Avaliar não descura a exigência de conhecimentos ao nível das conceções pedagógicas, teorias de aprendizagem, técnicas e reflexões sobre o papel do professor, do aluno e dos recursos digitais. Atualmente, tem sido conferida à Escola a possibilidade de gerir o currículo dos ensinos básico e secundário, com autonomia e flexibilidade, de modo a alcançar as competências previstas no Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória. Com efeito, é essencial que a avaliação de competências requeira uma nova abordagem, na qual se devem integrar conhecimentos, capacidades e atitudes, contemplando transformações didáticas, desde o desenho curricular à transparência na avaliação, a qual deve ser visível e compreensível por todos os intervenientes.

Objetivos

• Analisar sobre os modos de avaliar atualmente na sala de aula e na escola. • Reconhecer a importância de avaliar para as aprendizagens. • Identificar as características inerentes às práticas de avaliação de aprendizagens. • Reconhecer a importância da transparência na avaliação. • Distinguir meios de instrumentos de avaliação. • Identificar potencialidades e limitações dos vários processos de avaliação, retirando destes as suas mais-valias. • Realizar tarefas autênticas com recurso ao digital. • Diversificar processos de avaliação com tecnologias digitais.

Conteúdos

Sessão 1 [3,5h] - Apresentação do formador e dos formandos. - Diagnóstico de necessidades e expetativas. - Apresentação da proposta de formação: objetivos, conteúdos, metodologia, calendarização e avaliação da ação. - Distinção concetual: meio de instrumento de avaliação. - Quadro concetual para as práticas de avaliação modelo PrACT (Praticabilidade, Consistência, Autenticidade e Transparência). - Critérios que contemplam a Dimensão da «Transparência» na avaliação: (i) Democratização; (ii) Envolvimento; (iii) Visibilidade; e (iv) Impacto. - A importância da transparência na avaliação. - Avaliação de aprendizagens. - Características dos meios de avaliação. - Levantamento dos meios e instrumentos de avaliação (conhecidos, aplicados, pretendidos). Sessão 2 [3h] - Mudanças provocadas pelas TIC no contexto da avaliação. - Meios e instrumentos de avaliação. - Potencialidades e limitações das tecnologias utilizadas (ex. apresentações digitais). - Características das tarefas autênticas. - Utilização das tecnologias para a criação de tarefas autênticas e/ou projetos digitais. Sessão 3 [3h] - As tecnologias digitais para a criação de processos de avaliação. - Potencialidades e limitações das tecnologias utilizadas (ex. portefólios digitais). - Utilização das tecnologias para a criação de tarefas autênticas e/ou projetos digitais. Sessão 4 [3h] - As tecnologias digitais para a criação de processos de avaliação. - Potencialidades e limitações das tecnologias utilizadas (ex. mapas mentais/concetuais). - Utilização das tecnologias para a criação de tarefas autênticas e/ou projetos digitais. Sessão 5 [3h] - As tecnologias digitais para a criação de processos de avaliação. - Potencialidades e limitações das tecnologias utilizadas (ex. sondagens). - Utilização das tecnologias para a criação de tarefas autênticas e/ou projetos digitais. Sessão 6 [3h] - As tecnologias digitais para a criação de processos de avaliação. - Potencialidades e limitações das tecnologias utilizadas (ex. feedback). - Utilização das tecnologias para a criação de tarefas autênticas e/ou projetos digitais. Sessão 7 [3h] - As tecnologias digitais para a criação de processos de avaliação. - Potencialidades e limitações das tecnologias utilizadas (ex. vídeo/questionários). - Utilização das tecnologias para a criação de tarefas autênticas e/ou projetos digitais. Sessão 8 [3,5h] - Apresentação das propostas de tarefas e projetos digitais desenvolvidos. - Balanço e avaliação final da ação de formação.

Metodologias

O presente curso de formação é composto por oito sessões síncronas, com momentos de natureza teórica, nomeadamente para o esclarecimento concetual, mas predominantemente prática. Nestas sessões pretende-se, essencialmente, fomentar a reflexão sobre as práticas avaliativas. Por outro lado, será aberto o leque de meios e instrumentos de avaliação com a utilização das tecnologias digitais. O contacto com inúmeras ferramentas digitais, onde se inclui a Web, exige que as sessões tenham uma prevalência dos momentos práticos face aos de natureza teórica que também servirão para conhecer, identificar e contextualizar alguns conceitos. Os docentes irão disponibilizar e partilhar os vários projetos criados, no decorrer das sessões, através da plataforma Moodle do Centro de Formação. Este espaço online, devidamente preparado, terá ainda locais próprios para partilha de documentos de apoio à formação, dicas/sugestões pedagógicas, projetos de práticas e fóruns de partilha/discussão de temas.

Avaliação

– Parâmetros de Avaliação: (i) Participação (15%) (ii) Atividades realizadas (70%) (iii) Reflexão crítica individual (15%) II – Escala de Classificação (quantitativa e qualitativa): - 1 a 4,9 valores – Insuficiente - 5 a 6,4 valores – Regular - 6,5 a 7,9 valores – Bom - 8 a 8,9 valores – Muito Bom - 9 a 10 valores – Excelente III – Condições para aprovação: (i) Frequência obrigatória: 2/3 das sessões online (sessões síncronas) (ii) Realização das atividades propostas (iii) Realização da reflexão crítica individual (iv) Avaliação igual ou superior a 5 (Regular)

Bibliografia

Amante, L., Oliveira, I., & Araújo. (2017). O Modelo PrACT: Um novo olhar sobre a conceção e desenvolvimento de práticas de avaliação alternativa digital. Oficina realizada no âmbito do V Seminário Web Currículo. PUC São PauloAmante, L., Oliveira, I., & Pereira, A. (2017). Cultura da Avaliação e Contextos Digitais de Aprendizagem: o Modelo PrACT. Revista Docência e Cibercultura, 1(1), 135-150.Barberà, E. (2016). Aportaciones de la tecnología a la e-Evaluación. Obtido em 10/ 2017, de RED - Revista de Educación a Distancia. Em linha: http://www.um.es/ead/red/50/barbera.pdfDepresbiteris, L. (2011). Recursos de avaliação: necessidade de diversificá-los. Em L. Depresbiteris, Avaliação da aprendizagem: casos comentados (pp. 47-61). Pinhais: Editora Melo.Estanqueiro, A. (2010). Boas Práticas na Educação - O Papel dos Professores. Lisboa: Editorial Presença.


Observações

Destinado exclusivamente aos docentes do Agrupamento de Agualva-Mira Sintra

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 09-05-2024 (Quinta-feira) 18:30 - 22:00 3:30 Online síncrona
2 16-05-2024 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
3 22-05-2024 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
4 29-05-2024 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
5 05-06-2024 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
6 13-06-2024 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
7 20-06-2024 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
8 27-06-2024 (Quinta-feira) 18:30 - 22:00 3:30 Online síncrona

Ref. 171Ee/24 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-124798/24

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 08-05-2024

Fim: 26-06-2024

Regime: b-learning

Local: Escola Secundária Ferreira Dias

Formador

Joaquim António Mendes Trovão

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Escolas Novafoco

Enquadramento

Para planear, desenvolver e avaliar as atividades, projetos ou recursos associados à educação STEAM, os educadores devem, acima de tudo, compreender a importância da transversalidade de temáticas das áreas das Ciências, Tecnologia, Engenharia, Artes e Matemática, fomentando a aprendizagem associada a uma abordagem holística. Para facilitar a sua tarefa, é importante que estes educadores adquiram hábitos de colaboração durante a planificação e o desenvolvimento das dinâmicas STEAM, que devem estar relacionadas com o mundo real, propondo-se também a partilha entre pares para que outros as possam utilizar depois de adaptadas e enquadradas ao seu contexto. Esta abordagem alinha-se com a visão da educação do século XXI, promovendo não apenas o conhecimento disciplinar, mas também competências transversais, essenciais para o sucesso na sociedade atual (P21, 2007). Nestas dinâmicas, devem utilizar-se as metodologias de aprendizagem ativa de trabalho de projeto, que permite desenvolver nos alunos não só as competências do espírito crítico, criatividade, colaboração e comunicação, mas também as competências socioemocionais, que preparam futuros cidadãos, na sua plenitude, para desafios pessoais, sociais e profissionais, capacitando-os das ferramentas essenciais para a aprendizagem ao longo da vida (OECD, 2021). A avaliação dos conhecimentos adquiridos pelos estudantes deve ser contínua e privilegiar o seu caráter formativo e regulador das aprendizagens.

Objetivos

1. Caracterizar modelos e abordagens ativas para a educação STEAM; 2. Caracterizar a metodologia de trabalho de projeto em educação STEAM; 3. Integrar os princípios dos Ambientes Educativos Inovadores (AEI) na abordagem STEAM; 4. Análise de atividades e projetos em Educação STEAM; 5. Planificar, implementar e avaliar atividades e projetos em educação STEAM.

Conteúdos

⮚ Princípios para a Educação STEAM enquanto prática inovadora ⮚ Modelos de integração das áreas STEAM ⮚ Metodologia de trabalho de projeto em Educação STEAM ⮚ Potencialidades da Educação STEAM: o Competências cognitivas e socioemocionais o Trabalho colaborativo e coadjuvação o Integração de conteúdos o Metodologias de aprendizagem ativa ⮚ Cenários de aprendizagem ativa numa perspetiva STEAM: o Características dos cenários de aprendizagem ativa o Modelos para a criação de cenários de aprendizagem ativa o Partilha e discussão dos cenários de aprendizagem ativa criados

Avaliação

Os formandos serão classificados na escala de 1 a 10. 1) qualidade da participação e contributo para a dinâmica das sessões; 2) cumprimento dos prazos de realização das atividades de aprendizagem propostas; 3) qualidade da realização dos trabalhos práticos propostos; 4) Relatório reflexivo individual.

Bibliografia

Aguilera, D., & Ortiz-Revilla, J. (2021). STEM vs. STEAM Education and Student Creativity: A Systematic Literature Review. Education Sciences, 11, 331. https://doi.org/10.3390/educsci11070331Bybee, R. (2010). Advancing STEM education: a 2020 vision. Technology and Engineering Teacher, 70(1), 30–35. https://www.proquest.com/docview/853062675?pq-origsite=gscholar&fromopenview=trueHsu, Y.-S., Fang, S.-C. (2019). Opportunities and Challenges of STEM Education. In Y.-S. Hsu & , S.-C. Fang (Eds.), Asia-Pacific STEM Teaching Practices (pp. 1-16). Springer International Publishing.Martins, G. O., Gomes, C. S., Brocardo, J. L., Pedroso, J. V., Carrillo, J. L., Ucha, L. M., Encarnação, M., Horta, M. J., Calçada, M. T., Nery, R. V., & Rodrigues, S. V. (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória. Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação.OECD (2021). Inquérito às competências sociais e emocionais (SSES): Sintra (Portugal). https://www.oecd.org/education/ceri/social-emotional-skills-study/PRT-sses-sintrareport.pdf


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 08-05-2024 (Quarta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Presencial
2 15-05-2024 (Quarta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
3 22-05-2024 (Quarta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
4 29-05-2024 (Quarta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Presencial
5 05-06-2024 (Quarta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
6 12-06-2024 (Quarta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
7 19-06-2024 (Quarta-feira) 18:45 - 22:45 4:00 Online síncrona
8 26-06-2024 (Quarta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Presencial

Ref. 172E1/24 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-124286/24

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 30.0 horas (15.0 horas presenciais + 15.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 08-05-2024

Fim: 26-06-2024

Regime: b-learning

Local: Escola Secundária Ferreira Dias

Formador

Helena Alexandra Graça Machado Moita de Deus

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Escolas Novafoco

Enquadramento

De acordo com o Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, “O aprender a conhecer, o aprender a fazer, o aprender a viver juntos e a viver com os outros e o aprender a ser constituem elementos que devem ser vistos nas suas diversas relações e implicações”. O saber está no centro do processo educativo. É responsabilidade da escola desenvolver nos/as alunos/as a cultura científica que permite compreender, tomar decisões e intervir sobre as realidades naturais e sociais no mundo, contribuir para formar nos alunos a consciência de sustentabilidade, da qual depende a continuidade da vida na Terra, envolvendo os sistemas social, económico e tecnológico. Dado que a Plataforma eBug foi criada recentemente e foi concebida para uma utilização transdisciplinar e ao longo de todos os ciclos de ensino, há que preparar os docentes para essa Plataforma, capacitando-os e potenciando o uso dessa mesma Plataforma.

Objetivos

Ao encontro dos objetivos da Educação para a Cidadania definidos pela Direção-Geral da Educação, nomeadamente no que diz respeito, à Educação para a Saúde e Educação para a Sexualidade, com base no referencial de educação para a saúde, importa: • fomentar o interesse pela ciência • melhorar o conhecimento e perceção dos jovens sobre o que são microrganismos, a prevenção e controlo de infeções, bem como o uso prudente e adequado dos antibióticos • habilitar para uma atitude proativa no que diz respeito a cuidar da sua própria saúde e a dos outros • expressar respeito por si, pelo outro e pelo meio • identificar as infeções de transmissão sexual e as formas de prevenção primária e secundária • conhecer os direitos à informação, proteção e integridade corporal • desenvolver atitudes proativas de cidadania responsável • conhecer o impacto das atitudes e comportamentos na utilização de antibióticos

Conteúdos

A. ENQUADRAMENTO (3 h) Introdução ao eBug; Objetivos do Programa -Bug; Exploração da Plataforma e-Bug Portugal; Conceitos teóricos que estão na base da plataforma; Importância da articulação entre conteúdos Ebug, Aprendizagens Essenciais e o Perfil do Aluno à Saída da Escolaridade Obrigatória B. O Mundo dos Microrganismos (2,5 horas) 1. Introdução aos Microrganismos (fungos, vírus e bactérias) 2. Microrganismos Úteis (uso industrial e alimentar e saúde) 3. Microrganismos Nocivos 4. Exploração de atividades práticas passíveis de desenvolver em cada nível de educação/ensino C. Importância da Higiene (2,5 horas) 1. Higiene das Mãos 2. Higiene Respiratória 3. Higiene Oral 4. Higiene Alimentar 5. Higiene Animal e Agrícola 6. Exploração de atividades práticas passíveis de desenvolver em cada nível de educação/ensino D. Importância da Vacinação (1 hora) 1. Vacinação 2. Exploração de atividades práticas passíveis de desenvolver em cada nível de educação/ensino E. Antibióticos e Resistência Antimicrobiana (2 horas) 1. Antibióticos 2. Resistência antimicrobiana 3. Reconhecimento da importância da reflexão sobre o impacto do uso de antibióticos na multiplicação de microrganismos resistentes 4. Exploração de atividades práticas passíveis de desenvolver em cada nível de educação/ensino F. Infeções Sexualmente Transmissíveis (ISTs) (2 horas) 1. Causas e contactos de risco 2. Exemplos de ISTs 3. Regras básicas para a prevenção 4. Exploração de atividades práticas passíveis de desenvolver em cada nível de educação/ensino G. Apresentação dos trabalhos (2h)

Avaliação

Participação (participação ativa nas sessões presenciais e iniciativa) A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final elaborado pelos formandos. A avaliação contempla a realização de um trabalho crítico-reflexivo, refletindo uma abordagem global e integradora dos temas abordados durante a formação, relacionando os temas/sessões assistidas em que seja focado o seu impacto nas práticas de ensino e/ou na formação pessoal e no seu desenvolvimento profissional. A avaliação do trabalho incidirá sobre o conteúdo e pertinência da análise, identificando ganhos pedagógicos, a coerência textual e a correção formal.

Bibliografia

Referencial de Educação para a Saúde, disponível em http://www.dge.mec.pt/sites/default/files/Esaude/referencial_educacao_saude_original_4julho2017_horizontal.pdfEstratégia Nacional de Educação para a Cidadania, disponível em: http://www.dge.mec.pt/sites/default/files/ECidadania/Docs_referencia/estrategia_cidadania_original.pdfPerfil dos alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, disponível em: http://www.dge.mec.pt/sites/default/files/Curriculo/Projeto_Autonomia_e_Flexibilidade/perfil_dos_alunos.pdfThe European Union Summary Report on Antimicrobial Resistance in zoonotic and indicator bacteria from humans, animals and food in 2019–2020, disponível em: https://www.ecdc.europa.eu/sites/default/files/documents/efs2_7209_Rev2.pdfAntimicrobial Resistance in the EU/EEA - A One Health Response, disponível em https://www.ecdc.europa.eu/sites/default/files/documents/antimicrobial-resistance-policy-brief-2022.pdf


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 08-05-2024 (Quarta-feira) 18:45 - 20:45 2:00 Online síncrona
2 14-05-2024 (Terça-feira) 18:45 - 21:15 2:30 Presencial
3 15-05-2024 (Quarta-feira) 18:45 - 21:15 2:30 Presencial
4 21-05-2024 (Terça-feira) 18:45 - 20:45 2:00 Online síncrona
5 11-06-2024 (Terça-feira) 18:45 - 20:45 2:00 Online síncrona
6 25-06-2024 (Terça-feira) 18:45 - 20:45 2:00 Online síncrona
7 26-06-2024 (Quarta-feira) 18:45 - 20:45 2:00 Online síncrona

Ref. 1543B/24 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-121256/23

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 08-04-2024

Fim: 24-06-2024

Regime: b-learning

Local: Agrupamento de Escolas Ruy Belo

Formador

Luís Filipe Batista Mestre

Destinatários

Professores do Ensino Básico e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do Ensino Básico e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

Pretende-se com esta Oficina de Formação instituir um tempo de estudo autónomo e o apoio individualizado às aprendizagens na sala de aula, de forma a diferenciar o ensino e a aprendizagem, tendo em vista o sucesso curricular de todos os alunos. A par do desenvolvimento de competências de estudo autónomo e do uso de um plano individual de trabalho semanal, o professor apoia, de forma interativa e sistemática, os alunos com dificuldades na aprendizagem curricular. A presente formação justifica-se, não só, pela necessidade de diferenciar o ensino e a aprendizagem, como, pela importância de desenvolver em todos os alunos competências de estudo autónomo na sala de aula. Nesse sentido, é fulcral o envolvimento dos alunos na gestão do currículo, de forma a que se responsabilizem e trabalhem autonomamente, de acordo com as suas necessidades curriculares e, sempre que necessário, com o apoio do professor e colegas. Perante a defesa de uma escola para todos, onde se valorizam as diferenças, a diferenciação pedagógica, sustentada pela cooperação, é, necessariamente, algo fundamental para o sucesso educativo de todos os alunos. Dado o atual trabalho excessivo nas escolas e o cansaço acumulado dos docentes, por um lado, e o excelente ambiente de partilha e resultados alcançados ocorrido nas anteriores Oficinas com esta temática, por outro, torna-se pertinente que esta ação continue em regime e-learning.

Objetivos

1. Desenvolver um tempo de estudo autónomo diário, de forma a diferenciar o ensino e a aprendizagem, tendo em vista o sucesso curricular de todos os alunos; 2. Desenvolver a autonomia, a responsabilidade, a cooperação e a participação ativa dos alunos na apropriação do currículo escolar; 3. Desenvolver competências de estudo autónomo (planeamento, gestão e autorregulação) nos alunos; 4. Promover o apoio (sistemático, interativo e eficaz) individual aos alunos com dificuldades na aprendizagem curricular. 5. Desenvolver parcerias eficazes entre os alunos, de forma a promover/recuperar as aprendizagens curriculares; 6. Desenvolver competências metacognitivas nos alunos (autoavaliar-se e aprender a aprender); 7. Instituir rotinas e instrumentos de trabalho que privilegiam uma avaliação formativa

Conteúdos

1. Diferenciação pedagógica: Estudo autónomo e apoio individualizado - conceitos;- 3 horas 2. O Plano Individual de Trabalho;- 3 horas 3. Instrumentos de pilotagem do trabalho;- 3 horas 4. Ficheiros autocorretivos;-3 horas 5. O papel e o apoio do professor;-3 horas 6. As parcerias entre alunos;-3 horas 7. O planeamento e a avaliação/regulação do trabalho.- 4 horas 8.Avaliação da ação de formação. - 3 horas

Avaliação

A avaliação tem um carácter qualitativo e quantitativo (Despacho n.º 4595/2015). A escala de avaliação é compreendida entre 1 a 10 valores, sendo que a aprovação na oficina de formação dependerá da obtenção de classificação igual ou superior a 5 valores. Escala de avaliação e respetivas menções: • Excelente – de 9 a 10 valores; • Muito Bom – de 8 a 8,9 valores; • Bom – de 6,5 a 7,9 valores; • Regular – de 5 a 6,4 valores; • Insuficiente – de 1 a 4,9 valores. Consideram-se três critérios (2+4+4): • Participação: Pontualidade; Intervenções/Apresentações (Pertinência/Clareza/Nível de reflexão); Empenho/Iniciativa; Cooperação/Partilha (2 valores); • Produção de trabalho/materiais: Adequação/Pertinência (4 valores); • Trabalho Final/Portefólio: Correção Formal (1); Conteúdo (Rigor, Fundamentação, Problematização, Coerência Interna, Apresentação) (1,5); e Aplicação dos conteúdos (1,5) (4 valores)

Bibliografia

Assunção, C. (2011). O Tempo de Estudo Autónomo e a diferenciação pedagógica. Escola Moderna, 42(5), 13-24.Duarte, J. (2012). A prática da avaliação formativa no desenvolvimento de uma regulação individualizada das aprendizagens. Escola Moderna, 40(5), 13-23.Fróis, J. (novembro de 2010). Perplexidades de uma experiência de implementação de Tempo de Estudo Autónomo. O lugar dos nossos textos – Escritos partilhados II.Grave-Resendes, L. & Soares, J. (2002). Diferenciação pedagógica. Universidade aberta.Liberal, J. (2010a). O Plano Individual de trabalho: contributos para a avaliação qualitativa das aprendizagens. Escola Moderna, 37(5), 38-58.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 08-04-2024 (Segunda-feira) 17:45 - 21:15 3:30 Presencial
2 22-04-2024 (Segunda-feira) 17:45 - 20:45 3:00 Online síncrona
3 29-04-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
4 13-05-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
5 20-05-2024 (Segunda-feira) 17:45 - 20:45 3:00 Presencial
6 27-05-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
7 03-06-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
8 24-06-2024 (Segunda-feira) 17:45 - 21:15 3:30 Presencial

Ref. 173ACD 9/24 Em avaliação

Registo de acreditação: ACD16/24

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 08-05-2024

Fim: 16-05-2024

Regime: Presencial

Local: Agrup. Escolas Queluz-Belas - E.B.1 Nº2 Queluz- Biblioteca

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Escolas Novafoco / Fundação Aga Khan

Enquadramento

Cuidar e educar as crianças é a tarefa mais importante das sociedades humanas. No entanto, o exercício da parentalidade não é fruto do instinto, da conjugação das estrelas, fado ou bom destino. Resulta de processos de elevada complexidade, que implicam a interação de múltiplos fatores, onde se incluem os valores e hábitos culturais e a rede de suporte social de cada família e de cada criança. Este conjunto de sessões desenvolve conceitos chave, que permitem refletir e potenciar o suporte aos cuidadores e educadores, no contexto escolar, social e comunitário.

Objetivos

• Informar e sensibilizar os profissionais para: a) O conceito de parentalidade positiva ou consciente; b) O impacto da cultura no exercício da parentalidade e no desenvolvimento das crianças; c) Os principais determinantes da parentalidade; d) As tarefas da parentalidade e competências requeridas aos cuidadores e educadores, ao longo da infância. • Promover a reflexão crítica dos profissionais sobre as dinâmicas de base comunitária e as intervenções de suporte à parentalidade, nos contextos em que intervém (escolas e serviços sociais e comunitários).

Modelo

Questionário Final


Observações

25 Docentes e outros profissionais que trabalham com crianças e suas famílias, desempenhando funções de suporte ao exercício da parentalidade.


Ref. 16515/24 Em avaliação

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-120309/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 02-05-2024

Fim: 06-06-2024

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária Ferreira Dias

Formador

Maria de Lurdes Graça Caetano Silva

Elisabete Maria Morais

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Escolas Novafoco

Enquadramento

Com esta ação de formação pretende-se alertar o docente para o potencial da TIC na eliminação de barreiras no processo de aprendizagem dos alunos e como ferramenta para a equidade na educação. Tendo em consideração que, no seu percurso escolar, qualquer aluno pode sentir dificuldades de aprendizagem, e que a utilização de ferramentas tecnológicas permite destruir qualquer tipo de barreiras, é importante que os professores estejam habilitados a utilizar as TIC na sua prática letiva, e ir de encontro aos dizeres de Vygostsky, um dos grandes teóricos da educação, para quem é importante a ação, a linguagem, os processos interativos na construção das estruturas mentais superiores. Com o Plano de Capacitação Digital de Docentes, sendo uma aposta da tutela a Educação Inclusiva, é de todo importante e interessante, associar estes dois princípios, dotando os docentes de conhecimentos/competências para que possam garantir o sucesso a TODOS os alunos.

Objetivos

Com a presente ação de formação pretende-se atingir nos seguintes objetivos: • Conhecer os normativos para a Educação Inclusiva. • Compreender ao desenho universal para a aprendizagem na construção de práticas pedagógicas inclusivas. • Sensibilizar para a importância da utilização das TIC em ambiente de sala de aula com ferramentas inclusivas. • Capacitar para a utilização das TIC na diferenciação pedagógica. • Utilizar as TIC na avaliação diferenciada. • Usar tecnologias atendendo à acessibilidade, inclusão e diferenciação.

Conteúdos

1ª sessão (2.00h):  Apresentação da ação de formação, das formadoras e dos formandos.  Levantamento de interesses dos formandos 2ª Sessão: Análise dos normativos referentes à Educação Inclusiva (2:00h):  Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos das pessoas com Deficiência, 2006  Dec-lei 55/2018, de 6 de julho  Análise do Dec-Lei 54/2018, de 6 de julho 3º Sessão: A utilização das TIC como ferramenta inclusiva (3:00h)  A importância das competências digitais no perfil do professor do séc. XXI.  As potencialidades da tecnologia para a aprendizagem inclusiva  Criação de um Blog  Ferramentas digitais: Ferramentas Google (experimentação). 4ª Sessão: A utilização das TIC como ferramenta inclusiva (3:00h)  Ferramentas digitais: Storyboard e Book Creator. 5ª Sessão: A utilização das TIC como ferramenta inclusiva (3:00h)  Ferramentas digitais: Pictramap e Wordart. 6ª Sessão: A utilização das TIC como ferramenta inclusiva (3:00h)  Ferramentas digitais: Scratch – “programação” “criação de variáveis” 7ª Sessão: A utilização das TIC como ferramenta inclusiva (2:00h)  Ferramentas digitais: Quickplayer (gravação de voz); Loom (gravação de ecrã com introdução de própria imagem e voz). 8ª Sessão: A utilização das TIC como ferramenta inclusiva (2:00h)  Ferramentas de conversão de texto em áudio (Balabolka, Natural Reader). 9ª Sessão: Tecnologia assistiva para a inclusão de alunos com Necessidades Educativas (2:00h):  A importância, tipos e aplicação de diversas ferramentas que se enquadram no conceito de tecnologia assistiva. 10ª Sessão: Apresentação dos trabalhos finais (3.00h).

Metodologias

As sessões serão de cariz teórico-prático, pelo que integrará abordagens de carácter teórico, atividades de pesquisa e exploração de textos, construção de planificações e conceção de recursos a utilizar em sala de aula.

Avaliação

Participação (2 valores) ­ Dinâmica da participação: pontualidade, empenho e disponibilidade (0,5 valor); ­ Qualidade das intervenções: assertividade, oportunidade, pertinência e clareza (0,5 valor); ­ Execução das tarefas: tempo, adequabilidade e grau de envolvimento (1 valor) Resultado do trabalho autónomo (4 valores) ­ Qualidade dos materiais produzidos: adequação ao contexto (3 valores) ­ Adequação do trabalho à prática letiva (1 valor) Trabalho individual (4 valores) ­ Blog: estrutura, rigor na sua conceção e conteúdos (3 valores) ­ Apresentação oral (1 valor) Escala:Ç 1 A 10.

Bibliografia

• DL 54/2018, de 6 de julho• Declaração de Retificação 47/2019• DL 55/2018, de 6 de julho• Lei 116/2019• Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos das pessoas com deficiência, 2006.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 02-05-2024 (Quinta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Presencial
2 09-05-2024 (Quinta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Presencial
3 16-05-2024 (Quinta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Presencial
4 21-05-2024 (Terça-feira) 18:45 - 22:15 3:30 Online síncrona
5 23-05-2024 (Quinta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
6 27-05-2024 (Segunda-feira) 18:45 - 22:15 3:30 Presencial
7 04-06-2024 (Terça-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Presencial
8 06-06-2024 (Quinta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Presencial

Ref. 1522/24 Em avaliação

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-121646/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 11-04-2024

Fim: 20-06-2024

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária Ferreira Dias

Formador

Paulo Moniz Alexandrino Martins

Destinatários

Professores dos Grupos 200,210,220,300,320,330,340 e 350

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 200,210,220,300,320,330,340 e 350. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 200,210,220,300,320,330,340 e 350.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

A Formação que agora se propõe continua a surgir num contexto cada vez mais caracterizado pela dificuldade em levar os alunos a aprender de forma criativa e com prazer. Sendo a escrita uma ferramenta comum a todas as disciplinas, pretende-se, desta forma, que os professores das diversas disciplinas se apropriem de ferramentas que lhes permitam desenvolver momentos de ensino-aprendizagem através da escrita e da leitura para e com os seus alunos. É fundamental que os participantes compreendam as diversas etapas deste processo e reflitam sobre o vínculo de afeto à criatividade e sobre a importância da atitude de quem cria ao pedir um exercício deste tipo. Um dos pontos fortes desta Formação é a adaptação dos instrumentos utilizados na escrita criativa aos conteúdos programáticos das diversas disciplinas. Procura-se uma abordagem em que se procura uma interação entre a escrita e as várias disciplinas e os diversos saberes a elas associadas. O processo de escrita associa-se, de forma muito estreita, também, ao processo de leitura. Ao escrever, o aluno aprende a ler melhor e, consequentemente, desenvolve as suas capacidades de compreensão da matéria lecionada. Ao fazê-lo, inicia todo um processo reflexivo sobre os efeitos dessa leitura em si próprio, o que lhe permite, também, desenvolver a concentração, elemento fulcral para a aprendizagem dos diversos conteúdos. Por outro lado, num mundo que valoriza cada vez mais a criatividade, a capacidade de comunicação e de colaboração, apostar no desenvolvimento da sensibilidade estética e da criatividade do aluno é dar um passo para a preparação do seu futuro.

Objetivos

o Estimular a criatividade; o Estimular a autonomia; o Conhecer estratégias para estimular o potencial criativo; o Descobrir a escrita e a voz de cada um; o Experimentar técnicas de desbloqueio de escrita; o Compreender os processos criativos e como estes se aplicam à escrita criativa; o Promover a leitura de diversos documentos, através do reconhecimento da língua como instrumento de comunicação, reflexão e objeto estético e criativo. o Libertar o imaginário pessoal e a personalidade; o Criar fragmentos introspetivos partindo de motes sensoriais; o Incorporar o universo sensorial na dinâmica das diferentes disciplinas; o Trabalhar o desenvolvimento de quem escreve enquanto personagem, partindo de diálogos e de ação; o Usar a pontuação e as singularidades da língua como mote; o Aprender a importância da revisão e descobrir estratégias para “limpar” o texto; o Partilhar trabalhos e opinar criticamente os trabalhos partilhados, através de diálogos e dinâmicas de grupo. o Desinibir os alunos em relação à escrita, familiarizando-os com as composições escritas, de modo a perderem o medo pelas palavras.

Conteúdos

 Autobiografia;  Poesia;  Cinema;  Música;  Literatura;  Artes gráficas.

Metodologias

 Autobiografia;  Poesia;  Cinema;  Música;  Literatura;  Artes gráficas. Propõe-se a construção de textos, com diversos exercícios, a partir de “detonadores” de escrita, em contexto de grupo e em grupo. Proceder-se-á à análise, discussão e produção de textos.

Avaliação

A avaliação da Formação será feita através da participação dos formandos na resolução das atividades realizadas nas sessões assim como pela entrega de uma breve reflexão individual e de uma autobiografia, refletindo a aplicação dos conteúdos apreendidos na formação nas disciplinas lecionadas pelos docentes. Escala de Avaliação de 1 a 10. Será solicitado, também, o preenchimento de um Inquérito para avaliação da ação e do formador.

Bibliografia

• BALANCHO, Maria e Coelho, Filomena (1994)Motivar os alunos: criatividade na relação pedagógica: conceitos e práticas. Lisboa: Texto Editora• BARBEIRO, Luís (1999) Jogos de Escrita. Lisboa: Instituto de Inovação Educacional• FONSECA, Irene (1994) Pedagogia da Escrita. Porto: Porto Editora• SENA-LINO, Pedro (2008) Curso de escrita criativa II, Uma costela de quem? Um manual de construção de personagens. Lisboa: Porto Editora.• TORDO, João (2020) Manual de sobrevivência de um escritor ou o pouco que sei sobre aquilo que faço. Lisboa: Companhia das Letras.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 11-04-2024 (Quinta-feira) 18:45 - 21:15 2:30 Presencial
2 18-04-2024 (Quinta-feira) 18:45 - 21:15 2:30 Presencial
3 02-05-2024 (Quinta-feira) 18:45 - 21:15 2:30 Presencial
4 09-05-2024 (Quinta-feira) 18:45 - 21:15 2:30 Presencial
5 16-05-2024 (Quinta-feira) 18:45 - 21:15 2:30 Presencial
6 06-06-2024 (Quinta-feira) 18:45 - 21:15 2:30 Presencial
7 13-06-2024 (Quinta-feira) 18:45 - 21:15 2:30 Presencial
8 20-06-2024 (Quinta-feira) 18:45 - 21:15 2:30 Presencial

Ref. 13914/24 Em avaliação

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116864/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 09-04-2024

Fim: 11-06-2024

Regime: b-learning

Local: Escola Secundária Ferreira Dias

Formador

Maria de Lurdes Graça Caetano Silva

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

- Documentos de enquadramento das políticas educativas. - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htmComissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=ENLucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA EditoraLicht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdfMinistério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 09-04-2024 (Terça-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Presencial
2 16-04-2024 (Terça-feira) 18:45 - 22:15 3:30 Online síncrona
3 23-04-2024 (Terça-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Presencial
4 30-04-2024 (Terça-feira) 18:45 - 22:15 3:30 Online síncrona
5 07-05-2024 (Terça-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
6 14-05-2024 (Terça-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
7 28-05-2024 (Terça-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
8 11-06-2024 (Terça-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Presencial

Ref. 1531/24 Em avaliação

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-121379/23

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 13-03-2024

Fim: 29-05-2024

Regime: b-learning

Local: Agrup. Escolas Agualva-Mira Sintra - Secundária Matias Aires

Formador

Luís Filipe Batista Mestre

Destinatários

Professores do Grupo de Recrutamento 110

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do Grupo de Recrutamento 110. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do Grupo de Recrutamento 110.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

(máx. 750 caracteres) A presente formação justifica-se, de uma forma geral, pelo facto da escola, atualmente, confrontar-se com uma sociedade de informação, em que se torna fundamental o desenvolvimento de práticas pedagógicas que promovam a transformação da informação em conhecimento, ao invés da reprodução do mesmo. Nesse sentido, para que o sentido críticom a compreensão e a produção de conhecimento ocorram, há que promover práticas de organização das aprendizagens escolares que fomentem o desenvolvimento de competências investigativas, cooperativas e comunicativas. Cientes da importância da participação cooperada das crianças na apropriação significativa e profunda do currículo, o Trabalho por Projetos é uma prática pedagógica que se assume como fundamental para a concretização desse objetivo.

Objetivos

• Desenvolver a autonomia, a responsabilidade, a cooperação e a participação ativa dos alunos na apropriação do currículo escolar; • Apoiar o professor no desenvolvimento de competências investigativas nos alunos (planeamento; pesquisa; tratamento da informação; organização de uma apresentação digital; comunicativas); • Promover a motivação pela aprendizagem escolar através do sentido social das aprendizagens escolares, desenvolvido pela partilha daquilo que os alunos aprendem, ensinando-se uns aos outros; • Desenvolver competências metacognitivas nos alunos (autoavaliar-se e aprender a aprender); • Promover o gosto e interesse pelo aprender e partilha.

Conteúdos

1. Trabalho por Projetos numa comunidade de aprendizagem – princípios pedagógicos; 2. A organização da sala de aula e materiais; 3. Os instrumentos de pilotagem do trabalho; 4. As diferentes fases do Trabalho por Projetos; 5. O papel e apoio do professor; 6. As competências de cooperação desenvolvidas nos alunos; 7. A regulação do trabalho e construção de critérios de avaliação com os alunos; 8. O tempo de comunicação dos Projetos; 9. O estudo posterior dos temas comunicados.

Avaliação

A avaliação tem carácter qualitativo e quantitativo (Despacho n.º 4595/2015). A escala de avaliação é compreendida entre 1 a 10 valores, sendo que a aprovação na oficina de formação dependerá da obtenção de classificação igual ou superior a 5 valores e da frequência mínima de 2/3 do total de horas conjuntas da ação. Consideram-se três critérios: • Participação: Pontualidade; Intervenções/Apresentações (Pertinência/Clareza/Nível de reflexão); Empenho/Iniciativa; Cooperação/Partilha (2 valores); • Produção de trabalho/materiais: Adequação/Pertinência (4 valores); • Trabalho Final/Portefólio: Correção Formal (1); Conteúdo (Rigor, Fundamentação, Problematização, Coerência Interna, Apresentação) (1,5); e Aplicação dos conteúdos (1,5) (4 valores).

Bibliografia

Correia, C. (2012). Aprender através de projetos. Escola Moderna, 5(43), 12-25. Dewey, J. (1968). Expérience et éducation. Armand Colin.Figueiredo, P. (2014). Desenvolvimento do trabalho em projetos. Escola Moderna, 6(2), 130-137.Giordain, A., & Vecchi, G. (2002). L`enseignement scientifique comment faire pour que “ça marche?” (Tradução de Júlia Soares). Delagrave.Gomes, I. (2011). Trabalho de aprendizagem curricular por projetos cooperativos. Escola Moderna, 5(39), 41-54.Legrand, L. (1990). A Pedagogia do Projeto. In E. Leite, M. Malpique, & M. R. Santos (Orgs.), Trabalho de Projeto (pp. 36-37). Edições Afrontamento.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 13-03-2024 (Quarta-feira) 17:45 - 20:45 3:00 Presencial
2 20-03-2024 (Quarta-feira) 17:45 - 21:15 3:30 Online síncrona
3 10-04-2024 (Quarta-feira) 17:45 - 20:45 3:00 Online síncrona
4 17-04-2024 (Quarta-feira) 17:45 - 20:45 3:00 Presencial
5 24-04-2024 (Quarta-feira) 17:45 - 21:15 3:30 Online síncrona
6 08-05-2024 (Quarta-feira) 17:45 - 20:45 3:00 Online síncrona
7 14-05-2024 (Terça-feira) 17:45 - 20:45 3:00 Online síncrona
8 29-05-2024 (Quarta-feira) 17:45 - 20:45 3:00 Presencial

Ref. 1543/24 Em avaliação

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-121256/23

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 07-03-2024

Fim: 23-05-2024

Regime: b-learning

Local: Agrup. Escolas Agualva-Mira Sintra - Secundária Matias Aires

Formador

Luís Filipe Batista Mestre

Destinatários

Professores do Ensino Básico e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do Ensino Básico e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

Pretende-se com esta Oficina de Formação instituir um tempo de estudo autónomo e o apoio individualizado às aprendizagens na sala de aula, de forma a diferenciar o ensino e a aprendizagem, tendo em vista o sucesso curricular de todos os alunos. A par do desenvolvimento de competências de estudo autónomo e do uso de um plano individual de trabalho semanal, o professor apoia, de forma interativa e sistemática, os alunos com dificuldades na aprendizagem curricular. A presente formação justifica-se, não só, pela necessidade de diferenciar o ensino e a aprendizagem, como, pela importância de desenvolver em todos os alunos competências de estudo autónomo na sala de aula. Nesse sentido, é fulcral o envolvimento dos alunos na gestão do currículo, de forma a que se responsabilizem e trabalhem autonomamente, de acordo com as suas necessidades curriculares e, sempre que necessário, com o apoio do professor e colegas. Perante a defesa de uma escola para todos, onde se valorizam as diferenças, a diferenciação pedagógica, sustentada pela cooperação, é, necessariamente, algo fundamental para o sucesso educativo de todos os alunos. Dado o atual trabalho excessivo nas escolas e o cansaço acumulado dos docentes, por um lado, e o excelente ambiente de partilha e resultados alcançados ocorrido nas anteriores Oficinas com esta temática, por outro, torna-se pertinente que esta ação continue em regime e-learning.

Objetivos

1. Desenvolver um tempo de estudo autónomo diário, de forma a diferenciar o ensino e a aprendizagem, tendo em vista o sucesso curricular de todos os alunos; 2. Desenvolver a autonomia, a responsabilidade, a cooperação e a participação ativa dos alunos na apropriação do currículo escolar; 3. Desenvolver competências de estudo autónomo (planeamento, gestão e autorregulação) nos alunos; 4. Promover o apoio (sistemático, interativo e eficaz) individual aos alunos com dificuldades na aprendizagem curricular. 5. Desenvolver parcerias eficazes entre os alunos, de forma a promover/recuperar as aprendizagens curriculares; 6. Desenvolver competências metacognitivas nos alunos (autoavaliar-se e aprender a aprender); 7. Instituir rotinas e instrumentos de trabalho que privilegiam uma avaliação formativa

Conteúdos

1. Diferenciação pedagógica: Estudo autónomo e apoio individualizado - conceitos;- 3 horas 2. O Plano Individual de Trabalho;- 3 horas 3. Instrumentos de pilotagem do trabalho;- 3 horas 4. Ficheiros autocorretivos;-3 horas 5. O papel e o apoio do professor;-3 horas 6. As parcerias entre alunos;-3 horas 7. O planeamento e a avaliação/regulação do trabalho.- 4 horas 8.Avaliação da ação de formação. - 3 horas

Avaliação

A avaliação tem um carácter qualitativo e quantitativo (Despacho n.º 4595/2015). A escala de avaliação é compreendida entre 1 a 10 valores, sendo que a aprovação na oficina de formação dependerá da obtenção de classificação igual ou superior a 5 valores. Escala de avaliação e respetivas menções: • Excelente – de 9 a 10 valores; • Muito Bom – de 8 a 8,9 valores; • Bom – de 6,5 a 7,9 valores; • Regular – de 5 a 6,4 valores; • Insuficiente – de 1 a 4,9 valores. Consideram-se três critérios (2+4+4): • Participação: Pontualidade; Intervenções/Apresentações (Pertinência/Clareza/Nível de reflexão); Empenho/Iniciativa; Cooperação/Partilha (2 valores); • Produção de trabalho/materiais: Adequação/Pertinência (4 valores); • Trabalho Final/Portefólio: Correção Formal (1); Conteúdo (Rigor, Fundamentação, Problematização, Coerência Interna, Apresentação) (1,5); e Aplicação dos conteúdos (1,5) (4 valores)

Bibliografia

Assunção, C. (2011). O Tempo de Estudo Autónomo e a diferenciação pedagógica. Escola Moderna, 42(5), 13-24.Duarte, J. (2012). A prática da avaliação formativa no desenvolvimento de uma regulação individualizada das aprendizagens. Escola Moderna, 40(5), 13-23.Fróis, J. (novembro de 2010). Perplexidades de uma experiência de implementação de Tempo de Estudo Autónomo. O lugar dos nossos textos – Escritos partilhados II.Grave-Resendes, L. & Soares, J. (2002). Diferenciação pedagógica. Universidade aberta.Liberal, J. (2010a). O Plano Individual de trabalho: contributos para a avaliação qualitativa das aprendizagens. Escola Moderna, 37(5), 38-58.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 07-03-2024 (Quinta-feira) 17:45 - 20:45 3:00 Presencial
2 21-03-2024 (Quinta-feira) 17:45 - 21:15 3:30 Online síncrona
3 18-04-2024 (Quinta-feira) 17:45 - 20:45 3:00 Presencial
4 02-05-2024 (Quinta-feira) 17:45 - 21:15 3:30 Online síncrona
5 09-05-2024 (Quinta-feira) 17:45 - 20:45 3:00 Online síncrona
6 16-05-2024 (Quinta-feira) 17:45 - 20:45 3:00 Online síncrona
7 23-05-2024 (Quinta-feira) 17:45 - 20:45 3:00 Presencial
8 06-06-2024 (Quinta-feira) 17:45 - 20:45 3:00 Online síncrona

Ref. 1434/24 Em avaliação

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-121128/23

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 30.0 horas (15.0 horas presenciais + 15.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 21-02-2024

Fim: 20-04-2024

Regime: b-learning

Local: Online

Destinatários

Professores dos grupos 110 e 120

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos grupos 110 e 120. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos grupos 110 e 120.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

A ação surge da urgência em aumentar o nível de literacia do oceano de professores e alunos e permite ultrapassar lacunas e barreiras - falta de formação e de recursos - que impedem a inclusão dos temas do oceano no ensino. Permite dotar os professores com conhecimentos, motivação e ferramentas para, de forma flexível, trabalharem os temas do oceano no currículo do 1º ciclo. Facilita também abordagens interdisciplinares e transversais em domínios de autonomia curricular e a flexibilização do currículo, e em linha com as Estratégias Nacionais da Educação para a Cidadania e de Educação Ambiental.

Objetivos

Espera-se que no final desta ação os formandos consigam: - Compreender a importância de formar uma geração conhecedora, consciente e responsável em relação ao oceano e que valorizará a sua importância para o desenvolvimento de Portugal e para a sustentabilidade do planeta; - Aumentar a motivação e capacidade para incluir os temas do oceano nas aprendizagens essenciais do 1º ciclo e na criação de nos domínios de autonomia curricular com esta temática; - Compreender a complexidade da nossa relação com o oceano e a importância dos ecossistemas e biodiversidade marinhos para a sustentabilidade do planeta e descarbonização da economia; - Identificar os impactos da humanidade no oceano e comportamentos que permitirão agir em prol da sustentabilidade do planeta.

Conteúdos

Distribuição dos conteúdos pela carga horária e pelas diversas tarefas. A oficina de formação será estruturada em sessões online, síncronas (6H), assíncronas (4H), e duas sessões presenciais (5H). Decorrerá alternando momentos de discussão conceptual e de trabalho autónomo ou cooperativo de formulação de propostas e de materiais didáticos a utilizar posteriormente pelos formandos nas suas próprias aulas. A formação deverá ser ministrada com a seguinte ordem de temas e sessões (conjuntas síncronas - S; A distância assíncrona - @D; Presenciais- P).: 1 – S,120 min Introdução ao funcionamento da plataforma Como é o oceano? - Geografia e topografia subaquática; características F.Q. 2 - @D, 170 min Como é o oceano? - Biodiversidade e Ecossistemas marinhos 3 - S, 120 min Como é o oceano? Biodiversidade e Ecossistemas marinhos (conclusão) Porque é importante o oceano? TRABALHO AUTÓNOMO (5H) 4 - @D, 130 min Porque é importante o oceano? Quanto vale o oceano? Quem é o dono do oceano? Porque é especial o mar de Portugal? TRABALHO AUTÓNOMO (5H) 5 - S, 120 min Porque é importante o oceano? Quanto vale o oceano? Como influenciou o oceano a humanidade? Quem é o dono do oceano? Porque é especial o mar de Portugal? TRABALHO AUTÓNOMO (5H) 6 - P, 150 min Como se protege o oceano? O que há por descobrir no oceano? Apresentações de trabalhos e partilha de boas práticas pelos formandos, discussão dos formandos. Avaliação dos trabalhos dos formandos 7 - P, 150 min Apresentações de trabalhos e partilha de boas práticas pelos formandos, discussão dos formandos. Avaliação dos trabalhos dos formandos e de conteúdos através de questionário.

Avaliação

A avaliação será realizada formativamente, através de feedback e da autoavaliação. Serão aplicadas grelhas de avaliação com níveis de desempenho. O trabalho presencial e a distância terão uma ponderação de 40% e serão considerados os seguintes parâmetros: i) participação/colaboração; ii) questionário final. O trabalho autónomo terá uma ponderação de 60%. Os trabalhos partilhados no e-portefólio poderão ser votados através de poll, por todos os formandos, contribuindo para a avaliação final. Será fornecido feedback oral durante as sessões presenciais e feedback escrito aos e-portefólios dos formandos. Em consonância com o Regulamento do CCPFC, de 9 de maio de 2016, a todos os formandos que completem a ação será atribuída uma classificação de acordo com a seguintes escala: Excelente - de 9 a 10 valores; Muito Bom - de 8 a 8,9 valores; Bom - de 6,5 a 7,9 valores; Regular - de 5 a 6,4 valores; Insuficiente - de 1 a 4,9 valores.

Bibliografia

European Commission, 2020. Mission Starfish 2030: Restore our Ocean and Waters. Report of the Mission Board Healthy Oceans, Seas, Coastal and Inland Waters.Fundação Oceano Azul, 2020. Oceano - educar para uma geração azul. Estratégias para integrar a literacia do oceano na educação para a cidadania e no projeto de autonomia e flexibilidade curricular. 3ª Ed.UNESCO. 2022. A New Blue Curriculum. Toolkit for Policy-makers. IOC Manuals and Guides, 90. Paris.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 21-02-2024 (Quarta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
2 28-02-2024 (Quarta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
3 20-03-2024 (Quarta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
4 20-04-2024 (Sábado) 10:00 - 12:30 2:30 Presencial
5 20-04-2024 (Sábado) 14:00 - 16:30 2:30 Presencial

Ref. 13102/23 Em avaliação

Registo de acreditação: ACD05

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 23-11-2023

Fim: 30-11-2023

Regime: e-learning

Local: Online

Formador

Joaquim António Mendes Trovão

Destinatários

Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Escolas Novafoco

Enquadramento

Nos últimos três anos, construímos e implementámos o projeto Laboratório da Era Digital (LED), no enquadramento da iniciativa associada aos ambientes educativos inovadores (AEI). Subjacente ao lema do projeto, KED a KED eu chego ao LED, estava a construção e desenvolvimento de atividades, planeadas em formato de Kit da Era Digital (KED). Os KED eram atividades de aprendizagem inovadoras que privilegiavam a utilização de Recursos Educativos Digitais (RED) nas salas de aula. Desta forma promovemos a utilização desses recursos, mas será esse o único fator a ter em conta quando pretendemos criar um AEI na sala de aula? Depois da experiência vivida no projeto “Laboratório da Era Digital” parece-nos importante mobilizar os professores para a transformação dos Ambientes Educativos Tradicionais (AET) (Cavadas & Correia, 2020), existentes em muitas escolas, no sentido de se renovarem e enquadrarem nos princípios dos Ambientes Educativos Inovadores (AEI) (OECD, 2017). Nesta fase, parece-nos importante criar Laboratórios Educativos Digitais 5.0, transformando os AET em AEI e adaptar não só o conceito de LED para LED 5.0, enquadrando-o na definição de sociedade 5.0 como o próprio lema para “KED a KED construímos o LED”, indo ao encontro do desenvolvimento das competências previstas no Perfil do Aluno à Saída da Escolaridade Obrigatória (ME/DGE, 2017) centrando o aluno num processo de construção do conhecimento. O KED passa a ser um modelo do planeamento dos cenários de aprendizagem assente nas 3 dimensões dos AEI. Ao assumirmos a conceção do modelo enquanto recurso facilitador do planeamento e da transição para os AEI, podemos caminhar para a construção de uma Escola que educa cidadãos para a Sociedade 5.0 e na qual se desenvolvem competências consideradas fundamentais na procura do bem-estar do ser humano, promovendo o quarto princípio dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável: Garantir o acesso à educação inclusiva, de qualidade e equitativa, e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos (BCSD Portugal, n.d.).

Objetivos

Objetivo geral: - Construir um modelo de KED potenciador da mobilização dos professores para a transformação de AET em AEI. Objetivos específicos: - Construir ambientes de aprendizagem flexíveis e diversificados, que permitam a aprendizagem ativa e o envolvimento do aluno; - Proporcionar a criação de cenários de aprendizagem assentes em abordagens de aprendizagem ativas, colaborativas e transdisciplinares; - Promover o recurso a tecnologias digitais facilitadoras da prática pedagógica.

Conteúdos

Serão abordados os seguintes conteúdos: - Significado e características dos cenários de aprendizagem. - Características dos Ambientes Educativos Tradicionais e Ambientes Educativos Inovadores (Cavadas & Correia, 2020) - Os 3 pilares fundamentais dos Ambientes Educativos Inovadores: Espaço, Pedagogia e Tecnologia (Design FILS, 2019a; Novigado project, 2021); - 7 Princípios de Aprendizagem dos Ambientes Educativos Inovadores (OECD, 2017); - 4 Cs Learning Skills (Battelle For Kids, s.d.); - 7 dimensões do programa de liderança para uma educação integral (FESE, 2019); - O Inquérito da OCDE sobre Competências Sociais e Emocionais (OECD, 2021).

Metodologias

A Ação decorrerá em 2 sessões de 3 horas nas quais serão intercalados momentos de apresentação, criação, debate e reflexão. Numa fase inicial será apresentada fundamentação teórica que suporta o KED para posterior apresentação do potencial deste instrumento. Será posteriormente dada uma forte ênfase à aprendizagem ativa e ao trabalho colaborativo, com envolvimento dos participantes envolvidos na criação dos KED, em grupos reduzidos de 3 elementos, através de um trabalho colaborativo e, sempre que possível, transdisciplinar. Depois de construídos os KED, com recurso ao modelo facilitador, estes serão apresentados ao grupo turma, discutidos, melhorados e finalmente partilhados. Durante as sessões serão usados Recursos Educativos Digitais criados através de Ferramentas Digitais, evidenciando-se o potencial pedagógico das mesmas. Será realizada uma avaliação diagnóstica e uma avaliação final dos formandos através de um inquérito criado com a ferramenta Google Formulários.

Bibliografia

- Cavadas, B. & Correia, M. (2020). Conceções dos professores sobre Ambientes Educativos Tradicionais e Ambientes Educativos Inovadores. Rev.Int. de Form. de Professores (RIFP), . 5, 1-21, 2020. https://www.researchgate.net/publication/344047016 - Design FILS (2019). Diretrizes para Formadores de Professores em Salas de Aula Inovadoras. Designing Future Innovative Learning Spaces. Lisboa. http://www.ie.ulisboa.pt/download/output-2-formacao-de-professores-em-salas-de-aula-inovadoras-diretrizes-para-formadores - Design FILS (2019a). Quadro Metodológico para Formações Inovadoras na Sala de Aula. Designing Future Innovative Learning Spaces. Lisboa. http://www.ie.ulisboa.pt/download/output-1-quadro-metodologico-para-formacao-em-salas-de-aula-inovadoras - FESE (2019). Programa de liderança para educação integral (LEI) – Bases teóricas e domínios de ação. Fundação Europeia Sociedade e Educação. Madrid. Recuperado de https://www.wcdleadership.com/site/wpcontent/uploads/Documento-de-Bases-PT.pdf - Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória. Ministério da Educação/ Direção-Geral da Educação. https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/Curriculo/Projeto_Autonomia_e_Flexibilidade/perfil_dos_alunos.pdf - OECD (2017). The OECD Handbook for Innovative Learning Environments. OECD Publishing. https://dx.doi.org/10.1787/9789264277274-en - OECD (2021). Beyond Academic Learning: First Results from the Survey of Social and Emotional Skills. OECD Publishing. Paris. https://doi.org/10.1787/92a11084-en - OECD (2021). Inquérito às competências sociais e emocionais (SSES): Sintra (Portugal). https://cloud.cm-sintra.pt/s/nRwQXg4KnNenKHK - Novigado project (2021). Guidelines in Learning Space Innovations, June 2021. https://fcl.eun.org/documents/10180/6262339/Novigado+Guidelines+PT/d9c8f354-1192-411c-8b07-4b55e4651dc1 - Novigado project (2020). Quadro de referência da aprendizagem ativa, Junho 2020. https://fcl.eun.org/documents/10180/5283670/O2-AL-framework-Summary_PT.pdf


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 23-11-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
2 30-11-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona

Ref. 12801/2023 Em avaliação

Registo de acreditação: ACD04

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 24-05-2023

Fim: 24-05-2023

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária Ferreira Dias (Sala de Reuniões)

Formador

Sara Maria Durães Gartner Velasco

Ana Patrícia Furtado do Canto

Destinatários

Educadores de Infância; Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Escolas Novafoco

Enquadramento

A Natureza das Coisas é uma iniciativa do Programa de Educação Estética e Artística, da Direção-Geral da Educação. Este projeto tem um conjunto de ações para a aprendizagem, cujas tarefas são idealizadas a partir da descoberta do mundo natural. O contacto com a Natureza e com os seus eventos é importante para o desenvolvimento das crianças e para que aprendam a cuidar do meio envolvente. É mediante a experiência direta com o natural e o apelo ao saber sensitivo e conceptual, próprio das áreas da Educação Artística, que se pretende alcançar a compreensão do mundo e dos seus fenómenos. Deste modo, estão planeadas 3 Ações de Formação de Curta Duração, em sequência. A primeira sob a temática das Árvores, a segunda Azul na Natureza e a última com a Geometria na Natureza. As atividades em torno deste projeto partem do observar, investigar, organizar, classificar objetos e padrões da natureza, e assim indicar estratégias para atingir as áreas de conteúdos da Educação Pré-escolar, observando as OCEPE e as Aprendizagens Essenciais, nas diferentes componentes do currículo, do 1.º e 2.º ciclos do ensino básico.

Objetivos

- Reforçar o desenvolvimento da Educação Artística, no âmbito da missão do Programa de Educação Estética e Artística. - Contribuir para os pressupostos doPerfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória e para a convergência e a articulação das várias dimensões do desenvolvimento curricular da Educação Pré-Escolar e das Aprendizagens Essenciais do 1.º e 2.º ciclos do ensino básico. - Desenvolver um conjunto de referentes, através de atividades específicas, que promovam uma pedagogia centrada na pesquisa, na exploração e na experiência do mundo envolvente. - Promover metodologias de ensino inovadoras recorrendo a meios, materiais, dispositivos e instrumentos, com diversidade para favorecer ambientes enriquecedores de aprendizagem. - Produzir práticas pedagógicas inovadoras que valorizem o papel central da Educação Artística, no contexto escolar. - Valorizar o papel da Educação Artística como forte potenciador do desenvolvimento pleno do sujeito e nas relações com os outros.



Ref. 151ACD 2/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD10

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 06-06-2024

Fim: 06-06-2024

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária Ferreira Dias (AE Aqua Alba)

Formador

Nuno David Bossa Pinto Martins

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Escolas Novafoco

Objetivos

- Dotar os participantes de conhecimentos e "ferramentas" para lidarem com os comportamentos das crianças e construírem com elas uma verdadeira equipa.

Conteúdos

- O poder do exemplo - O cérebro em construção - Os erros como oportunidades - Ganhar os miúdos OU ganhar aos miúdos? - Como estamos a educar?  - Métodos educativos tradicionais: que resultados? - Autoritarismo versus permissividade - O modelo "alternativo" da Disciplina Positiva - 5 "ferramentas" poderosas para Educar pela Positiva - Castigo versus consequência - 3 mapas para uma educação mais positiva - De que precisam as crianças?

Metodologias

Método demonstrativo e expositivo.

Modelo

Questionário de Avaliação

Bibliografia

Martins, N. P. (2019). Educar pela Positiva: um guia para pais e educadores. Bertrand Editora.


Observações

No âmbito do Ciclo de Seminários "Re(i)novar Práticas Pedagógicas". Formador: Nuno Pinto Martins. Sessão Presencial: Escola Secundária Ferreira Dias (Agrupamento de Escolas Aqua Alba).

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 06-06-2024 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial

Ref. 135ACD 10/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD06

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 25-05-2024

Fim: 25-05-2024

Regime: Presencial

Local: Centro Lúdico de Massamá

Formador

Joaquim António Mendes Trovão

Destinatários

Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Escolas Novafoco e Câmara Municipal de Sintra

Enquadramento

Proporcionar dinâmicas inovadoras que facilitem, aos docentes, momentos reflexivos e práticos relativos ao Referencial para a Educação Ambiental e para a Sustentabilidade, aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável nºs 4, 7, 11, 12 e 13 e como promover a aquisição de competências sócio emocionais em ambientes educativos inovadores.

Objetivos

• Sensibilizar para a pertinência da educação ambiental e para a sustentabilidade, promovendo ações sobre a importância das fontes de energias alternativas e sustentáveis. • Cooperar com parceiros, numa comunidade de partilha de práticas pedagógicas. • Participar em práticas sustentáveis e amigas do ambiente.

Conteúdos

O Sintra Edu Green Steam, pretende assumir-se como um programa de vertente pedagógica, mobilizador de práticas educativas promotoras da diminuição da pegada ecológica, realizando trabalhos de projeto que deem origem a produtos inovadores, assentes numa cultura da sustentabilidade do planeta. Ao longo do ano, os professores envolvidos irão construir, com os seus alunos, um veículo movido a energia solar cuja eficácia irá ser posta à prova numa demonstração conjunta. Em simultâneo, diferentes grupos de alunos, irão desenvolver um produto tecnológico que irá ser exibido à comunidade educativa. Esta demonstração e mostra de produtos acontecerá, em simultâneo, em dia e local próprio, será um momento de partilha comum, bem como de formação para os intervenientes, uma vez que se pretendem realizar um seminário temático, workshops educativos e partilha de práticas educativas. O projeto, pretende envolver todos os AE do Concelho de Sintra com a dinamização de ações de sensibilização, de formação e de partilha, com os docentes do Concelho. Conta com parceiros de instituições públicas e privadas, especialistas na temática ambiental e sustentabilidade energética, que possam ser uma mais-valia para a concretização dos objetivos propostos.

Metodologias

Palestra, workshop práticas pedagógicas, exposição de produtos tecnológicos, corrida de veículos solares.

Bibliografia

Link para consulta do projeto: https://view.genial.ly/636ff36e839aab0012de6ea5/presentation-apresenta-sintra-edugreen-tech


Observações

Centro de Formação de Escolas Novafoco e Câmara Municipal de Sintra

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 25-05-2024 (Sábado) 10:00 - 13:00 3:00 Presencial
2 25-05-2024 (Sábado) 14:00 - 17:00 3:00 Presencial

Ref. 169ACD 7/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD 14/24

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 23-05-2024

Fim: 23-05-2024

Regime: e-learning

Local: Online

Formador

Ivone Alexandra Martins Patrão

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Escolas Novafoco

Enquadramento

É no reconhecimento dos desafios enfrentados pelos educadores e professores, tanto emocionais quanto físicos, que ações como esta procura equipá-los com estratégias eficazes para preservar o seu bem-estar e qualidade de vida, enquanto exerce a sua profissão. O burnout é uma preocupação crescente no campo educacional, afetando não apenas o desempenho do professor, mas também o ambiente de aprendizagem dos alunos. Compreender os sinais precoces de burnout e cultivar práticas de autocuidado são fundamentais para a sustentabilidade da carreira docente e para o sucesso educacional. Esta ação procura capacitar os educadores e professores de conhecimentos e habilidades práticas para reconhecer, prevenir e lidar com o burlou, ao mesmo tempo em que aprenderão a incorporar o autocuidado na sua rotina diária. Esta ação visão não apenas proteger a saúde mental dos educadores, mas também aprimorar a sua capacidade de oferecer uma educação de qualidade aos alunos.

Objetivos

• Identificar sinais de alarme associados ao stress e burnout; • Discutir 3 estratégias para a promoção do autocuidado.

Conteúdos

 Fatores de risco e proteção em saúde mental na profissão docente;  Sinais de alarme na identificação do stress e burnout na profissão docente;  Análise da eficácia da implementação prática de 3 estratégias para a promoção do autocuidado.

Metodologias

Recurso a metodologias do tipo expositivo, com materiais audiovisuais (vídeos) e metodologias ativas, com estimulação da discussão com base em materiais fornecidos e em trabalho de grupo.

Bibliografia

Patrão, I. e Pimenta, F. (2022). Dê o salto: 10 desafios para ser feliz e produtivo. Lisboa: Pactor


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 23-05-2024 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona

Ref. 174ACD 17/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD17/24

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 23-05-2024

Fim: 23-05-2024

Regime: e-learning

Local: Online

Formador

Ana Carolina Ferreira da Cruz

Teresa Margarida Loureiro Cardoso

Maria Filomena Pestana

Maria Ester Mateus Antunes de Figueiredo

Destinatários

Professores bibliotecários, coordenadores interconcelhios das bibliotecas escolares e outros docentes de vários concelhos envolvidos no programa WEIWE(R)BE

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Escolas Novafoco / Rede Bibliotecas Escolas / Universidade Aberta

Enquadramento

O programa WEIWE(R)BE é uma parceria entre a Rede de Bibliotecas Escolares (RBE) e a Rede Académica Internacional WEIWER®, sediada no LE@D, Laboratório de Educação a Distância e eLearning da Universidade Aberta. Pretende promover, nas escolas, a partir da biblioteca escolar em articulação com a sala de aula, o desenvolvimento de práticas sistemáticas no âmbito de literacias essenciais na sociedade atual, designadamente a literacia digital e literacia da informação, para as quais se afigura de extrema importância continuar a apostar na formação docente. Esta ACD tem o propósito de apoiar os professores bibliotecários e os docentes de diferentes áreas curriculares na implementação do programa WEIWE(R)BE nos seus contextos, proporcionando a exploração de diferentes metodologias e cenários de aprendizagem, com enfoque nas oportunidades e desafios da Inteligência Artificial (IA) na Educação, assim como proporcionando a reflexão conjunta nesse âmbito, com vista à melhoria de práticas e à valorização profissional dos docentes.

Objetivos

• Reconhecer a importância da articulação entre a biblioteca escolar (BE) e a sala de aula, no âmbito da implementação do programa WEIWE(R)BE; Partilhar experiências pedagógicas e cenários de aprendizagem inovadores, conducentes ao aumento dos níveis de literacia; • Capacitar os docentes para o uso responsável e eficaz da Inteligência Artificial (IA) na Educação, identificando oportunidades e desafios e refletindo sobre o possível impacto no processo de ensino e aprendizagem.

Conteúdos

1. Contextualização e Enquadramento: 1.1. O programa WEIWE(R)BE: um contributo para o desenvolvimento de literacias no século XXI na escola; 1.2. Inovação pedagógica: experiências e cenários de aprendizagem 2. Inteligência Artificial (IA) e o futuro da educação: 2.1. Tendências da IA na educação; 2.2. O papel dos professores, dos alunos e das escolas perante a IA na educação; 2.3. Reflexão sobre o impacto da IA na sociedade e na educação.

Metodologias

Esta ACD decorrerá em linha, em modo síncrono, e será um espaço de: - partilha de estratégias pedagógicas que visem o aumento dos níveis de literacia; - reflexão sobre a importância da criação de rotinas de trabalho articulado entre a biblioteca escolar e a sala de aula, que se traduzam em experiências de aprendizagem significativas; - motivação para a utilização, de forma responsável, eficaz, estratégica, crítica e consciente de ferramentas de Inteligência Artificial (IA) em ambiente escolar, concretamente na realização de trabalhos de pesquisa.

Modelo

Questionário de Avaliação

Bibliografia

Bekiaridis, G. (2023). Suplemento ao Quadro DigCompEdu: Definição das aptidões e competências dos educadores em matéria de IA na educação. AI Pioneers - Work Package 3. https://www.tecminho.uminho.pt/storage/app/media/uploaded-files/AIpioneers-suplementoIADigCompEdu%20-PT.pdf Cardoso, T.; Pestana, F.; Cruz, A & Mota, E. (2023). O Programa WEIWE(R)BE no ecossistema da escola digital. In T. Cardoso (Org.) Educação: Saberes em Movimento, Saberes que Movimentam, Volume III, Capítulo 4, pp. 43-55. ARTEMIS Editora. https://doi.org/10.37572/EdArt_2802237744 Cardoso, T. & Pestana, F. (2018). Wikipédia, um recurso educacional aberto? Em Rede - Revista de Educação a Distância, 5 (2), 300-318. http://hdl.handle.net/10400.2/9649 Conde, E.; Mendinhos, I. & Correia, P. (Coord.). (2017) (2.ª edição, revista e aumentada). Aprender com a biblioteca escolar. Rede de Bibliotecas Escolares. https://www.rbe.mec.pt/np4/%7B$clientServletPath%7D/?newsId=99&fileName=referencial_2017.pdf Lucas, M. & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. UA Editora – Universidade de Aveiro. https://ria.ua.pt/handle/10773/24983 Martins, G. (Coord.) (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória. Ministério da Educação/Direção Geral da Educação. https://dge.mec.pt/sites/default/files/Curriculo/Projeto_Autonomia_e_Flexibilidade/perfil_dos_alunos.pdf


Observações

Exclusivamente para professores bibliotecários, coordenadores interconcelhios das bibliotecas escolares e outros docentes de vários concelhos envolvidos no programa WEIWE(R)BE

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 23-05-2024 (Quinta-feira) 14:00 - 17:00 3:00 Online síncrona

Ref. 150ACD 1/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD09

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 11-04-2024

Fim: 11-04-2024

Regime: e-learning

Local: Online

Formador

Ricardo Nuno Lopes Cruz Ferreira

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Escolas Novafoco

Objetivos

– Capacitar os professores as potencialidades da IA generativa. – Divulgar metodologias e estratégias de ensino e aprendizagem com recurso à IA generativa, promotoras do sucesso escolar. – Desenvolver o profissionalismo docente através de abordagens colaborativas com o uso da IA.

Conteúdos

– Metodologias e estratégias de interação com a IAG para adaptar materiais didáticos, com enfoque nas didáticas específicas, adaptação de instrumentos, linguagem, complexidade e formatos variados. – Estratégias de envolvimento dos alunos nos processos de adaptação de materiais didáticos, promovendo a metacognição e a autorregulação. – Apoio da IAG na conceção de materiais e documentação decorrente da prática docente.

Metodologias

– Adaptação de materiais didáticos. – Criação de materiais didáticos em articulação com os alunos. – Demonstração da IAG no apoio a tarefas administrativas.

Bibliografia

Bozkurt, A. (2023). Generative AI, synthetic contents, open educational resources (OER), and open educational practices (OEP): A new front in the openness landscape. Open Praxis, 15(3), 178–184. https://doi.org/10.55982/openpraxis.15.3.579 Holmes, W., Bialik, M., & Fadel, C. (2019). Artificial intelligence in education: Promises and implications for teaching and learning. Centre for Curriculum Redesign. Zhang, P., & Tur, G. (2023). A systematic review of ChatGPT use in K‐12 education. European Journal of Education, ejed.12599. https://doi.org/10.1111/ejed.12599


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 11-04-2024 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona

Ref. 1609/24 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-123171/24

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 11-04-2024

Fim: 14-05-2024

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária Ferreira Dias

Formador

Célia Maria da Costa Baixa

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial, exceto docentes dos Grupos 120, 220 e 330

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial, exceto docentes dos Grupos 120, 220 e 330. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

inclusão deste curso no plano de atividades do centro de formação prende-se com o entendimento de que a prática profissional dos docentes se estende muito para além dos limites de lecionação da sua área disciplinar e da sua escola e o seu âmbito de trabalho e de (auto-)formação se estende a contextos mais alargados que requerem o conhecimento e o domínio da língua inglesa. Por um lado, cada vez mais é pedido aos docentes o domínio de ferramentas digitais cujos procedimentos se encontram em inglês. Por outro, muita informação científica e didática encontra-se em comunidades de partilha digitais internacionais (websites, blogs educativos, fóruns de dúvidas, plataformas de e-learning, MOOCs) para os quais é necessário o conhecimento do inglês. Numa terceira vertente, toda a envolvência do ensino está-se progressivamente a internacionalizar e a oferecer uma variedade de projetos colaborativos entre países: os intercâmbios internacionais, a comunidade e-Twinning, projetos Erasmus +, entre outros, no âmbito dos quais é útil o domínio de noções consolidadas de escrita e de conversação em inglês muito próprias para o contexto educativo. Pretende-se fornecer aos docentes um conjunto de competências linguísticas que permitem usar a língua inglesa com mais confiança numa diversidade de situações que dizem respeito não só à sua experiência pessoal como profissional.

Objetivos

Rever e aplicar competências gramaticais em exercícios de escrita e em rotinas de conversação. - Identificar a linguagem usada em situações de comunicação relacionadas com a prática profissional. - Desenvolver o uso confiante do inglês em diferentes cenários comunicativos relacionados com o trabalho em educação. - Entender a relevância do inglês no caminho da auto-formação e do progresso profissional.

Conteúdos

Módulo 1-Identificação pessoal (6h) -Os verbos to be e have got; -Os verbos like, hate, prefer -Vocabulário: identificação pessoal, atividades de tempos livres; graus de parentesco, adjetivos descritores de caráter e estado de espírito Tópicos de conversação: - fazer a identificação pessoal e descrever o estado de espírito -falar dos amigos, familiares e das suas personalidades - falar sobre hobbies e preferências Tópico de escrita: escrever um perfil pessoal numa plataforma de e-learning. Módulo 2: Rotinas pessoais e de trabalho (6h) -O present simple / o present continuous Vocabulário: - rotinas diárias e de ações que estão a ocorrer - o mundo do trabalho (schedule, weekdays, shifts, part-time, trainee, (un)employment …) - o trabalho em educação (training course, attend, exchange programme, collaborative project, teacher training/development, …) Tópicos de conversação: -descrever rotinas diárias / o que e está a fazer no momento -descrever as suas funções na docência Tópico de escrita: -escrever um email de apresentação profissional (descrevendo brevemente um projeto/uma função de trabalho em que esteja envolvido (coordenador de…, monitor de…) Módulo 3: O trabalho -As estruturas interrogativas -Wh-questions -Yes/No questions Vocabulário relacionado com a atividade científico-pedagógica (research, look up, examine, experiment, reflect,…) Tópico de conversação: -Colocar dúvidas / pedir esclarecimentos Tópico de escrita: elaborar uma breve entrevista sobre a atividade profissional (horário, atividade desenvolvida, etc) Modulo 4: Descrever lugares -Preposições de lugar -O imperativo (para instruções) -Fornecer direções Vocabulário: equipamentos de uma localidade (museum, garage, garden, chemist’s, parking lot, library, archive…) Tópico de conversação: fornecer direções Tópico de escrita: descrever o lugar onde se vive/onde se trabalha Módulo 5: Tecnologia e prática profissional -O past simple e o Present perfect Vocabulário: -equipamentos (computer, mouse, screen, wireless, cable…) -funções/procedimentos (log in/out, register, connect, (un)scroll, …) Tópico de conversação: responder a perguntas sobre uma situação que envolveu uso da tecnologia no decurso da prática profissional Tópico de escrita: descrever o procedimento de subscrição/uso de uma ferramenta digital para uso educativo (plataforma de videoconferência, plataforma de e-learning …) Ao longo do curso serão fornecidos aos formandos websites com informação e exercícios para que possam, em regime de auto-formação, complementar e/ou aprofundar os conteúdos de cada módulo

Metodologias

O desenho este curso tem em conta as particularidades da metodologia do ensino de inglês a adultos com os conteúdos, principalmente os lexicais, direcionados para o contexto específico da educação. A ação decorrerá através de uma metodologia essencialmente prática através da qual será dado um input gramatical e lexical aos formandos para posterior aplicação em situações práticas de escrita e de conversação. Paralelamente os formandos desenvolverão a suas competências através de exercícios de audição e de visionamento de vídeos com falantes a usar o inglês em diversas situações

Avaliação

- Participação / envolvimento nas atividades propostas (qualidade, frequência, cumprimento de prazos) - Relacionamento interpessoal e capacidade de partilha de conhecimentos. - Relatório final individual (exposição e pertinência de pontos de vista, qualidade de argumentação, correção). - Escala de Avaliação 1 a 10.

Bibliografia

Harmer, Jeremy (2015) The Practice of English Language Teaching, Essex: Pearson (5th ed)Lockwood, Helen (2015) Teaching Beginning ESL/EFL and Survive! Clear, Practical Lesson Plans for Teaching Adult Beginners, Essex: Pearson/LongmanVernon, Shelly Ann (2016) ESL Classroom Activities for Teens and Adults. ESL Games, Fluency Activities and Grammar Drills for EFL and ESL Students, CreateSpace Independent Publishing PlatformRoth, Eric, Mark Treston, Robert Glynn (2015) Compelling American Conversations, L.A., California: Chimayo PressRedman, Stuart and Ruth Gairns (2000) Test your English Vocabulary in Use. Pre-Intermediate andIntermediate, Cambridge: Cambridge University Press


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 11-04-2024 (Quinta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Presencial
2 16-04-2024 (Terça-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Presencial
3 18-04-2024 (Quinta-feira) 18:45 - 21:30 2:45 Presencial
4 23-04-2024 (Terça-feira) 18:45 - 21:30 2:45 Presencial
5 30-04-2024 (Terça-feira) 18:45 - 21:30 2:45 Presencial
6 02-05-2024 (Quinta-feira) 18:45 - 21:15 2:30 Presencial
7 07-05-2024 (Terça-feira) 18:45 - 21:30 2:45 Presencial
8 09-05-2024 (Quinta-feira) 18:45 - 21:30 2:45 Presencial
9 14-05-2024 (Terça-feira) 18:45 - 21:30 2:45 Presencial

Ref. 13311/24 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115654/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 11-04-2024

Fim: 28-05-2024

Regime: b-learning

Local: Escola Secundária Ferreira Dias

Formador

Carlota Alexandra da Conceição Brazileiro

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário, de Educação Especial e do grupo de recrutamento 360

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário, de Educação Especial e do grupo de recrutamento 360. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Escolas Novafoco

Enquadramento

O enquadramento legal da educação inclusiva e as orientações sobre a recuperação das aprendizagens constituem um enorme desafio para novas/os práticas pedagógicas, interfaces comunicativas, fundamentos humanistas em que todos são parte do sistema e desenvolvem um diálogo igualitário, um pensamento e uma consciência próprios. Assim, há que criar ambientes seguros e estimulantes nas escolas para que o diálogo, a reflexão e a partilha orientem os agentes educativos para a inclusão. Esta formação procura apoiar a operacionalização de práticas pedagógicas inclusivas para que os alunos sejam melhores aprendentes e o professor melhor ensinante, definindo com maior acuidade as ações bem como as evidências a identificar em contexto de sala de aula. A presente ação insere-se no processo de concretização do Projeto Educação Inclusiva 21-23 e do plano integrado para a recuperação das aprendizagens dos alunos do ensino básico e secundário, Plano 21|23 Escola+.

Objetivos

• Explorar os documentos legislativos (Decreto- Lei n.º 54/2018, Decreto-Lei n.º 55/2018, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Aprendizagens Essenciais) e de apoio à prática letiva de forma integrada, identificando implicações para a organização de práticas mais inclusivas • Aplicar colaborativamente os princípios subjacentes ao desenho universal para a aprendizagem e à abordagem multinível • Planear com intencionalidade estratégica, organizando a dinâmica pedagógica, conciliando as aprendizagens a desenvolver e a diversidade de todos alunos • Conceber instrumentos de suporte à recolha de informação que contribuam para a tomada de decisão. • Consolidar a implementação do ciclo: Avaliar – Planear – Agir - Rever • Produzir e aplicar em contexto de sala de aula instrumentos de avaliação e planificação das aprendizagens • Partilhar experiências facilitadoras do um processo ensino-aprendizagem inclusivo • Explorar colaborativamente práticas educativas inovadoras

Conteúdos

Módulo 1. Impacto das orientações de política educativa nas práticas pedagógicas • Exploração integrada dos documentos de política educativa (Decreto- Lei n.º 54/2018, Decreto-Lei n.º 55/2018, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Aprendizagens Essenciais) Módulo 2. Ambientes educativos inclusivos - opções metodológicas • Práticas de ensino e intervenção diferenciadas, em função do perfil de competências dos alunos • Estratégias de antecipação da diversidade em sala de aula, com recurso a ambientes de aprendizagem flexíveis e centrados no aluno (DUA) Módulo 3. Valorização da diversidade em sala de aula – criação e partilha de recursos • Mecanismos de planeamento e gestão curricular com caráter intencional e estratégico • O que ensinar e porquê, como, quando, com que prioridades, com que meios, com que organização e com que resultados: exercícios práticos Módulo 4. Avaliação formativa enquanto processo regulador do ensino e da aprendizagem • Planificação intencional da avaliação formativa tendo como objetivos melhorar os resultados das aprendizagens e ajustar o processo de ensino

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado pelos formandos.

Bibliografia

DGE (2018), Para uma educação inclusiva: Manual de Apoio à Prática https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/EEspecial/manual_de_apoio_a_pratica.pdf Acesso 02/02/2022Cosme, A., Lima L., Ferreira D., Ferreira N. (2021), Metodologias, métodos e situações de aprendizagem: propostas e estratégias de ação : ensino básico, ensino secundário,1ª ed. - Porto: Porto Editora.European Agency for Special Needs and Inclusive Education (2018), Key Actions for Raising Achievement, Guidance for Teachers and Leaders • Disponível em https://www.european-agency.org/sites/default/files/Key%20Actions%20for%20Raising%20Achievement.pdf Acesso 02/02/2022Fernandes, D. (2021). Para uma Fundamentação e Melhoria das Práticas de Avaliação Pedagógica no Âmbito do Projeto MAIA, Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Acesso 02/02/2022UNESCO (2022). REACHING OUT TO ALL LEARNERS: a resource pack for supporting inclusion and equity in education. Geneva: UNESCO – IBE. Disponível em: http://www.ibe.unesco.org/en/news/reaching-out-all-learners-resource-pack-supporting-inclusion-and-equity-education Acesso em 02/02/2022


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 11-04-2024 (Quinta-feira) 18:45 - 22:05 3:20 Presencial
2 18-04-2024 (Quinta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
3 23-04-2024 (Terça-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
4 02-05-2024 (Quinta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
5 09-05-2024 (Quinta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
6 16-05-2024 (Quinta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
7 23-05-2024 (Quinta-feira) 18:45 - 22:05 3:20 Presencial
8 28-05-2024 (Terça-feira) 18:45 - 22:05 3:20 Presencial

Ref. 163ACD 6A/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD 13

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 5.0 horas

Início: 10-04-2024

Fim: 17-04-2024

Regime: e-learning

Local: Agrupamento de Escolas Queluz-Belas

Formador

Tânia Sofia dos Santos Bogalho Henriques

Destinatários

Educadores de Infância; Professores de todos os grupos de recrutamento

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Escolas Novafoco

Enquadramento

Pertinência da consciencialização da comunidade educativa sobre a implementação de Medidas Seletivas e Adicionais. Relevância da participação ativa da comunidade educacional na troca de experiências e estratégias que promovam a inclusão de todos os alunos nos processos de aprendizagem. Motivação e envolvimento dos docentes em pedagogias cada vez mais diferenciadas e adequadas a todos os alunos. Promover e envolver os docentes em práticas pedagógicas colaborativas.

Objetivos

• Aprofundar conhecimentos sobre Medidas Seletivas e Adicionais consagradas pelo Dec-Lei nº 54/2018, com a redação conferida pela lei nº 116/2019. • Aprofundar conhecimento para a aplicação das Medidas de Suporte à Aprendizagem e Inclusão (MSAI): adaptações curriculares não significativas e significativas. • Refletir sobre práticas pedagógicas com base no Desenho Universal para a Aprendizagem (DUA). • Promover o trabalho colaborativo e o diálogo interdisciplinar

Conteúdos

- As medidas seletivas e a sua abrangência pedagógica de acordo com o art.º 9º do Dec-Lei nº 54/2018 na redação conferida pela Lei nº 116/2019: a) Os percursos curriculares diferenciados; b) As adaptações curriculares não significativas; c) O apoio psicopedagógico; d) A antecipação e o reforço das aprendizagens; e) O apoio tutorial. - As medidas adicionais e a sua abrangência pedagógica de acordo com o art.º 10º do Dec.-Lei nº 54/2018 na redação conferida pela Lei nº 116/2019: a) A frequência do ano de escolaridade por disciplinas; b) As adaptações curriculares significativas; c) O plano individual de transição; d) O desenvolvimento de metodologias e estratégias de ensino estruturado; e) O desenvolvimento de competências de autonomia pessoal e social. - A elaboração do Relatório Técnico-pedagógico e das respetivas Adaptações Curriculares Não Significativas; - A elaboração do Programa Educativo Individual e das respetivas Adaptações Curriculares Significativas.

Metodologias

A ação irá decorrer em duas sessões online distintas de 2h30m cada. Salienta-se os conteúdos pedagógico-científicos serão apresentadas em estreita ligação com os contextos e as vivências profissionais dos participantes. Nos momentos mais expositivos recorre-se à projeção de informação utilizando aplicações informáticas, apresentação multimédia (Imagens, músicas, filmes e apresentações PowerPoint); Dinâmica de trabalhos em pequeno grupo. Promoção de debate e interação entre todos os participantes, formadores e dinamizadores. Ação a decorrer totalmente em via Teams

Bibliografia

Cohen, A., Fradique, J., & Ferreira, N. (2018). Guia da Autonomia e Flexibilidade Curricular (1st ed.). Lisboa: Raiz Editora. Cosme, A. (2018). Autonomia e Flexibilidade Curricular: propostas e estratégias de ação (1st ed.). Porto: Porto Editora. Decreto-Lei n.º 54/2018, 6 de julho de 2018. Diário da República n.º 129/2018, Série I de 2018-07-06. Decreto-Lei n.º 55/2018, 6 de julho de 2018. Diário da República n.º 129/2018, Série I de 2018-07-06. Ferreira, M., (2017). Guia para uma pedagogia diferenciada em contexto de sala de aula – Teoria, práticas e desafios. Coleção de Guias Educacionais. Lisboa: Coisas de Ler. Lopes, J. e Silva, H., (2020). 50 Técnicas de Avaliação Formativa. Pactor. Nunes, C., & Madureira, I. (2015). Desenho universal para a aprendizagem: Construindo práticas pedagógicas inclusivas. Da Investigação às Práticas, 5(2), 126-143. Pereira, F.et al (2018). Para uma Educação Inclusiva: Manual de Apoio à Prática Ministério da Educação/ Direção-Geral da Educação (DGE).


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 10-04-2024 (Quarta-feira) 17:00 - 19:30 2:30 Online síncrona
2 17-04-2024 (Quarta-feira) 17:00 - 19:30 2:30 Online síncrona

Ref. 13713/24 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116863/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 10-04-2024

Fim: 23-05-2024

Regime: b-learning

Local: Escola Secundária Ferreira Dias

Formador

Nuno Sérgio Infante de Passos Sousa

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores da Comissão Europeia (doravante DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 1) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se, assim, criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 1 (A1/A2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (B1/B2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes na utilização significativa de ambientes e ferramentas digitais e definição de estratégias diversificadas de integração destes em contexto educativo; - capacitar os docentes para a implementação de atividades promotoras da aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos.

Conteúdos

1. Documentos enquadradores das políticas educativas atuais associados ao Plano nacional de Transição Digital. 2. Envolvimento profissional: Exploração de opções digitais para colaboração e comunicação institucional e melhoria da prática profissional. 3. Recursos Digitais: Exploração, seleção e adequação de RED ao contexto de aprendizagem. Utilização de RED interativos. 4. Ensino e Aprendizagem: Exploração de estratégias de ensino e de aprendizagem digital. Integração significativa de RED na melhoria de atividades de ensino e aprendizagem. 5. Avaliação das aprendizagens: Exploração de estratégias de avaliação digital. Melhoria das abordagens de avaliação através de soluções digitais. 6. CD dos Alunos: Exploração de estratégias de promoção e uso pedagógico de tecnologias digitais. Utilização de ferramentas e estratégias para suporte ao desenho e implementação de atividades de promoção da CD dos alunos. 7. Planificação de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htmComissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=ENLucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora.Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdfMinistério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 10-04-2024 (Quarta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Presencial
2 15-04-2024 (Segunda-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
3 22-04-2024 (Segunda-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
4 29-04-2024 (Segunda-feira) 18:45 - 22:15 3:30 Online síncrona
5 06-05-2024 (Segunda-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Presencial
6 13-05-2024 (Segunda-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
7 20-05-2024 (Segunda-feira) 18:45 - 22:15 3:30 Online síncrona
8 23-05-2024 (Quinta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Presencial

Ref. 158F/24 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-120964/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 08-04-2024

Fim: 15-05-2024

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária Ferreira Dias

Formador

Maria Joana de Santos Inácio Vicente

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Ensino Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Ensino Especial. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Ensino Especial.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

“O conflito é intrínseco ao ato de viver/conviver, faz parte da nossa história pessoal e social” refere Gaspar (2009, p.115), definição que serve de mote à exploração da temática - Gestão e mediação de conflitos em contexto escolar. Abordar o conflito é abordar a diferença individual e as formas de reação à divergência. As competências exigidas para a gestão e mediação de conflitos implicam esta assunção e a abertura à experimentação da vivência do conflito como algo normativo e subjacente à condição humana. A mediação de conflitos constitui-se como uma técnica de negociação colaborativa que convida a aplicação de competências socioemocionais por parte do mediador, elemento facilitador do processo transformativo do conflito. No contexto educativo, a escola encerra em si a responsabilidade de promover uma cultura de bem-estar e de saúde mental que poderá aliar ações preventivas como a criação de clube de mediadores entre pares. Paralelamente, o desenvolvimento profissional contínuo do docente convida à atualização de práticas educativas em torno da gestão e mediação de conflitos em contexto escolar. A presente ação confere, assim, a possibilidade de reciclar conhecimentos e treinar competências que fomentem práticas colaborativas e dialógicas na gestão e resolução de conflitos em contexto escolar, reforçando o papel do docente como termóstato e facilitador de ambiente reparador e pedagógico.

Objetivos

Com este curso de formação pretende-se desenvolver o debate, a reflexão-ação e o treino de competências que sustentem práticas educativas dialógicas na gestão e mediação de conflitos em contexto escolar. Assim, pretende-se que os formandos possam: • Identificar tipos de conflito, o ciclo do conflito, elementos de análise do conflito e estilos de abordagem ao conflito • Reconhecer técnicas de gestão de conflito e caracterizar a mediação como técnica de negociação colaborativa • Identificar etapas do processo de mediação de conflitos • Treinar competências socioemocionais no contexto da mediação de conflitos em meio escolar

Conteúdos

Conflito e Mediação: da conceção de conflito aos modelos de intervenção disciplinar, mediador e dialógico (15h) • Definição de conflito e dupla visão de conflito • Tipos de conflito e elementos de análise do conflito (pessoa, processo, problema) • O ciclo do conflito: da situação stressora aos sentimentos, comportamentos e (re)ações dos intervenientes • Técnicas de gestão de conflitos: da mediação ao modelo dialógico • Mediação de conflitos: definição, processo e etapas • Estudos de caso e aplicação da técnica de negociação colaborativa As competências socioemocionais na gestão e mediação de conflitos (10h) • As competências e as atitudes do mediador • Estilos de comunicação e escuta ativa • Empatia e autorregulação emocional

Metodologias

Metodologias predominantemente ativas que conduzam à reflexão-ação sobre os conteúdos veiculados. Das metodologias e técnicas ativas destacam-se o brainstorming, estudo de casos, vídeos e exploração de recursos pedagógicos e didáticos, dinâmicas de grupo e tertúlias dialógicas.

Avaliação

Avaliação formativa contínua assente nos critérios de participação, relacionamento interpessoal, realização e participação das atividades e tarefas de aprendizagem. A avaliação final culminará na realização de um relatório final individual que sustente uma reflexão sobre os conteúdos ministrados e sua aplicabilidade na prática docente. Participação: 30% Relacionamento Interpessoal: 20% Tarefas de Aprendizagem: 30% Relatório Final: 20%

Bibliografia

Beer, J. E. & Stief, E. (1997). The mediator’s handbook. (3rd ed.). New Society Publishers.Carita, A. & Fernandes, G. (2012). Indisciplina na sala de aula. (4ªed.). Editorial Presença.Cunha, P. & Leitão, S. (2012). Manual de gestão de construtiva de conflitos. (2ªed). Porto: Edições Universidade Fernando Pessoa.Gaspar, J. (2009). Mediação de conflitos numa escola básica dos 2º e 3º ciclos. In A. Costa e Silva & M. Moreira (Org.), Formação e mediação sócio-educativa: Perspectivas teóricas e práticas (pp.115-121). Porto: Areal Editores.Torrego, J. C. (Coord). (2003). Mediação de conflitos em instituições educativas: Manual para formação de mediadores. Edições Asa.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 08-04-2024 (Segunda-feira) 18:45 - 21:15 2:30 Presencial
2 10-04-2024 (Quarta-feira) 18:45 - 21:15 2:30 Presencial
3 15-04-2024 (Segunda-feira) 18:45 - 21:15 2:30 Presencial
4 17-04-2024 (Quarta-feira) 18:45 - 21:15 2:30 Presencial
5 22-04-2024 (Segunda-feira) 18:45 - 21:15 2:30 Presencial
6 29-04-2024 (Segunda-feira) 18:45 - 21:15 2:30 Presencial
7 08-05-2024 (Quarta-feira) 18:45 - 22:15 3:30 Presencial
8 13-05-2024 (Segunda-feira) 18:45 - 22:15 3:30 Presencial
9 15-05-2024 (Quarta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Presencial

Ref. 163ACD 6B/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD 13

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 5.0 horas

Início: 08-04-2024

Fim: 15-04-2024

Regime: e-learning

Local: Agrupamento de Escolas Queluz-Belas

Formador

Tânia Sofia dos Santos Bogalho Henriques

Destinatários

Educadores de Infância; Professores de todos os grupos de recrutamento

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Escolas Novafoco

Enquadramento

Pertinência da consciencialização da comunidade educativa sobre a implementação de Medidas Seletivas e Adicionais. Relevância da participação ativa da comunidade educacional na troca de experiências e estratégias que promovam a inclusão de todos os alunos nos processos de aprendizagem. Motivação e envolvimento dos docentes em pedagogias cada vez mais diferenciadas e adequadas a todos os alunos. Promover e envolver os docentes em práticas pedagógicas colaborativas.

Objetivos

• Aprofundar conhecimentos sobre Medidas Seletivas e Adicionais consagradas pelo Dec-Lei nº 54/2018, com a redação conferida pela lei nº 116/2019. • Aprofundar conhecimento para a aplicação das Medidas de Suporte à Aprendizagem e Inclusão (MSAI): adaptações curriculares não significativas e significativas. • Refletir sobre práticas pedagógicas com base no Desenho Universal para a Aprendizagem (DUA). • Promover o trabalho colaborativo e o diálogo interdisciplinar

Conteúdos

- As medidas seletivas e a sua abrangência pedagógica de acordo com o art.º 9º do Dec-Lei nº 54/2018 na redação conferida pela Lei nº 116/2019: a) Os percursos curriculares diferenciados; b) As adaptações curriculares não significativas; c) O apoio psicopedagógico; d) A antecipação e o reforço das aprendizagens; e) O apoio tutorial. - As medidas adicionais e a sua abrangência pedagógica de acordo com o art.º 10º do Dec.-Lei nº 54/2018 na redação conferida pela Lei nº 116/2019: a) A frequência do ano de escolaridade por disciplinas; b) As adaptações curriculares significativas; c) O plano individual de transição; d) O desenvolvimento de metodologias e estratégias de ensino estruturado; e) O desenvolvimento de competências de autonomia pessoal e social. - A elaboração do Relatório Técnico-pedagógico e das respetivas Adaptações Curriculares Não Significativas; - A elaboração do Programa Educativo Individual e das respetivas Adaptações Curriculares Significativas.

Metodologias

A ação irá decorrer em duas sessões online distintas de 2h30m cada. Salienta-se os conteúdos pedagógico-científicos serão apresentadas em estreita ligação com os contextos e as vivências profissionais dos participantes. Nos momentos mais expositivos recorre-se à projeção de informação utilizando aplicações informáticas, apresentação multimédia (Imagens, músicas, filmes e apresentações PowerPoint); Dinâmica de trabalhos em pequeno grupo. Promoção de debate e interação entre todos os participantes, formadores e dinamizadores. Ação a decorrer totalmente em via Teams

Bibliografia

Cohen, A., Fradique, J., & Ferreira, N. (2018). Guia da Autonomia e Flexibilidade Curricular (1st ed.). Lisboa: Raiz Editora. Cosme, A. (2018). Autonomia e Flexibilidade Curricular: propostas e estratégias de ação (1st ed.). Porto: Porto Editora. Decreto-Lei n.º 54/2018, 6 de julho de 2018. Diário da República n.º 129/2018, Série I de 2018-07-06. Decreto-Lei n.º 55/2018, 6 de julho de 2018. Diário da República n.º 129/2018, Série I de 2018-07-06. Ferreira, M., (2017). Guia para uma pedagogia diferenciada em contexto de sala de aula – Teoria, práticas e desafios. Coleção de Guias Educacionais. Lisboa: Coisas de Ler. Lopes, J. e Silva, H., (2020). 50 Técnicas de Avaliação Formativa. Pactor. Nunes, C., & Madureira, I. (2015). Desenho universal para a aprendizagem: Construindo práticas pedagógicas inclusivas. Da Investigação às Práticas, 5(2), 126-143. Pereira, F.et al (2018). Para uma Educação Inclusiva: Manual de Apoio à Prática Ministério da Educação/ Direção-Geral da Educação (DGE).


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 08-04-2024 (Segunda-feira) 09:30 - 12:00 2:30 Online síncrona
2 15-04-2024 (Segunda-feira) 09:30 - 12:00 2:30 Online síncrona

Ref. 162ACD5A/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD 12

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 5.0 horas

Início: 12-03-2024

Fim: 19-03-2024

Regime: Presencial

Local: Agrupamento de Escolas Queluz-Belas

Formador

Sílvia Patrícia Antunes Ferreira

Destinatários

Educadores de Infância; Professores de todos os grupos de recrutamento

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Escolas Novafoco

Enquadramento

Pertinência da consciencialização da comunidade educativa sobre a importância da implementação das Medidas Universais e das Adaptações ao Processo de Avaliação enquanto prática de suporte a aprendizagens significativas e inclusivas por e para TODOS os alunos. Relevância da participação ativa da comunidade educativa na troca de experiências e estratégias que promovam a inclusão. Motivação e envolvimento dos docentes em pedagogias cada vez mais diferenciadas e adequadas a todos os alunos. Promover e envolver os docentes em práticas pedagógicas colaborativas.

Objetivos

• Aprofundar conhecimentos sobre o potencial pedagógico das Medidas Universais consagradas pelo Dec. Lei nº 54/2018, com a redação conferida pela lei nº 116/2019. • Aprofundar conhecimentos para a aplicação de Medidas de Suporte à Aprendizagem e Inclusão (MSAI), nomeadamente a diferenciação pedagógica, as acomodações curriculares a as adaptações ao processo de avaliação. • Refletir sobre práticas pedagógicas com base no Desenho Universal para a Aprendizagem (DUA). • Promover o trabalho colaborativo e o diálogo interdisciplinar.

Conteúdos

As medidas universais e a sua abrangência pedagógica de acordo com o art.º 8.º do Dec. Lei n.º 54/2018 na redação conferida pela Lei nº 116/2019: a) Diferenciação Pedagógica; b) As Acomodações Curriculares; c) O Enriquecimento Curricular; d) A Promoção do Comportamento Pró-Social; e) A Intervenção com Foco Académico ou Comportamental em Pequenos Grupos. O Apoio Tutorial Preventivo e Temporário e as Adaptações ao processo de Avaliação

Metodologias

A ação irá decorrer em duas sessões presenciais distintas de 2h30m cada. Salienta-se que os conteúdos pedagógico-científicos serão apresentados em estreita ligação com os contextos e as vivências profissionais dos participantes. Nos momentos mais expositivos recorre-se à projeção utilizando aplicações informáticas: multimédia (imagens, músicas, filmes e apresentações PowerPoint). Dinâmicas de trabalho em pequeno grupo. Promoção de debate e interação entre todos os participantes, formadores e dinamizadores.

Bibliografia

Cohen, A., Fradique, J., & Ferreira, N. (2018). Guia da Autonomia e Flexibilidade Curricular (1st ed.). Lisboa: Raiz Editora. Cosme, A. (2018). Autonomia e Flexibilidade Curricular: propostas e estratégias de ação (1st ed.). Porto: Porto Editora. Decreto-Lei n.º 54/2018, 6 de julho de 2018. Diário da República n.º 129/2018, Série I de 2018-07-06. Decreto-Lei n.º 55/2018, 6 de julho de 2018. Diário da República n.º 129/2018, Série I de 2018-07-06. Ferreira, M., (2017). Guia para uma pedagogia diferenciada em contexto de sala de aula – Teoria, práticas e desafios. Coleção de Guias Educacionais. Lisboa: Coisas de Ler. Lopes, J. e Silva, H., (2020). 50 Técnicas de Avaliação Formativa. Pactor. Nunes, C., & Madureira, I. (2015). Desenho universal para a aprendizagem: Construindo práticas pedagógicas inclusivas. Da Investigação às Práticas, 5(2), 126-143. Pereira, F.et al (2018). Para uma Educação Inclusiva: Manual de Apoio à Prática Ministério da Educação/ Direção-Geral da Educação (DGE).


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 12-03-2024 (Terça-feira) 17:30 - 20:00 2:30 Presencial
2 19-03-2024 (Terça-feira) 17:30 - 20:00 2:30 Presencial

Ref. 155ACD 4B/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD11

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 08-03-2024

Fim: 24-05-2024

Regime: e-learning

Local: Online

Formador

Carla Alexandra Pascoal Frazão

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Escolas Novafoco

Objetivos

Contribuir para a qualificação de professores e outros agentes sócio-educativos com funções chave na escola, para a aplicação do programa “What´sUP_Tu_Decides – Prevenção do uso problemático de Internet e Jogo”, junto dos alunos. Este Programa enquadra-se nos princípios gerais da promoção da literacia para a saúde, com o objetivo geral a promoção de competências associadas com o uso saudável da Internet, e visando especificamente: • Promover informação válida e empiricamente sustentada sobre o que é o uso problemático da internet e do jogo; • Diminuir expectativas de resultados positivos relativas ao uso da internet e jogo; • Desmistificar mitos sobre a internet e jogo; • Fornecer conhecimento sobre a segurança na internet. A presente versão do programa está desenhada para ser aplicada em duas sessões 90 minutos ou 4 sessões de 45 minutos, em função dos horários escolares, vindo a ser realizado em sala de aula.

Conteúdos

o 1.ª Sessão - Enquadramento do programa e preparação da aplicação da 1.ª sessão em turma – exploração de 4 perguntas temáticas: “Tudo o que lê na internet é verdade?”; “No jogo de apostas o que conta mais são as nossas competências/estratégia?”; “Jogar online é o único interesse na internet?”; “uma vez na rede, para sempre na rede?” o 2.ª Sessão - Avaliação da aplicação da 1.ª sessão em sala de aula e preparação da 2.ª sessão de aplicação em turma, através da exploração de 4 perguntas temáticas: “A dependência do jogo online não é uma doença.”; “Estar sempre a mexer nos gadgets pode ter consequências físicas e psicológicas negativas”; “Existe uma diversidade muito grande de videojogos”; "23% das crianças/jovens viveram situações na internet que incomodaram ou perturbaram”. o 3.ª Sessão - Avaliação da aplicação da 2.ª sessão e reflexão síntese da aplicação do programa e perspetiva futura.

Metodologias

Expositiva e participativa, com utilização de brainstorming, dinâmicas de grupo e discussão orientada.


Observações

Os docentes devem exercer funções chave junto das turmas-alvo (diretores de turma, professores de cidadania e desenvolvimento, etc.)

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 08-03-2024 (Sexta-feira) 14:00 - 16:30 2:30 Online síncrona
2 12-04-2024 (Sexta-feira) 14:00 - 16:30 2:30 Online síncrona
3 24-05-2024 (Sexta-feira) 14:00 - 15:00 1:00 Online síncrona

Ref. 149ACD 3/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD08

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 07-03-2024

Fim: 07-03-2024

Regime: e-learning

Local: Online

Formador

Cristina dos Santos Pereira Martins

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Escolas Novafoco

Enquadramento

A realização desta atividade formativa em Português Língua Não Materna, numa região com alta taxa de emigrantes, é essencial para promover a inclusão, facilitar a comunicação, garantir o acesso a oportunidades e promover o sucesso escolar destes alunos.

Objetivos

- Apresentar o conceito de interlíngua; - Identificar áreas linguísticas críticas dos aprendentes de Português Língua Não Materna; - Promover a capacidade de classificação de desvios de produção de aprendentes de Português Língua Não Materna.

Conteúdos

1.     O conceito de interlíngua; 2.     Uma tipologia de áreas linguísticas críticas para aprendentes de Português Língua Não Materna; 3.     Classificação de ocorrências não convergentes com a língua-alvo em produções escritas de aprendentes de Português Língua Não Materna.

Metodologias

O curso interseta o método ativo e expositivo. Prevê-se, por um lado, uma componente expositiva dedicada à apresentação de conceitos básicos (pontos 1 e 2 do programa) e a adoção, por, outro, de uma metodologia ativa, no momento em que o/a formando/a será desafiado/a a aplicar esses conceitos a casos práticos (ponto 3).

Bibliografia

Gonçalves, P. (2007). Pesquisa linguística e ensino do Português L2: Potencialidades das taxonomias de erros. Linguística, 2(1), 61-76. https://ojs.letras.up.pt/index.php/EL/article/view/4018 Martins, C. (2020). Estudos sobre a aquisição/aprendizagem do género nominal por aprendentes de português língua não materna: valências pedagógicas. Quaderns de Filologia: Estudis Lingüístics, 25: 169-184. https://ojs.uv.es/index.php/qfilologia/article/view/19078/16847 Martins, C. (2020). Estudos sobre a aquisição/aprendizagem de preposições por aprendentes do português europeu como língua não materna: valências pedagógicas e limites descritivos. Portuguese Language Journal, 14: 11-27.      https://portugueselanguagejournal.com/index.php/home/article/view/42 Selinker, Larry (1972). Interlanguage. International Review of Applied Linguistics in Language Teaching, 10(3): 209-231. https://www.academia.edu/21533333/Selinker_Interlanguage


Observações

Plataforma para formação (Zoom): disponibilização de link para a realização da sessão. Computador com câmara e microfone.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 07-03-2024 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona

Ref. 155ACD 4A/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD11

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 06-03-2024

Fim: 05-06-2024

Regime: e-learning

Local: Online

Formador

Carla Alexandra Pascoal Frazão

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Escolas Novafoco

Objetivos

Contribuir para a qualificação de professores e outros agentes sócio-educativos com funções chave na escola, para a aplicação do programa “What´sUP_Tu_Decides – Prevenção do uso problemático de Internet e Jogo”, junto dos alunos. Este Programa enquadra-se nos princípios gerais da promoção da literacia para a saúde, com o objetivo geral a promoção de competências associadas com o uso saudável da Internet, e visando especificamente: • Promover informação válida e empiricamente sustentada sobre o que é o uso problemático da internet e do jogo; • Diminuir expectativas de resultados positivos relativas ao uso da internet e jogo; • Desmistificar mitos sobre a internet e jogo; • Fornecer conhecimento sobre a segurança na internet. A presente versão do programa está desenhada para ser aplicada em duas sessões 90 minutos ou 4 sessões de 45 minutos, em função dos horários escolares, vindo a ser realizado em sala de aula.

Conteúdos

o 1.ª Sessão - Enquadramento do programa e preparação da aplicação da 1.ª sessão em turma – exploração de 4 perguntas temáticas: “Tudo o que lê na internet é verdade?”; “No jogo de apostas o que conta mais são as nossas competências/estratégia?”; “Jogar online é o único interesse na internet?”; “uma vez na rede, para sempre na rede?” o 2.ª Sessão - Avaliação da aplicação da 1.ª sessão em sala de aula e preparação da 2.ª sessão de aplicação em turma, através da exploração de 4 perguntas temáticas: “A dependência do jogo online não é uma doença.”; “Estar sempre a mexer nos gadgets pode ter consequências físicas e psicológicas negativas”; “Existe uma diversidade muito grande de videojogos”; "23% das crianças/jovens viveram situações na internet que incomodaram ou perturbaram”. o 3.ª Sessão - Avaliação da aplicação da 2.ª sessão e reflexão síntese da aplicação do programa e perspetiva futura.

Metodologias

Expositiva e participativa, com utilização de brainstorming, dinâmicas de grupo e discussão orientada.


Observações

Os docentes devem exercer funções chave junto das turmas-alvo (diretores de turma, professores de cidadania e desenvolvimento, etc.)

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 06-03-2024 (Quarta-feira) 13:30 - 16:00 2:30 Online síncrona
2 10-04-2024 (Quarta-feira) 10:00 - 12:30 2:30 Online síncrona
3 05-06-2024 (Quarta-feira) 14:00 - 15:00 1:00 Online síncrona

Ref. 12603/23 Concluída

Registo de acreditação: ACD01

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 04-12-2023

Fim: 04-12-2023

Regime: Presencial

Local: Agrup. Escolas Agualva-Mira Sintra - Secundária Matias Aires

Formador

Ricardo Oliveira

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Escolas Novafoco

Objetivos

- Promover uma literacia digital e o combate à desinformação nas salas de aula e nas escolas. - Analisar e avaliar a literacia digital na escola e na sala de aula: orientações concretas para professores. - Incentivar o desenvolvimento de práticas que contribuam para a promoção da literacia digital dos professores e dos alunos. - Fornecer orientações para a criação de um ambiente de aprendizagem propício a ajudar os alunos a adquirir literacia digital e a desenvolver as competências necessárias para se tornarem resilientes à informação errada, à má informação e, em especial, à desinformação.

Conteúdos

1. Desinformação a) Clarificação concetual b) Plano de Ação contra a desinformação 2. Cultura das redes sociais e da partilha 3. Fenómeno “Fake News” 4. Competências de literacia no combate à desinformação 5. Ferramentas digitais para detetar e combater a desinformação 6. Orientações pedagógicas de promoção à literacia digital


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 04-12-2023 (Segunda-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial

Ref. 133H8/23 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115654/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 24-11-2023

Fim: 26-01-2024

Regime: b-learning

Local: Agrupamento de Escolas Massamá

Formador

Ana de Lurdes Videira Sérgio

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário, de Educação Especial e do grupo de recrutamento 360

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário, de Educação Especial e do grupo de recrutamento 360. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Escolas Novafoco

Enquadramento

O enquadramento legal da educação inclusiva e as orientações sobre a recuperação das aprendizagens constituem um enorme desafio para novas/os práticas pedagógicas, interfaces comunicativas, fundamentos humanistas em que todos são parte do sistema e desenvolvem um diálogo igualitário, um pensamento e uma consciência próprios. Assim, há que criar ambientes seguros e estimulantes nas escolas para que o diálogo, a reflexão e a partilha orientem os agentes educativos para a inclusão. Esta formação procura apoiar a operacionalização de práticas pedagógicas inclusivas para que os alunos sejam melhores aprendentes e o professor melhor ensinante, definindo com maior acuidade as ações bem como as evidências a identificar em contexto de sala de aula. A presente ação insere-se no processo de concretização do Projeto Educação Inclusiva 21-23 e do plano integrado para a recuperação das aprendizagens dos alunos do ensino básico e secundário, Plano 21|23 Escola+.

Objetivos

• Explorar os documentos legislativos (Decreto- Lei n.º 54/2018, Decreto-Lei n.º 55/2018, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Aprendizagens Essenciais) e de apoio à prática letiva de forma integrada, identificando implicações para a organização de práticas mais inclusivas • Aplicar colaborativamente os princípios subjacentes ao desenho universal para a aprendizagem e à abordagem multinível • Planear com intencionalidade estratégica, organizando a dinâmica pedagógica, conciliando as aprendizagens a desenvolver e a diversidade de todos alunos • Conceber instrumentos de suporte à recolha de informação que contribuam para a tomada de decisão. • Consolidar a implementação do ciclo: Avaliar – Planear – Agir - Rever • Produzir e aplicar em contexto de sala de aula instrumentos de avaliação e planificação das aprendizagens • Partilhar experiências facilitadoras do um processo ensino-aprendizagem inclusivo • Explorar colaborativamente práticas educativas inovadoras

Conteúdos

Módulo 1. Impacto das orientações de política educativa nas práticas pedagógicas • Exploração integrada dos documentos de política educativa (Decreto- Lei n.º 54/2018, Decreto-Lei n.º 55/2018, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Aprendizagens Essenciais) Módulo 2. Ambientes educativos inclusivos - opções metodológicas • Práticas de ensino e intervenção diferenciadas, em função do perfil de competências dos alunos • Estratégias de antecipação da diversidade em sala de aula, com recurso a ambientes de aprendizagem flexíveis e centrados no aluno (DUA) Módulo 3. Valorização da diversidade em sala de aula – criação e partilha de recursos • Mecanismos de planeamento e gestão curricular com caráter intencional e estratégico • O que ensinar e porquê, como, quando, com que prioridades, com que meios, com que organização e com que resultados: exercícios práticos Módulo 4. Avaliação formativa enquanto processo regulador do ensino e da aprendizagem • Planificação intencional da avaliação formativa tendo como objetivos melhorar os resultados das aprendizagens e ajustar o processo de ensino

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado pelos formandos.

Bibliografia

DGE (2018), Para uma educação inclusiva: Manual de Apoio à Prática https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/EEspecial/manual_de_apoio_a_pratica.pdf Acesso 02/02/2022Cosme, A., Lima L., Ferreira D., Ferreira N. (2021), Metodologias, métodos e situações de aprendizagem: propostas e estratégias de ação : ensino básico, ensino secundário,1ª ed. - Porto: Porto Editora.European Agency for Special Needs and Inclusive Education (2018), Key Actions for Raising Achievement, Guidance for Teachers and Leaders • Disponível em https://www.european-agency.org/sites/default/files/Key%20Actions%20for%20Raising%20Achievement.pdf Acesso 02/02/2022Fernandes, D. (2021). Para uma Fundamentação e Melhoria das Práticas de Avaliação Pedagógica no Âmbito do Projeto MAIA, Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Acesso 02/02/2022UNESCO (2022). REACHING OUT TO ALL LEARNERS: a resource pack for supporting inclusion and equity in education. Geneva: UNESCO – IBE. Disponível em: http://www.ibe.unesco.org/en/news/reaching-out-all-learners-resource-pack-supporting-inclusion-and-equity-education Acesso em 02/02/2022


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 24-11-2023 (Sexta-feira) 18:45 - 22:05 3:20 Presencial
2 04-12-2023 (Segunda-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
3 11-12-2023 (Segunda-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
4 15-12-2023 (Sexta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
5 18-12-2023 (Segunda-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
6 12-01-2024 (Sexta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
7 19-01-2024 (Sexta-feira) 18:45 - 22:05 3:20 Presencial
8 31-01-2024 (Quarta-feira) 18:45 - 22:05 3:20 Presencial

Ref. 134G6/23 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115653/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 20-11-2023

Fim: 14-12-2023

Regime: e-learning

Local: online

Formador

Carlota Alexandra da Conceição Brazileiro

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e grupo de recrutamento 360

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e grupo de recrutamento 360. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Escolas Novafoco

Enquadramento

O enquadramento legal da educação inclusiva e as orientações sobre a recuperação das aprendizagens constituem um enorme desafio para novas práticas inclusivas em sala de aula, bem como novas metodologias que promovam as aprendizagens de todos os alunos. Assim, há que criar ambientes seguros e estimulantes nas escolas para que o diálogo, a reflexão e a partilha desbravem o caminho e orientem todos os agentes educativos para as mudanças a realizar. Esta ação de formação procura contribuir para uma reflexão crítica sobre os desafios da diversidade, bem como apoiar a operacionalização de práticas pedagógicas ajustadas para que os alunos sejam melhores aprendentes e o professor melhor ensinante, definindo com maior acuidade as ações bem como as evidências a identificar em contexto de sala de aula. A presente ação insere-se no processo de concretização do Projeto Educação Inclusiva 21-23 e do plano integrado para a recuperação das aprendizagens dos alunos do ensino básico e secundário, Plano 21|23 Escola+.

Objetivos

Explorar os documentos legislativos (DL n.º 54/2018 e 55/2018, PASEO, Aprend. Essenciais) e de apoio à prática letiva de forma integrada, identificando implicações para a organização de práticas pedagógicas mais inclusivas Consolidar o conhecimento sobre os modelos de enquadramento à operacionalização da educação inclusiva nas suas características essenciais Planear com intencionalidade estratégica, organizando a dinâmica pedagógica, conciliando as aprendizagens a desenvolver e as características de todos alunos (Desenho Universal para a Aprendizagem) Aprofundar o conhecimento sobre metodologias e estratégias pedagógicas inclusivas e inovadoras Consolidar a implementação do ciclo: Avaliar–Planear–Agir– Rever para a inclusão Promover a avaliação como parte integrante da gestão inclusiva do currículo e instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens Reforçar competências de trabalho colaborativo, reflexivo e de resolução de problemas entre os profissionais

Conteúdos

Módulo 1 - Impacto das orientações de política educativa nas práticas pedagógicas • Exploração de documentos legislativos (DL n.º 54/2018, DL n.º 55/2018, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória e Aprendizagens Essenciais) de apoio à prática letiva de forma integrada, destacando-se a reflexão e a análise de práticas sobre: o os valores e princípios de base humanista, onde o aluno assume a centralidade da ação; o a gestão inclusiva, integrada, flexível e articulada do currículo; o o recurso a modelos de intervenção e modelos pedagógicos de resposta à diversidade e de promoção de uma educação de qualidade para todos os alunos; o a valorização da avaliação como parte integrante da gestão do currículo e instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens; o a voz dos alunos e das suas famílias, aumentando os seus níveis de participação. Módulo 2 - Ambientes educativos inclusivos - opções metodológicas • Práticas de ensino e intervenção diferenciadas, em função do perfil de competências dos alunos. • Estratégias de antecipação da diversidade em sala de aula, com recurso a ambientes de aprendizagem flexíveis e centrados no aluno (Desenho Universal para a Aprendizagem). Módulo 3 – Gerir a diversidade em sala de aula • Gestão da diversidade em sala de aula atendendo à participação e aprendizagem efetivas de todos os alunos – partilha de práticas. • Mecanismos de planeamento e gestão curricular com caráter intencional e estratégico, que conciliem as aprendizagens a desenvolver e as características de todos alunos. Módulo 4 – Avaliação como processo regulador do ensino e da aprendizagem • Caráter contínuo e sistemático da avaliação, ao serviço das aprendizagens, enquanto processo regulador do ensino e das aprendizagens. • Planificação intencional da avaliação formativa tendo como objetivos melhorar os resultados das aprendizagens e ajustar o processo de ensino. • O feedback como uma das dimensões indispensáveis à aplicação prática da avaliação formativa na sala de aula.

Metodologias

Nesta formação, em regime de frequência e-learning, serão abordados os conteúdos recorrendo a metodologias ativas de ensino e de aprendizagem. Será privilegiado o trabalho em pequeno e grande grupo com momentos de reflexão e de discussão restrita e alargada. Nas sessões, devem ser definidos tempos de partilha e de reflexão em torno das experiências e das práticas dos formandos, devendo o formador ter um papel ativo na ligação das práticas às políticas educativas de inclusão. Os docentes devem ser desafiados à revisão das suas práticas pedagógicas de acordo com os referenciais normativos em vigor. Elaboração de trabalho/reflexão final individual em função dos interesses e preferências dos formandos.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado pelos formandos.

Bibliografia

DGE (2018), Para uma educação inclusiva: Manual de Apoio à Prática Disponível em https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/EEspecial/manual_de_apoio_a_pratica.pdf Acesso 02/02/2022Cosme, A., Lima L., Ferreira D., Ferreira N., Metodologias, métodos e situações de aprendizagem: propostas e estratégias de ação : ensino básico, ensino secundário,1ª ed. - Porto: Porto Editora, 2021.European Agency for Special Needs and Inclusive Education (2018), Key Actions for Raising Achievement, Guidance for Teachers and Leaders Disponível em https://www.european-agency.org/sites/default/files/Key%20Actions%20for%20Raising%20Achievement.pdf Acesso 02/02/2022Fernandes, D. (2021). Para uma Fundamentação e Melhoria das Práticas de Avaliação Pedagógica no Âmbito do Projeto MAIA, Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Acesso 02/02/2022UNESCO (2022). REACHING OUT TO ALL LEARNERS: a resource pack for supporting inclusion and equity in education. Geneva: UNESCO – IBE. Disponível em: http://www.ibe.unesco.org/en/news/reaching-out-all-learners-resource-pack-supporting-inclusion-and-equity-education.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 20-11-2023 (Segunda-feira) 18:45 - 22:05 3:20 Online síncrona
2 23-11-2023 (Quinta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
3 27-11-2023 (Segunda-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
4 30-11-2023 (Quinta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
5 04-12-2023 (Segunda-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
6 07-12-2023 (Quinta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
7 11-12-2023 (Segunda-feira) 18:45 - 22:05 3:20 Online síncrona
8 14-12-2023 (Quinta-feira) 18:45 - 22:05 3:20 Online síncrona

Ref. 147M1/23 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116213/22

Modalidade: Círculo de Estudos

Duração: 38.0 horas (25.0 horas presenciais)

Início: 17-11-2023

Fim: 18-01-2024

Regime: Presencial

Local: Agrupamento de Escolas Ruy Belo

Formador

Ana de Lurdes Videira Sérgio

Destinatários

Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

No âmbito do Projeto MAIA, e ao longo dos anos letivos de 2019/2020 e 2020/2021, realizaram-se centenas de Oficinas de Formação (OF), que ocorreram em praticamente todos os CFAE e cujo principal produto foi a conceção e a elaboração de um Projeto de Intervenção (PI) no domínio da avaliação pedagógica. Este PI, definia um conjunto de Princípios de Avaliação Pedagógica que enquadrava quer a definição de uma Política de Avaliação, quer a definição de uma Política de Classificação. A ideia que presidiu à elaboração dos PI era a de o concretizar nos AE/ENA dos formandos que os conceberam e elaboraram, tendo em conta as condições concretas de cada instituição, bem como o respetivo Projeto Educativo Como seria expectável, atendendo às condições existentes em cada AE/ENA, há diferentes graus de apropriação dos propósitos do Projeto MAIA e, consequentemente, o mesmo sucede com a concretização e desenvolvimento dos PI. Assim, há dificuldades que têm sido recorrentemente sinalizadas por diversos intervenientes neste processo. Reconheceu-se, assim, a necessidade de se conceber e desenvolver o presente Círculo de Estudos de modo a contribuir para que dificuldades possam ser ultrapassadas e para que as instituições que estão envolvidas neste processo possam concretizar e desenvolver os seus PI. Através desta modalidade de formação, os formandos terão a oportunidade ultrapassar as dificuldades reportadas de através da reflexão e discussão das experiências das suas unidades orgânicas.

Objetivos

• clarificar os conceitos estruturantes que deverão fundamentar e enquadrar os PI. • aprofundar a conceção e a elaboração dos PI. • analisar materiais que possam facilitar a consecução e desenvolvimento dos PI. • produzir materiais que possam facilitar a consecução e desenvolvimento dos PI. • delinear estratégias destinadas a promover a concretização e desenvolvimento dos PI atendendo às condições concretas de cada instituição. • contribuir para integrar os PI no desenvolvimento dos Projetos Educativos das instituições. • desenvolver hábitos de trabalho colaborativo e de reflexão em torno de situações vividas nas escolas, visando melhorar a qualidade do ensino, da aprendizagem e da avaliação. • partilhar ideias, experiências, materiais e métodos que contribuam para a concretização e desenvolvimento dos PI em cada instituição. • conceber uma Ação de Curta Duração visando a criação de uma oportunidade para que os professores possam discutir a consecução e o desenvolvimento dos PI.

Conteúdos

O desenvolvimento deste Círculo de Estudos será baseado no estudo, na discussão e na análise dos seguintes conteúdos principais: • Análise e reflexão acerca do Currículo vigente atualmente em Portugal. • Relações entre o Currículo, a Pedagogia e a Avaliação e suas implicações para a concretização e desenvolvimento dos PI. • Conceitos estruturantes da avaliação pedagógica tais como avaliação formativa, avaliação sumativa, feedback, critério, indicador ou descritor, autoavaliação, avaliação entre pares, avaliação holística, avaliação analítica, processos de recolha de informação e processos de classificação. • Conceção de materiais, processos e estratégias que integrem os conceitos e ideias da avaliação pedagógica e que suscitem a sua utilização nas práticas pedagógicas. • Análise e discussão de PI: reformulação, aprofundamento, ajustamento. • Processos de formação ativa de professores: fundamentos, processos e dinâmicas.

Avaliação

Os formandos serão avaliados utilizando a tabela de 1 a 10 valores, conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, utilizando os parâmetros de avaliação estabelecidos e respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua. A avaliação dos formandos decorre ao longo de todas as sessões com base nas interações que se forem estabelecendo a partir das intervenções realizadas nas suas instituições. Os PI reformulados assim como os Planos de Formação serão objeto de apresentação e discussão nas sessões presenciais e constituirão processos e produtos fundamentais.

Bibliografia

Fernandes, D. (2021). Para uma fundamentação e melhoria das práticas de avaliação pedagógica no âmbito do Projeto MAIA. Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação.Fernandes, D. (2021). Para a Conceção e Elaboração do Projeto de Intervenção no Âmbito do Projeto MAIA. Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação.Fernandes, D. (2021). Para um enquadramento da formação de professores. Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação.Machado, E. A. (2021). Feedback. Folha de apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação.Wenger, E. (1998). Communities of practice: Learning, meaning, and identity. Cambridge University Press.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 17-11-2023 (Sexta-feira) 18:45 - 22:05 3:20 Presencial
2 23-11-2023 (Quinta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Presencial
3 28-11-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Presencial
4 05-12-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Presencial
5 12-12-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Presencial
6 14-12-2023 (Quinta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Presencial
7 15-01-2024 (Segunda-feira) 18:45 - 22:05 3:20 Presencial
8 18-01-2024 (Quinta-feira) 18:45 - 22:05 3:20 Presencial

Ref. 1458A/23 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-121491/23

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 30.0 horas (15.0 horas presenciais + 15.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 06-11-2023

Fim: 06-05-2024

Regime: Presencial

Local: None

Formador

Isabel Maria Soares Justino Ferrúcio Antunes

Destinatários

Educadores de Infância e Professores ds Ensinos Básico, Secundário e de Ensino Especial...

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores ds Ensinos Básico, Secundário e de Ensino Especial.... Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Escolas Novafoco

Enquadramento

No paradigma educacional do século XXI, a biblioteca escolar tem vindo a afirmar-se como um espaço central na escola, implicando-se no processo de ensino e aprendizagem, quer na pro-moção de hábitos e competências de leitura, quer no desenvolvimento de múltiplas literacias, de modo a formar utilizadores críticos e autónomos, ao longo da vida. Para cumprir a sua missão, as bibliotecas escolares devem contribuir para a implementação de práticas pedagógicas inovadoras, em articulação com o currículo, desenvolvendo projetos transdisciplinares capazes de promover a inclusão e o sucesso escolar dos alunos. Torna-se, assim, fundamental apostar na formação contínua dos professores bibliotecários e outros docentes, assumindo-se esta oficina de formação como um espaço de trabalho, refle-xão e partilha que permitirá a todos encontrarem respostas adequadas aos contextos dos seus agrupamentos/escolas. Pretende-se que o trabalho realizado, pelos formandos, contribua para a melhoria da aprendizagem e desempenho dos alunos, nas diferentes literacias e que se reflita na formação integral dos jovens.

Objetivos

1. Refletir sobre o papel da biblioteca escolar, enquanto espaço de aprendizagem na escola, indutor de novas práticas pedagógicas e de uma cultura colaborativa entre os docentes. 2. Promover o desenvolvimento de competências dos formandos face aos atuais desafios da educação, nomeadamente no papel que a biblioteca escolar deve assumir enquanto espaço inovador de aprendizagem, quer no domínio das diferentes literacias, quer no apoio ao currículo. 3. Desenvolver estratégias que promovam o ensino integrado das literacias digitais, da leitura, dos media e da informação através da utilização, criação e partilha de Recursos Educativos de diferentes tipologias. 4. Mobilizar os formandos para a importância do trabalho colaborativo e, da partilha entre pares, em torno do currículo e dos projetos estruturantes dos agrupamentos.

Conteúdos

Sessão 1 - O Plano de ação da biblioteca escolar (3 horas) • Articulação do plano de ação da biblioteca com os documentos de referência e as orientações emanadas pela RBE (Quadro estratégico; Modelo de avaliação da biblioteca escolar; Referencial Aprender com a Biblioteca Escolar; Prioridades 2023-2024); • Atualização do documento “Politica de desenvolvimento da coleção – estrutura e formalização”. Sessão 2 – O Referencial Aprender com a biblioteca escolar (3 horas) • Articulação da biblioteca escolar com diferentes áreas do currículo (Áreas cur-riculares / Áreas transversais) • Planificação de atividades para o desenvolvimento de competências de litera-cia nos domínios da leitura, da informação e dos media Sessões 3 – Curadoria de recursos educativos (3 horas) • seleção de recursos educativos, de acordo com o tema da planificação da ati-vidade Sessões 4 – Criação de recursos educativos digitais (3 horas) • Criação de recursos educativos digitais, de acordo com a planificação elabora-da Sessão 5 – Apresentação dos projetos (3 horas) • Apresentação das planificações criadas e implementadas pelos formandos, em contexto educativo o Identificação de boas práticas o Levantamento de dificuldades/ constrangimentos • Reflexão em torno do papel da biblioteca escolar face aos novos desafios da educação • Identificação de ações de melhoria

Avaliação

Avaliação contínua. Será avaliada a participação dos formandos nas atividades a desenvolver ao longo das sessões teórico-práticas e os trabalhos produzidos, individualmente ou em grupo quer nas sessões presenciais, quer no trabalho autónomo desenvolvido nas escolas. Cada formando deverá realizar uma reflexão individual. Os formandos devem frequentar, pelo menos 2/3 do número de horas da ação. A classificação dos formandos será feita por níveis de desempenho na escala de 1 a 10, com a menção qualitativa de: 1 a 4,9 valores – Insuficiente; 5 a 6,4 valores – Regular; 6,5 a 7,9 valores – Bom; 8 a 8,9 valores – Muito Bom; 9 a 10 valores - Excelente. A avaliação individual dos formados terá em conta os seguintes itens: • Participação : 20%  Participação individual e em grupo (10%)  Realização das tarefas e envolvimento (10%) • Trabalho produzido: 80%  Qualidade, originalidade e nível de adequação pedagógica dos trabalhos (40%)  Apresentação do trabalho final (20%)  Relatório individual (20%)

Bibliografia

Conde, E.; Mendinhos, I; Correia, P. (Coords)(2017). Aprender com a Biblioteca Escolar: Referencial de Aprendizagens Associadas ao Trabalho da Biblioteca Escolar na Educação Pré-Escolar e nos Ensinos Básico e Secundário. Rede de Bibliotecas Escolares. https://www.rbe.mec.pt/np4/%7B$clientServletPath%7D/?newsId=99&fileName=referencial_2017.pdfNunes, M.B. (2018). Bibliotecas escolares: gestão, desenvolvimento e curadoria de coleções na era digital. Rede de Bibliotecas Escolares. https://www.rbe.mec.pt/np4/%7B$clientServletPath%7D/?newsId=682&fileName=__978_989_8795_11_3.pdfRamos, J.L., Teodoro, V.D., & Ferreira, M. J. (2011). Recursos Educativos Digitais: reflexões sobre a prática. Cadernos SACAUSEF VII (pp.11-34). Ministério da Educação e Ciência/DGIDC.Rede Bibliotecas Escolares (2018). Modelo de Avaliação da Biblioteca Escolar. Rede de Bibliotecas Escolares. https://www.rbe.mec.pt/np4/%7B$clientServletPath%7D/?newsId=116&fileName=978_989_8795_09_0Print.pdfRede Bibliotecas Escolares (2021). Professor bibliotecário: um profissional em ação. Rede de Bibliotecas Escola-res.https://www.rbe.mec.pt/np4/%7B$clientServletPath%7D/?newsId=1109&fileName=PB.pdf


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 06-11-2023 (Segunda-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial
2 04-12-2023 (Segunda-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial
3 08-01-2024 (Segunda-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial
4 04-03-2024 (Segunda-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial
5 06-05-2024 (Segunda-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial

Ref. 1458B/23 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-121491/23

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 30.0 horas (15.0 horas presenciais + 15.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 06-11-2023

Fim: 06-05-2024

Regime: Presencial

Local: None

Formador

Isabel Maria Soares Justino Ferrúcio Antunes

Destinatários

Educadores de Infância e Professores ds Ensinos Básico, Secundário e de Ensino Especial...

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores ds Ensinos Básico, Secundário e de Ensino Especial.... Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Escolas Novafoco

Enquadramento

No paradigma educacional do século XXI, a biblioteca escolar tem vindo a afirmar-se como um espaço central na escola, implicando-se no processo de ensino e aprendizagem, quer na pro-moção de hábitos e competências de leitura, quer no desenvolvimento de múltiplas literacias, de modo a formar utilizadores críticos e autónomos, ao longo da vida. Para cumprir a sua missão, as bibliotecas escolares devem contribuir para a implementação de práticas pedagógicas inovadoras, em articulação com o currículo, desenvolvendo projetos transdisciplinares capazes de promover a inclusão e o sucesso escolar dos alunos. Torna-se, assim, fundamental apostar na formação contínua dos professores bibliotecários e outros docentes, assumindo-se esta oficina de formação como um espaço de trabalho, refle-xão e partilha que permitirá a todos encontrarem respostas adequadas aos contextos dos seus agrupamentos/escolas. Pretende-se que o trabalho realizado, pelos formandos, contribua para a melhoria da aprendizagem e desempenho dos alunos, nas diferentes literacias e que se reflita na formação integral dos jovens.

Objetivos

1. Refletir sobre o papel da biblioteca escolar, enquanto espaço de aprendizagem na escola, indutor de novas práticas pedagógicas e de uma cultura colaborativa entre os docentes. 2. Promover o desenvolvimento de competências dos formandos face aos atuais desafios da educação, nomeadamente no papel que a biblioteca escolar deve assumir enquanto espaço inovador de aprendizagem, quer no domínio das diferentes literacias, quer no apoio ao currículo. 3. Desenvolver estratégias que promovam o ensino integrado das literacias digitais, da leitura, dos media e da informação através da utilização, criação e partilha de Recursos Educativos de diferentes tipologias. 4. Mobilizar os formandos para a importância do trabalho colaborativo e, da partilha entre pares, em torno do currículo e dos projetos estruturantes dos agrupamentos.

Conteúdos

Sessão 1 - O Plano de ação da biblioteca escolar (3 horas) • Articulação do plano de ação da biblioteca com os documentos de referência e as orientações emanadas pela RBE (Quadro estratégico; Modelo de avaliação da biblioteca escolar; Referencial Aprender com a Biblioteca Escolar; Prioridades 2023-2024); • Atualização do documento “Politica de desenvolvimento da coleção – estrutura e formalização”. Sessão 2 – O Referencial Aprender com a biblioteca escolar (3 horas) • Articulação da biblioteca escolar com diferentes áreas do currículo (Áreas cur-riculares / Áreas transversais) • Planificação de atividades para o desenvolvimento de competências de litera-cia nos domínios da leitura, da informação e dos media Sessões 3 – Curadoria de recursos educativos (3 horas) • seleção de recursos educativos, de acordo com o tema da planificação da ati-vidade Sessões 4 – Criação de recursos educativos digitais (3 horas) • Criação de recursos educativos digitais, de acordo com a planificação elabora-da Sessão 5 – Apresentação dos projetos (3 horas) • Apresentação das planificações criadas e implementadas pelos formandos, em contexto educativo o Identificação de boas práticas o Levantamento de dificuldades/ constrangimentos • Reflexão em torno do papel da biblioteca escolar face aos novos desafios da educação • Identificação de ações de melhoria

Avaliação

Avaliação contínua. Será avaliada a participação dos formandos nas atividades a desenvolver ao longo das sessões teórico-práticas e os trabalhos produzidos, individualmente ou em grupo quer nas sessões presenciais, quer no trabalho autónomo desenvolvido nas escolas. Cada formando deverá realizar uma reflexão individual. Os formandos devem frequentar, pelo menos 2/3 do número de horas da ação. A classificação dos formandos será feita por níveis de desempenho na escala de 1 a 10, com a menção qualitativa de: 1 a 4,9 valores – Insuficiente; 5 a 6,4 valores – Regular; 6,5 a 7,9 valores – Bom; 8 a 8,9 valores – Muito Bom; 9 a 10 valores - Excelente. A avaliação individual dos formados terá em conta os seguintes itens: • Participação : 20%  Participação individual e em grupo (10%)  Realização das tarefas e envolvimento (10%) • Trabalho produzido: 80%  Qualidade, originalidade e nível de adequação pedagógica dos trabalhos (40%)  Apresentação do trabalho final (20%)  Relatório individual (20%)

Bibliografia

Conde, E.; Mendinhos, I; Correia, P. (Coords)(2017). Aprender com a Biblioteca Escolar: Referencial de Aprendizagens Associadas ao Trabalho da Biblioteca Escolar na Educação Pré-Escolar e nos Ensinos Básico e Secundário. Rede de Bibliotecas Escolares. https://www.rbe.mec.pt/np4/%7B$clientServletPath%7D/?newsId=99&fileName=referencial_2017.pdfNunes, M.B. (2018). Bibliotecas escolares: gestão, desenvolvimento e curadoria de coleções na era digital. Rede de Bibliotecas Escolares. https://www.rbe.mec.pt/np4/%7B$clientServletPath%7D/?newsId=682&fileName=__978_989_8795_11_3.pdfRamos, J.L., Teodoro, V.D., & Ferreira, M. J. (2011). Recursos Educativos Digitais: reflexões sobre a prática. Cadernos SACAUSEF VII (pp.11-34). Ministério da Educação e Ciência/DGIDC.Rede Bibliotecas Escolares (2018). Modelo de Avaliação da Biblioteca Escolar. Rede de Bibliotecas Escolares. https://www.rbe.mec.pt/np4/%7B$clientServletPath%7D/?newsId=116&fileName=978_989_8795_09_0Print.pdfRede Bibliotecas Escolares (2021). Professor bibliotecário: um profissional em ação. Rede de Bibliotecas Escola-res.https://www.rbe.mec.pt/np4/%7B$clientServletPath%7D/?newsId=1109&fileName=PB.pdf


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 06-11-2023 (Segunda-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial
2 04-12-2023 (Segunda-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial
3 08-01-2024 (Segunda-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial
4 04-03-2024 (Segunda-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial
5 06-05-2024 (Segunda-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial

Ref. 134G4/23 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115653/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 18-10-2023

Fim: 30-11-2023

Regime: e-learning

Local: Online

Formador

Rui Miguel Fatela Pires

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e grupo de recrutamento 360

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e grupo de recrutamento 360. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Escolas Novafoco

Enquadramento

O enquadramento legal da educação inclusiva e as orientações sobre a recuperação das aprendizagens constituem um enorme desafio para novas práticas inclusivas em sala de aula, bem como novas metodologias que promovam as aprendizagens de todos os alunos. Assim, há que criar ambientes seguros e estimulantes nas escolas para que o diálogo, a reflexão e a partilha desbravem o caminho e orientem todos os agentes educativos para as mudanças a realizar. Esta ação de formação procura contribuir para uma reflexão crítica sobre os desafios da diversidade, bem como apoiar a operacionalização de práticas pedagógicas ajustadas para que os alunos sejam melhores aprendentes e o professor melhor ensinante, definindo com maior acuidade as ações bem como as evidências a identificar em contexto de sala de aula. A presente ação insere-se no processo de concretização do Projeto Educação Inclusiva 21-23 e do plano integrado para a recuperação das aprendizagens dos alunos do ensino básico e secundário, Plano 21|23 Escola+.

Objetivos

Explorar os documentos legislativos (DL n.º 54/2018 e 55/2018, PASEO, Aprend. Essenciais) e de apoio à prática letiva de forma integrada, identificando implicações para a organização de práticas pedagógicas mais inclusivas Consolidar o conhecimento sobre os modelos de enquadramento à operacionalização da educação inclusiva nas suas características essenciais Planear com intencionalidade estratégica, organizando a dinâmica pedagógica, conciliando as aprendizagens a desenvolver e as características de todos alunos (Desenho Universal para a Aprendizagem) Aprofundar o conhecimento sobre metodologias e estratégias pedagógicas inclusivas e inovadoras Consolidar a implementação do ciclo: Avaliar–Planear–Agir– Rever para a inclusão Promover a avaliação como parte integrante da gestão inclusiva do currículo e instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens Reforçar competências de trabalho colaborativo, reflexivo e de resolução de problemas entre os profissionais

Conteúdos

Módulo 1 - Impacto das orientações de política educativa nas práticas pedagógicas • Exploração de documentos legislativos (DL n.º 54/2018, DL n.º 55/2018, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória e Aprendizagens Essenciais) de apoio à prática letiva de forma integrada, destacando-se a reflexão e a análise de práticas sobre: o os valores e princípios de base humanista, onde o aluno assume a centralidade da ação; o a gestão inclusiva, integrada, flexível e articulada do currículo; o o recurso a modelos de intervenção e modelos pedagógicos de resposta à diversidade e de promoção de uma educação de qualidade para todos os alunos; o a valorização da avaliação como parte integrante da gestão do currículo e instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens; o a voz dos alunos e das suas famílias, aumentando os seus níveis de participação. Módulo 2 - Ambientes educativos inclusivos - opções metodológicas • Práticas de ensino e intervenção diferenciadas, em função do perfil de competências dos alunos. • Estratégias de antecipação da diversidade em sala de aula, com recurso a ambientes de aprendizagem flexíveis e centrados no aluno (Desenho Universal para a Aprendizagem). Módulo 3 – Gerir a diversidade em sala de aula • Gestão da diversidade em sala de aula atendendo à participação e aprendizagem efetivas de todos os alunos – partilha de práticas. • Mecanismos de planeamento e gestão curricular com caráter intencional e estratégico, que conciliem as aprendizagens a desenvolver e as características de todos alunos. Módulo 4 – Avaliação como processo regulador do ensino e da aprendizagem • Caráter contínuo e sistemático da avaliação, ao serviço das aprendizagens, enquanto processo regulador do ensino e das aprendizagens. • Planificação intencional da avaliação formativa tendo como objetivos melhorar os resultados das aprendizagens e ajustar o processo de ensino. • O feedback como uma das dimensões indispensáveis à aplicação prática da avaliação formativa na sala de aula.

Metodologias

Nesta formação, em regime de frequência e-learning, serão abordados os conteúdos recorrendo a metodologias ativas de ensino e de aprendizagem. Será privilegiado o trabalho em pequeno e grande grupo com momentos de reflexão e de discussão restrita e alargada. Nas sessões, devem ser definidos tempos de partilha e de reflexão em torno das experiências e das práticas dos formandos, devendo o formador ter um papel ativo na ligação das práticas às políticas educativas de inclusão. Os docentes devem ser desafiados à revisão das suas práticas pedagógicas de acordo com os referenciais normativos em vigor. Elaboração de trabalho/reflexão final individual em função dos interesses e preferências dos formandos.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado pelos formandos.

Bibliografia

DGE (2018), Para uma educação inclusiva: Manual de Apoio à Prática Disponível em https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/EEspecial/manual_de_apoio_a_pratica.pdf Acesso 02/02/2022Cosme, A., Lima L., Ferreira D., Ferreira N., Metodologias, métodos e situações de aprendizagem: propostas e estratégias de ação : ensino básico, ensino secundário,1ª ed. - Porto: Porto Editora, 2021.European Agency for Special Needs and Inclusive Education (2018), Key Actions for Raising Achievement, Guidance for Teachers and Leaders Disponível em https://www.european-agency.org/sites/default/files/Key%20Actions%20for%20Raising%20Achievement.pdf Acesso 02/02/2022Fernandes, D. (2021). Para uma Fundamentação e Melhoria das Práticas de Avaliação Pedagógica no Âmbito do Projeto MAIA, Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Acesso 02/02/2022UNESCO (2022). REACHING OUT TO ALL LEARNERS: a resource pack for supporting inclusion and equity in education. Geneva: UNESCO – IBE. Disponível em: http://www.ibe.unesco.org/en/news/reaching-out-all-learners-resource-pack-supporting-inclusion-and-equity-education.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 18-10-2023 (Quarta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
2 26-10-2023 (Quinta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
3 02-11-2023 (Quinta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
4 09-11-2023 (Quinta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
5 16-11-2023 (Quinta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
6 23-11-2023 (Quinta-feira) 18:45 - 23:15 4:30 Online síncrona

Ref. 144A2/23 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-120026/23

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 12-10-2023

Fim: 20-03-2024

Regime: Presencial

Local: Online

Formador

Miguel Ângelo Carromeu

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

Num período de alterações profundas em que a Comissão Europeia apresentou o Plano de Ação para a Educação Digital (2021-2027), com o qual se pretende “reconfigurar a educação e a formação para a era digital” (Comissão Europeia, 2020) e à escala nacional se desenvolvem os Planos de Ação de Desenvolvimento Digital das Escolas (PADDE), no âmbito do Plano de Transição Digital (PTD), vive-se o momento considerado oportuno para promover a transição dos Ambientes Educativos Tradicionais (AET) para Ambientes Educativos Inovadores (AEI), nas salas de aula dos agrupamentos pertencentes a este CFAE. Torna-se importante mobilizar outros docentes para a mudança necessária e envolver o maior número de pessoas nessa mudança pois, acreditamos, tal como Freire (1996) “que a História em que me faço com os outros e de cuja feitura tomo parte é um tempo de possibilidades e não de determinismo.” (p. 53). Este envolvimento dos docentes enquanto motores da própria mudança é vital na implementação de uma aprendizagem ativa, enriquecida com tecnologias digitais, em espaços flexíveis que permitam a colaboração, que despertem o interesse e envolvam também os alunos nas atividades inovadoras que lhe são propostas. Pretende-se que não existam laboratórios específicos de aprendizagem inovadora, mas uma tendência de transição dos AET para AEI, que designamos de Laboratórios Educativos Digitais 5.0 (LED 5.0), nos agrupamentos de escolas deste CFAE.

Objetivos

Foram definidos objetivos para cada uma das dimensões dos ambientes educativos inovadores: espaço, pedagogia e tecnologia. Dimensão Objetivos Espaço Empoderar os atores educativos para construir ambientes educativos inovadores, flexíveis e diversificados, que permitam a aprendizagem ativa e o envolvimento do aluno. Pedagogia Formar os atores educativos para a criação de cenários de aprendizagem centrados em metodologias de aprendizagem ativas, colaborativas e interdisciplinares. Tecnologia Formar os atores educativos para a prática pedagógica com recurso a tecnologias digitais.

Conteúdos

Enquadramento teórico: ⮚ Transição para os ambientes educativos inovadores. ⮚ Ambientes educativos inovadores: dimensões e princípios de aprendizagem. ⮚ Espaço (organização, conforto e local) ⮚ Tecnologia (equipamentos digitais, ferramentas digitais e recursos educativos digitais) ⮚ Pedagogia (papel do professor, papel do aluno, práticas pedagógicas e práticas de avaliação) Cenários de aprendizagem ativa: ⮚ Características dos cenários de aprendizagem ativa ⮚ Modelos para a criação de cenários de aprendizagem ativa ⮚ Partilha e discussão dos cenários de aprendizagem ativa criados Trabalho autonomo - 25h Trabalhos de projeto em grupo reduzido (Project-based learning);

Avaliação

Os formandos serão classificados na escala de 1 a 10, do Despacho n.º 4595/2015 de 6 de maio, utilizando os parâmetros de avaliação estabelecidos e respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua, com base em: 1) qualidade da participação e contributo para a dinâmica das sessões; 2) cumprimento dos prazos de realização das atividades de aprendizagem propostas (não presenciais); 3) qualidade da realização dos trabalhos práticos propostos (não presenciais) e reflexão no relatório individual.

Bibliografia

- Baeta, P., & Pedro, N. (2018). Salas de Aula do Futuro: análise das atividades educativas desenvolvidas por professores e alunos. Indagatio Didactica, 10(3), 81-95. https://doi.org/10.34624/id.v10i3.11259- Bannister, D. (2017). Guidelines on Exploring and Adapting – Learning Spaces in Schools. Brussels: European Schoolnet.http://files.eun.org/fcl/Learning_spaces_guidelines_Final.pdf- Barrett, P. S., Zhang, Y., Davies, F., & Barrett, L. C. (2015). Clever classrooms: Summary report of the HEAD project. University of Salford. https://usir.salford.ac.uk/id/eprint/35221- Battelle for Kids (nd). P21 network. https://www.battelleforkids.org/networks/p21- Bento, M. (2018). Equipamentos e recursos educativos digitais para aprender no séc. XXI. In A. Figueiroa & A. Monteiro (Orgs.), Ambientes educativos inovadores e ambientes de aprendizagem para o Século XXI (pp. 28-34). Whitebooks.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 12-10-2023 (Quinta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
2 17-10-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
3 24-10-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
4 07-11-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
5 14-11-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
6 21-11-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
7 28-11-2023 (Terça-feira) 18:45 - 22:15 3:30 Online síncrona
8 20-03-2024 (Quarta-feira) 18:45 - 22:15 3:30 Online síncrona

Ref. 144A3/23 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-120026/23

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 12-10-2023

Fim: 20-03-2024

Regime: Presencial

Local: Online

Formador

Miguel Ângelo Carromeu

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

Num período de alterações profundas em que a Comissão Europeia apresentou o Plano de Ação para a Educação Digital (2021-2027), com o qual se pretende “reconfigurar a educação e a formação para a era digital” (Comissão Europeia, 2020) e à escala nacional se desenvolvem os Planos de Ação de Desenvolvimento Digital das Escolas (PADDE), no âmbito do Plano de Transição Digital (PTD), vive-se o momento considerado oportuno para promover a transição dos Ambientes Educativos Tradicionais (AET) para Ambientes Educativos Inovadores (AEI), nas salas de aula dos agrupamentos pertencentes a este CFAE. Torna-se importante mobilizar outros docentes para a mudança necessária e envolver o maior número de pessoas nessa mudança pois, acreditamos, tal como Freire (1996) “que a História em que me faço com os outros e de cuja feitura tomo parte é um tempo de possibilidades e não de determinismo.” (p. 53). Este envolvimento dos docentes enquanto motores da própria mudança é vital na implementação de uma aprendizagem ativa, enriquecida com tecnologias digitais, em espaços flexíveis que permitam a colaboração, que despertem o interesse e envolvam também os alunos nas atividades inovadoras que lhe são propostas. Pretende-se que não existam laboratórios específicos de aprendizagem inovadora, mas uma tendência de transição dos AET para AEI, que designamos de Laboratórios Educativos Digitais 5.0 (LED 5.0), nos agrupamentos de escolas deste CFAE.

Objetivos

Foram definidos objetivos para cada uma das dimensões dos ambientes educativos inovadores: espaço, pedagogia e tecnologia. Dimensão Objetivos Espaço Empoderar os atores educativos para construir ambientes educativos inovadores, flexíveis e diversificados, que permitam a aprendizagem ativa e o envolvimento do aluno. Pedagogia Formar os atores educativos para a criação de cenários de aprendizagem centrados em metodologias de aprendizagem ativas, colaborativas e interdisciplinares. Tecnologia Formar os atores educativos para a prática pedagógica com recurso a tecnologias digitais.

Conteúdos

Enquadramento teórico: ⮚ Transição para os ambientes educativos inovadores. ⮚ Ambientes educativos inovadores: dimensões e princípios de aprendizagem. ⮚ Espaço (organização, conforto e local) ⮚ Tecnologia (equipamentos digitais, ferramentas digitais e recursos educativos digitais) ⮚ Pedagogia (papel do professor, papel do aluno, práticas pedagógicas e práticas de avaliação) Cenários de aprendizagem ativa: ⮚ Características dos cenários de aprendizagem ativa ⮚ Modelos para a criação de cenários de aprendizagem ativa ⮚ Partilha e discussão dos cenários de aprendizagem ativa criados Trabalho autonomo - 25h Trabalhos de projeto em grupo reduzido (Project-based learning);

Avaliação

Os formandos serão classificados na escala de 1 a 10, do Despacho n.º 4595/2015 de 6 de maio, utilizando os parâmetros de avaliação estabelecidos e respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua, com base em: 1) qualidade da participação e contributo para a dinâmica das sessões; 2) cumprimento dos prazos de realização das atividades de aprendizagem propostas (não presenciais); 3) qualidade da realização dos trabalhos práticos propostos (não presenciais) e reflexão no relatório individual.

Bibliografia

- Baeta, P., & Pedro, N. (2018). Salas de Aula do Futuro: análise das atividades educativas desenvolvidas por professores e alunos. Indagatio Didactica, 10(3), 81-95. https://doi.org/10.34624/id.v10i3.11259- Bannister, D. (2017). Guidelines on Exploring and Adapting – Learning Spaces in Schools. Brussels: European Schoolnet.http://files.eun.org/fcl/Learning_spaces_guidelines_Final.pdf- Barrett, P. S., Zhang, Y., Davies, F., & Barrett, L. C. (2015). Clever classrooms: Summary report of the HEAD project. University of Salford. https://usir.salford.ac.uk/id/eprint/35221- Battelle for Kids (nd). P21 network. https://www.battelleforkids.org/networks/p21- Bento, M. (2018). Equipamentos e recursos educativos digitais para aprender no séc. XXI. In A. Figueiroa & A. Monteiro (Orgs.), Ambientes educativos inovadores e ambientes de aprendizagem para o Século XXI (pp. 28-34). Whitebooks.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 12-10-2023 (Quinta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
2 18-10-2023 (Quarta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
3 26-10-2023 (Quinta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
4 09-11-2023 (Quinta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
5 16-11-2023 (Quinta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
6 23-11-2023 (Quinta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
7 30-11-2023 (Quinta-feira) 18:45 - 22:15 3:30 Online síncrona
8 20-03-2024 (Quarta-feira) 18:45 - 22:15 3:30 Online síncrona

Ref. 137B5/23 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116863/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 11-10-2023

Fim: 29-11-2023

Regime: b-learning

Local: Escola Secundária Ferreira Dias

Formador

Nuno Sérgio Infante de Passos Sousa

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores da Comissão Europeia (doravante DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 1) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se, assim, criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 1 (A1/A2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (B1/B2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes na utilização significativa de ambientes e ferramentas digitais e definição de estratégias diversificadas de integração destes em contexto educativo; - capacitar os docentes para a implementação de atividades promotoras da aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos.

Conteúdos

1. Documentos enquadradores das políticas educativas atuais associados ao Plano nacional de Transição Digital. 2. Envolvimento profissional: Exploração de opções digitais para colaboração e comunicação institucional e melhoria da prática profissional. 3. Recursos Digitais: Exploração, seleção e adequação de RED ao contexto de aprendizagem. Utilização de RED interativos. 4. Ensino e Aprendizagem: Exploração de estratégias de ensino e de aprendizagem digital. Integração significativa de RED na melhoria de atividades de ensino e aprendizagem. 5. Avaliação das aprendizagens: Exploração de estratégias de avaliação digital. Melhoria das abordagens de avaliação através de soluções digitais. 6. CD dos Alunos: Exploração de estratégias de promoção e uso pedagógico de tecnologias digitais. Utilização de ferramentas e estratégias para suporte ao desenho e implementação de atividades de promoção da CD dos alunos. 7. Planificação de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htmComissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=ENLucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora.Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdfMinistério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 11-10-2023 (Quarta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Presencial
2 18-10-2023 (Quarta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
3 25-10-2023 (Quarta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
4 02-11-2023 (Quinta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
5 08-11-2023 (Quarta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Presencial
6 15-11-2023 (Quarta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
7 22-11-2023 (Quarta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
8 28-11-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Presencial

Ref. 133H6/23 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115654/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 09-10-2023

Fim: 06-11-2023

Regime: b-learning

Local: Escola Secundária Ferreira Dias

Formador

Carlota Alexandra da Conceição Brazileiro

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário, de Educação Especial e do grupo de recrutamento 360

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário, de Educação Especial e do grupo de recrutamento 360. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Escolas Novafoco

Enquadramento

O enquadramento legal da educação inclusiva e as orientações sobre a recuperação das aprendizagens constituem um enorme desafio para novas/os práticas pedagógicas, interfaces comunicativas, fundamentos humanistas em que todos são parte do sistema e desenvolvem um diálogo igualitário, um pensamento e uma consciência próprios. Assim, há que criar ambientes seguros e estimulantes nas escolas para que o diálogo, a reflexão e a partilha orientem os agentes educativos para a inclusão. Esta formação procura apoiar a operacionalização de práticas pedagógicas inclusivas para que os alunos sejam melhores aprendentes e o professor melhor ensinante, definindo com maior acuidade as ações bem como as evidências a identificar em contexto de sala de aula. A presente ação insere-se no processo de concretização do Projeto Educação Inclusiva 21-23 e do plano integrado para a recuperação das aprendizagens dos alunos do ensino básico e secundário, Plano 21|23 Escola+.

Objetivos

• Explorar os documentos legislativos (Decreto- Lei n.º 54/2018, Decreto-Lei n.º 55/2018, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Aprendizagens Essenciais) e de apoio à prática letiva de forma integrada, identificando implicações para a organização de práticas mais inclusivas • Aplicar colaborativamente os princípios subjacentes ao desenho universal para a aprendizagem e à abordagem multinível • Planear com intencionalidade estratégica, organizando a dinâmica pedagógica, conciliando as aprendizagens a desenvolver e a diversidade de todos alunos • Conceber instrumentos de suporte à recolha de informação que contribuam para a tomada de decisão. • Consolidar a implementação do ciclo: Avaliar – Planear – Agir - Rever • Produzir e aplicar em contexto de sala de aula instrumentos de avaliação e planificação das aprendizagens • Partilhar experiências facilitadoras do um processo ensino-aprendizagem inclusivo • Explorar colaborativamente práticas educativas inovadoras

Conteúdos

Módulo 1. Impacto das orientações de política educativa nas práticas pedagógicas • Exploração integrada dos documentos de política educativa (Decreto- Lei n.º 54/2018, Decreto-Lei n.º 55/2018, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Aprendizagens Essenciais) Módulo 2. Ambientes educativos inclusivos - opções metodológicas • Práticas de ensino e intervenção diferenciadas, em função do perfil de competências dos alunos • Estratégias de antecipação da diversidade em sala de aula, com recurso a ambientes de aprendizagem flexíveis e centrados no aluno (DUA) Módulo 3. Valorização da diversidade em sala de aula – criação e partilha de recursos • Mecanismos de planeamento e gestão curricular com caráter intencional e estratégico • O que ensinar e porquê, como, quando, com que prioridades, com que meios, com que organização e com que resultados: exercícios práticos Módulo 4. Avaliação formativa enquanto processo regulador do ensino e da aprendizagem • Planificação intencional da avaliação formativa tendo como objetivos melhorar os resultados das aprendizagens e ajustar o processo de ensino

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado pelos formandos.

Bibliografia

DGE (2018), Para uma educação inclusiva: Manual de Apoio à Prática https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/EEspecial/manual_de_apoio_a_pratica.pdf Acesso 02/02/2022Cosme, A., Lima L., Ferreira D., Ferreira N. (2021), Metodologias, métodos e situações de aprendizagem: propostas e estratégias de ação : ensino básico, ensino secundário,1ª ed. - Porto: Porto Editora.European Agency for Special Needs and Inclusive Education (2018), Key Actions for Raising Achievement, Guidance for Teachers and Leaders • Disponível em https://www.european-agency.org/sites/default/files/Key%20Actions%20for%20Raising%20Achievement.pdf Acesso 02/02/2022Fernandes, D. (2021). Para uma Fundamentação e Melhoria das Práticas de Avaliação Pedagógica no Âmbito do Projeto MAIA, Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Acesso 02/02/2022UNESCO (2022). REACHING OUT TO ALL LEARNERS: a resource pack for supporting inclusion and equity in education. Geneva: UNESCO – IBE. Disponível em: http://www.ibe.unesco.org/en/news/reaching-out-all-learners-resource-pack-supporting-inclusion-and-equity-education Acesso em 02/02/2022


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 10-10-2023 (Terça-feira) 18:45 - 22:05 3:20 Presencial
2 16-10-2023 (Segunda-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
3 23-10-2023 (Segunda-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
4 24-10-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
5 30-10-2023 (Segunda-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
6 06-11-2023 (Segunda-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
7 07-12-2023 (Quinta-feira) 18:45 - 22:05 3:20 Presencial
8 13-12-2023 (Quarta-feira) 18:45 - 22:05 3:20 Presencial

Ref. 141I/23 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-119155/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 03-10-2023

Fim: 12-12-2023

Regime: Presencial

Local: Centro de Formação Novafoco

Destinatários

Professores dos Grupos 360, 910, 920 e 930

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 360, 910, 920 e 930. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 360, 910, 920 e 930.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Escolas Novafoco

Enquadramento

As perturbações de comunicação têm origens muito diversas (motora, linguagem e/ou fala e sensorial), sendo que a comunicação aumentativa e alternativa (CAA) surge como um suporte ao desenvolvimento da comunicação, sendo recomendável que se inicie um sistema de CAA o mais cedo possível (Simion, 2014). A utilização de Produtos de Apoio (PA), facilita o acesso a diferentes ambientes, objetos e pessoas, permitindo comunicar e fazer escolhas, chamar à atenção, desenvolver a compreensão e estimular o sistema sensorial. Os PA apresentam-se como uma ferramenta para a inclusão escolar. Através destes, é possível ajudar a diminuir ou anular as barreiras existentes nos contextos escolar e familiar. A utilização de PA no âmbito da CAA, potenciará a interação comunicativa do aluno e consequentemente, o acesso ao processo ensino-aprendizagem (Cook & Polgar, 2008). Em complemento à ação dos CRTIC, que procedem à avaliação das necessidades dos alunos para efeitos de atribuição de PA, as equipas pedagógicas e em particular o docente de educação especial que acompanha o aluno, têm um papel fundamental na implementação dos mesmos. De acordo com o DL54/2018, de 6 julho, a aplicação das medidas seletivas e adicionais prevê a intervenção do docente de educação especial, enquanto dinamizador, articulador e especialista em diferenciação dos meios e materiais de aprendizagem. A sua intervenção constitui-se como um elemento fundamental no que respeita ao desenvolvimento da CAA em alunos com perturbações da fala/linguagem. Assim, importa aprofundar o desenvolvimento das competências destes docentes no que respeita à implementação de sistemas de CAA, de acordo com o perfil de funcionalidade de cada aluno.

Objetivos

1) introduzir conceitos base no âmbito da Comunicação Aumentativa e Alternativa (CAA), Produtos de Apoio e dos Métodos de Acesso ao Computador, de acordo com diferentes problemáticas dos alunos com necessidades específicas de aprendizagem; - (2) conhecer e utilizar diferentes produtos de apoio e software específico, bem como as suas características e potencialidades, no âmbito da CAA e do acesso ao computador; - (3) dominar as funcionalidades básicas de software de CAA: "GRID3", entre outros de acesso livre online (por exemplo, Asterics, Picto Selector, ARASAAC, etc.), criando atividades pedagógicas e utilizando grelhas, fichas, tabelas de comunicação e outras atividades digitais assentes na utilização de sistemas pictográficos, enquanto facilitadores da comunicação, acesso ao currículo e aprendizagem; - (4) partilhar atividades pedagógicas, criadas em função de perfis de funcionalidade de cada aluno.

Conteúdos

1. Definição de Conceitos e Mostra de Produtos de Apoio ................................................................ 4 horas Apresentação, definição de conceitos, mitos associados ao uso de CAA, curva de aprendizagem e apresentação de soluções práticas para a inclusão de alunos com necessidades específicas de aprendizagem com diferentes problemáticas, em sala de aula. 2. Demonstração e usabilidade de Produtos de Apoio...................................................................... 8 horas - Acessibilidade do Windows - Demonstração de diferentes dispositivos/software: * Cadernos de comunicação, Digitalizadores de fala, software para a C.A.A.; *Ecrã tátil/tablet, ratos e teclados adaptados, manípulos, acesso pelo olhar e software de acesso ao computador; * Software gratuito para a construção de recursos educativos; 3. Construção de materiais com utilização de tecnologias de apoio............................................... 10 horas * Construção de atividades pedagógicas em software abordado durante a formação. 4. Avaliação ....................................................................................................................................... 3 horas * Partilha de atividades pedagógicas realizadas durante a formação.

Metodologias

Sessões teórico-práticas, onde se privilegia: - demonstração dos conteúdos apresentados, através da experimentação pelos docentes de diferentes produtos de apoio utilizados na CAA ou através da visualização de vídeos; - construção de atividades pedagógicas em software de CAA, para alunos com diferentes perfis de funcionalidade; - partilha de conhecimentos, experiências e metodologias no âmbito da utilização de produtos de apoio para a CAA.

Avaliação

Todas as sessões são presenciais, com frequência obrigatória em pelo menos 2/3 das sessões. A avaliação será contínua, esperando-se dos formandos uma apresentação de uma atividade pedagógica criada com um software abordado na formação. Relatório individual. Os formandos serão sujeitos, de acordo com a lei, à avaliação quantitativa na escala de 1 a 10

Bibliografia

ASHA (2019). Augmentative and alternative communication. Obtido em 06/06/2019, de https://www.asha.org/PRPSpecificTopic.aspx?folderid=8589942773§ion=OverviewBeukelman, D. (2012). International Encyclopedia of Rehabilitation (file:///C:/Users/C%C3%A1tia/Downloads/Augmentative_and_Alternative_Communication.pdf)Beukelman, D., & Mirenda, P. (2005). Augmentative and alternative communication: supportingchildren and adults with complex communication needs. (3ª ed.) Paul H. Brookes Publishing.Classics in the History of Psychology. Memory: a contribution to experimental psychology from Hermann Ebbinghaus (1885). Obtido em 06/06/2019, de http://psychclassics.yorku.ca/Ebbinghaus/index.htmDecreto-Lei n.º 54/2018 de 6 de julho. Diário da República n.º 129 – 1ª série. Ministério da Educação, republicado pela Lei n.º 116/2019 de 13 de setembro. Diário da República n.º 176 – 1ª série. Ministério da Educação


Observações

Prioritariamente para os Professores dos Agrupamentos de Escolas da Área do Centro de Formação Novafoco.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 03-10-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:15 2:30 Presencial
2 10-10-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:15 2:30 Presencial
3 17-10-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:15 2:30 Presencial
4 24-10-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:15 2:30 Presencial
5 31-10-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:15 2:30 Presencial
6 07-11-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:15 2:30 Presencial
7 14-11-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:15 2:30 Presencial
8 28-11-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:15 2:30 Presencial
9 05-12-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:15 2:30 Presencial
10 12-12-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:15 2:30 Presencial

Ref. 1437B/23 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-121128/23

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 30.0 horas (15.0 horas presenciais + 15.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 03-10-2023

Fim: 18-11-2023

Regime: b-learning

Local: AE Professor Agostinho da Silva

Formador

Joana Rita de Castro Nunes Soares

Marina de Jesus Valentim Duarte

Destinatários

Professores dos grupos 110 e 120

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos grupos 110 e 120. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos grupos 110 e 120.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

A ação surge da urgência em aumentar o nível de literacia do oceano de professores e alunos e permite ultrapassar lacunas e barreiras - falta de formação e de recursos - que impedem a inclusão dos temas do oceano no ensino. Permite dotar os professores com conhecimentos, motivação e ferramentas para, de forma flexível, trabalharem os temas do oceano no currículo do 1º ciclo. Facilita também abordagens interdisciplinares e transversais em domínios de autonomia curricular e a flexibilização do currículo, e em linha com as Estratégias Nacionais da Educação para a Cidadania e de Educação Ambiental.

Objetivos

Espera-se que no final desta ação os formandos consigam: - Compreender a importância de formar uma geração conhecedora, consciente e responsável em relação ao oceano e que valorizará a sua importância para o desenvolvimento de Portugal e para a sustentabilidade do planeta; - Aumentar a motivação e capacidade para incluir os temas do oceano nas aprendizagens essenciais do 1º ciclo e na criação de nos domínios de autonomia curricular com esta temática; - Compreender a complexidade da nossa relação com o oceano e a importância dos ecossistemas e biodiversidade marinhos para a sustentabilidade do planeta e descarbonização da economia; - Identificar os impactos da humanidade no oceano e comportamentos que permitirão agir em prol da sustentabilidade do planeta.

Conteúdos

Distribuição dos conteúdos pela carga horária e pelas diversas tarefas. A oficina de formação será estruturada em sessões online, síncronas (6H), assíncronas (4H), e duas sessões presenciais (5H). Decorrerá alternando momentos de discussão conceptual e de trabalho autónomo ou cooperativo de formulação de propostas e de materiais didáticos a utilizar posteriormente pelos formandos nas suas próprias aulas. A formação deverá ser ministrada com a seguinte ordem de temas e sessões (conjuntas síncronas - S; A distância assíncrona - @D; Presenciais- P).: 1 – S,120 min Introdução ao funcionamento da plataforma Como é o oceano? - Geografia e topografia subaquática; características F.Q. 2 - @D, 170 min Como é o oceano? - Biodiversidade e Ecossistemas marinhos 3 - S, 120 min Como é o oceano? Biodiversidade e Ecossistemas marinhos (conclusão) Porque é importante o oceano? TRABALHO AUTÓNOMO (5H) 4 - @D, 130 min Porque é importante o oceano? Quanto vale o oceano? Quem é o dono do oceano? Porque é especial o mar de Portugal? TRABALHO AUTÓNOMO (5H) 5 - S, 120 min Porque é importante o oceano? Quanto vale o oceano? Como influenciou o oceano a humanidade? Quem é o dono do oceano? Porque é especial o mar de Portugal? TRABALHO AUTÓNOMO (5H) 6 - P, 150 min Como se protege o oceano? O que há por descobrir no oceano? Apresentações de trabalhos e partilha de boas práticas pelos formandos, discussão dos formandos. Avaliação dos trabalhos dos formandos 7 - P, 150 min Apresentações de trabalhos e partilha de boas práticas pelos formandos, discussão dos formandos. Avaliação dos trabalhos dos formandos e de conteúdos através de questionário.

Avaliação

A avaliação será realizada formativamente, através de feedback e da autoavaliação. Serão aplicadas grelhas de avaliação com níveis de desempenho. O trabalho presencial e a distância terão uma ponderação de 40% e serão considerados os seguintes parâmetros: i) participação/colaboração; ii) questionário final. O trabalho autónomo terá uma ponderação de 60%. Os trabalhos partilhados no e-portefólio poderão ser votados através de poll, por todos os formandos, contribuindo para a avaliação final. Será fornecido feedback oral durante as sessões presenciais e feedback escrito aos e-portefólios dos formandos. Em consonância com o Regulamento do CCPFC, de 9 de maio de 2016, a todos os formandos que completem a ação será atribuída uma classificação de acordo com a seguintes escala: Excelente - de 9 a 10 valores; Muito Bom - de 8 a 8,9 valores; Bom - de 6,5 a 7,9 valores; Regular - de 5 a 6,4 valores; Insuficiente - de 1 a 4,9 valores.

Bibliografia

European Commission, 2020. Mission Starfish 2030: Restore our Ocean and Waters. Report of the Mission Board Healthy Oceans, Seas, Coastal and Inland Waters.Fundação Oceano Azul, 2020. Oceano - educar para uma geração azul. Estratégias para integrar a literacia do oceano na educação para a cidadania e no projeto de autonomia e flexibilidade curricular. 3ª Ed.UNESCO. 2022. A New Blue Curriculum. Toolkit for Policy-makers. IOC Manuals and Guides, 90. Paris.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 03-10-2023 (Terça-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
2 09-10-2023 (Segunda-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
3 25-10-2023 (Quarta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
4 18-11-2023 (Sábado) 10:00 - 12:30 2:30 Presencial
5 18-11-2023 (Sábado) 14:00 - 16:30 2:30 Presencial

Ref. 138D2/23 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116862/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 03-10-2023

Fim: 28-11-2023

Regime: b-learning

Local: Agrup. Escolas Agualva-Mira Sintra - Secundária Matias Aires

Formador

Esmeralda Maria Arnelas do Nascimento Barra

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as competências digitais dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 3) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Pretende-se desenvolver com os docentes de nível 3 (C1/C2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e de processos que lhes permita potenciar as suas competências digitais na promoção de estratégias e ações inovadoras na comunidade educativa. São objetivos específicos: - formular estratégias pedagógicas inovadoras e promotoras das CD dos docentes e alunos; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - promover o desenvolvimento de ações que contribuam para os Plano de Ação para o Desenvolvimento Digital das suas escolas; - promover e estimular a reflexão, a partilha e a utilização crítica das tecnologias digitais em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1 e 2. - Exploração de documentos de enquadramento das políticas educativas. - Discussão, renovação e inovação na prática profissional. - Reflexão em torno de conceitos relacionados com escolas, professores e alunos digitalmente competentes. - Utilização das tecnologias digitais na colaboração e inovação pedagógica ao serviço da comunidade educativa. - Estratégias e metodologias relacionadas com o desenvolvimento curricular através de ambientes e ferramentas digitais. - Estratégias digitais de caráter científico-pedagógico promotoras do desenvolvimento profissional dos docentes. - Planeamento de atividades didático-pedagógicas promotoras do desenvolvimento da competência digital dos alunos. - Conceção de Planos de Ação para o Desenvolvimento Digital: conceitos, metodologias de desenvolvimento, implementação, monitorização, avaliação.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htmComissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=ENEU Science Hub (2018). Self-reflection tool for digitally capable schools (SELFIE). Disponível em: https://ec.europa.eu/jrc/en/digcomporg/selfie-toolLucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora.Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 03-10-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Presencial
2 10-10-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:15 2:30 Online síncrona
3 17-10-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:15 2:30 Online síncrona
4 24-10-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Presencial
5 31-10-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:15 2:30 Online síncrona
6 07-11-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:15 2:30 Online síncrona
7 14-11-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:15 2:30 Online síncrona
8 21-11-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Presencial

Ref. 1437A/23 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-121128/23

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 30.0 horas (15.0 horas presenciais + 15.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 02-10-2023

Fim: 18-11-2023

Regime: b-learning

Local: Agrupamento de Escolas Ruy Belo

Formador

Marina de Jesus Valentim Duarte

Joana Rita de Castro Nunes Soares

Destinatários

Professores dos grupos 110 e 120

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos grupos 110 e 120. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos grupos 110 e 120.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

A ação surge da urgência em aumentar o nível de literacia do oceano de professores e alunos e permite ultrapassar lacunas e barreiras - falta de formação e de recursos - que impedem a inclusão dos temas do oceano no ensino. Permite dotar os professores com conhecimentos, motivação e ferramentas para, de forma flexível, trabalharem os temas do oceano no currículo do 1º ciclo. Facilita também abordagens interdisciplinares e transversais em domínios de autonomia curricular e a flexibilização do currículo, e em linha com as Estratégias Nacionais da Educação para a Cidadania e de Educação Ambiental.

Objetivos

Espera-se que no final desta ação os formandos consigam: - Compreender a importância de formar uma geração conhecedora, consciente e responsável em relação ao oceano e que valorizará a sua importância para o desenvolvimento de Portugal e para a sustentabilidade do planeta; - Aumentar a motivação e capacidade para incluir os temas do oceano nas aprendizagens essenciais do 1º ciclo e na criação de nos domínios de autonomia curricular com esta temática; - Compreender a complexidade da nossa relação com o oceano e a importância dos ecossistemas e biodiversidade marinhos para a sustentabilidade do planeta e descarbonização da economia; - Identificar os impactos da humanidade no oceano e comportamentos que permitirão agir em prol da sustentabilidade do planeta.

Conteúdos

Distribuição dos conteúdos pela carga horária e pelas diversas tarefas. A oficina de formação será estruturada em sessões online, síncronas (6H), assíncronas (4H), e duas sessões presenciais (5H). Decorrerá alternando momentos de discussão conceptual e de trabalho autónomo ou cooperativo de formulação de propostas e de materiais didáticos a utilizar posteriormente pelos formandos nas suas próprias aulas. A formação deverá ser ministrada com a seguinte ordem de temas e sessões (conjuntas síncronas - S; A distância assíncrona - @D; Presenciais- P).: 1 – S,120 min Introdução ao funcionamento da plataforma Como é o oceano? - Geografia e topografia subaquática; características F.Q. 2 - @D, 170 min Como é o oceano? - Biodiversidade e Ecossistemas marinhos 3 - S, 120 min Como é o oceano? Biodiversidade e Ecossistemas marinhos (conclusão) Porque é importante o oceano? TRABALHO AUTÓNOMO (5H) 4 - @D, 130 min Porque é importante o oceano? Quanto vale o oceano? Quem é o dono do oceano? Porque é especial o mar de Portugal? TRABALHO AUTÓNOMO (5H) 5 - S, 120 min Porque é importante o oceano? Quanto vale o oceano? Como influenciou o oceano a humanidade? Quem é o dono do oceano? Porque é especial o mar de Portugal? TRABALHO AUTÓNOMO (5H) 6 - P, 150 min Como se protege o oceano? O que há por descobrir no oceano? Apresentações de trabalhos e partilha de boas práticas pelos formandos, discussão dos formandos. Avaliação dos trabalhos dos formandos 7 - P, 150 min Apresentações de trabalhos e partilha de boas práticas pelos formandos, discussão dos formandos. Avaliação dos trabalhos dos formandos e de conteúdos através de questionário.

Avaliação

A avaliação será realizada formativamente, através de feedback e da autoavaliação. Serão aplicadas grelhas de avaliação com níveis de desempenho. O trabalho presencial e a distância terão uma ponderação de 40% e serão considerados os seguintes parâmetros: i) participação/colaboração; ii) questionário final. O trabalho autónomo terá uma ponderação de 60%. Os trabalhos partilhados no e-portefólio poderão ser votados através de poll, por todos os formandos, contribuindo para a avaliação final. Será fornecido feedback oral durante as sessões presenciais e feedback escrito aos e-portefólios dos formandos. Em consonância com o Regulamento do CCPFC, de 9 de maio de 2016, a todos os formandos que completem a ação será atribuída uma classificação de acordo com a seguintes escala: Excelente - de 9 a 10 valores; Muito Bom - de 8 a 8,9 valores; Bom - de 6,5 a 7,9 valores; Regular - de 5 a 6,4 valores; Insuficiente - de 1 a 4,9 valores.

Bibliografia

European Commission, 2020. Mission Starfish 2030: Restore our Ocean and Waters. Report of the Mission Board Healthy Oceans, Seas, Coastal and Inland Waters.Fundação Oceano Azul, 2020. Oceano - educar para uma geração azul. Estratégias para integrar a literacia do oceano na educação para a cidadania e no projeto de autonomia e flexibilidade curricular. 3ª Ed.UNESCO. 2022. A New Blue Curriculum. Toolkit for Policy-makers. IOC Manuals and Guides, 90. Paris.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 03-10-2023 (Terça-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
2 09-10-2023 (Segunda-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
3 25-10-2023 (Quarta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
4 18-11-2023 (Sábado) 10:00 - 12:30 2:30 Presencial
5 18-11-2023 (Sábado) 14:00 - 16:30 2:30 Presencial

Ref. 132E2/23 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116421/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 02-10-2023

Fim: 15-11-2023

Regime: b-learning

Local: Escola Secundária Ferreira Dias

Formador

Maria Joana de Santos Inácio Vicente

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Escolas Novafoco

Enquadramento

Esta ação tem como destinatários os docentes dos agrupamentos envolvidos no projeto Comunidades de Aprendizagem-INCLUD-ED. Este projeto idealizado pelo grupo de pesquisa CREA (Community of Research on Excellence for All, da Universidade de Barcelona) visa a promoção e criação de condições para que as escolas possam vivenciar um projeto de transformação incorporando nos seus espaços uma cultura de comunidade de aprendizagem. A Comunidade de Aprendizagem é um projeto de transformação Educacional e Social que apresenta 6 ações educativas de sucesso (grupos interativos, tertúlias dialógicas literárias, formação de familiares, formação pedagógica dialógica, modelo de prevenção e resolução de conflitos e participação educativa da comunidade).Estas ações educativas de sucesso assentam nos pressupostos concetuais da aprendizagem dialógica e têm por base os diálogos igualitários, as interações em que a inteligência cultural é reconhecida em todas as pessoas e orientada para a transformação dos níveis anteriores de conhecimento e do contexto sociocultural, visando o sucesso de todos. Assente em interações que aumentam a aprendizagem instrumental, favorece a criação de sentido pessoal e social, guiadas por princípios de solidariedade e em que a igualdade e a diferença são valores compatíveis e, mutuamente, enriquecedores (Aubert et al, 2008: p. 167). Espera-se que esta reflexão possa inventariar um conjunto de soluções que visam aproximar as escolas da comunidade.

Objetivos

Com este curso de formação pretende-se proporcionar o debate, a construção e a operacionalização quer de metodologias e técnicas quer de instrumentos, recursos e produtos pedagógicos e/ou didáticos com vista a resolver problemas concretos e devidamente identificados ao nível da escola e/ou da sala de aula. Assim, pretende-se que os formandos possam vivenciar e explorar as potencialidades das ações educativas de sucesso com vista a: 1. Capacitar, os professores, sobre os processos de ensino baseados na aprendizagem dialógica. 2. Capacitar, os professores, sobre as fases de transformação de um contexto educativo em comunidade de aprendizagem. 3. Capacitar, os professores, sobre a importância de uma prática assente em princípios teóricos e concetuais cientificamente fundamentados. 4. Vivenciar e refletir sobre as experiências de colaboração experienciadas que possam suportar a transição de uma cultura individualista para uma cultura de cooperação ao nível do trabalho docente.

Conteúdos

A ação totaliza 25 horas de formação de caráter teórico-prático, em modalidade presencial e à distância. Organiza-se em 8 sessões a partir dos módulos disponibilizados pelo CREA em formato aberto (registado para Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional - CC BY-NC-ND 4.0). 1ª Sessão(3h) Presencial– Bases Científicas das comunidades de aprendizagem e a Aprendizagem dialógica. Apresentação da formação. Módulo 1- Bases científicas das comunidades de aprendizagem 1.1 Introdução às comunidades de aprendizagem; 1.2 A sociedade da informação; 1.3 Bases científicas das comunidades de aprendizagem;1.4 Ações educativas de sucesso. Módulo 2- Aprendizagem dialógica 2.1 Da abordagem individual à comunidade; 2.2 Aprendizagem dialógica; 2.2.1 Diálogo igualitário; 2.2.2 Inteligência cultural; 2.2.3 Transformação; 2.2.4 Dimensão instrumental; 2.2.5 Criação de sentido; 2.2.6 Solidariedade; 2.2.7 Igualdade de diferenças. 2ª Sessão (3h) – Módulo 3–Transformação de um centro educativo numa comunidade de aprendizagem 3.1 Fases de transformação de uma escola em comunidade de aprendizagem; 3.1.1 A sensibilização; 3.1.2 A tomada de decisão; 3.1.3 O sonho; 3.1.4 A seleção de prioridades; 3.1.5 A planificação; 3.2 Organização de uma comunidade de aprendizagem. 3ª Sessão (3h) –Módulo 5 - A multiculturalidade nas comunidades de aprendizagem 5.1 Formas de racismo na convivência; 5.2 A perspetiva comunicativa na igualdade entre as diferenças; 5.3 Diversidade e excelência: ação positiva. 4ª Sessão (3h) –Módulo 6 - Grupos Interativos 6.1 Grupos em sala de aula; 6.1.1 Igualdade de oportunidades no acesso: mistura; 6.1.2 A diversidade a partir da diferença: homogeneização; 6.1.3 Igualdade de oportunidades de acesso e resultados: inclusão; 6.2 Grupos interativos; 6.2.1 Características e funcionamento; 6.2.2 Aprendizagem dialógica em grupos interativos; 6.2.3 O que é e o que não é um grupo interativo; 6.2.4 Impacto dos grupos interativos. Experimentar um grupo interativo. 5ª Sessão (3h) –Módulo 7 - As Tertúlias Dialógicas 7.1 Tertúlias literárias dialógicas; 7.2 Outras tertúlias dialógicas. Experimentar uma tertúlia literária dialógica. 6ª Sessão (3h) – Participação Educativa da Comunidade e o Papel dos voluntários Módulo 8- Participação da comunidade 8.1 Tipos de participação das famílias nas escolas; 8.2 Ações de sucesso na participação educativa da comunidade; 8.2.1 Leitura dialógica; 8.2.2 Extensão do tempo de aprendizagem; 8.2.3 Comissões de trabalho mistas. Módulo 4 – O papel do voluntariado 4.1 Quem são os voluntários, como é que colaboram e o que é que trazem? 4.2 Coordenação e gestão do voluntariado. 7ª Sessão (3h) – Módulo 9 - A Formação de Familiares e Formação Dialógica de Professores 9.1 Formação de familiares; 9.2 Formação dialógica de professores. 8ª Sessão (4h) Presencial– Módulo 10 - Modelo dialógico de Prevenção e Resolução de Conflitos 10.1 Do modelo disciplinar ao modelo dialógico; 10.2 A socialização preventiva da violência de género. Avaliação da ação.

Metodologias

O planeamento dos conteúdos do curso, conforme mencionado anteriormente, totaliza 25 horas de formação de carácter teórico-prático em modalidade presencial e à distância, em que cada formando deve ler toda a documentação científica que faz parte dos módulos correspondentes a cada uma das sessões para que as mesmas possam ser alvo de reflexão e debate, bem como auxiliem na conceção e produção de recursos e produtos pedagógicos para resolver problemas concretos. Existindo essa necessidade as sessões podem, ainda, iniciar ou terminar com uma exposição dos pontos a destacar em cada módulo. Nas sessões 4 e 5 os formandos colocar-se-ão numa situação de experimentação dos conteúdos abordados nessas sessões.

Avaliação

- Avaliação contínua. Participação dos formandos nas atividades a desenvolver ao longo das sessões. - Avaliação dos trabalhos produzidos pelos formandos individualmente ou em grupo. - Relatórios individuais dos formandos. A avaliação expressa-se de acordo com a tabela de 1 a 10 valores, conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 06 de maio e respeitando todos os normativos legais da avaliação contínua de professores.

Bibliografia

Aubert, A., Flecha, A., García, C., Flecha, R., & Racionero, S. (2016). Aprendizagem dialógica na Sociedade da Informação. São Carlos: EdUFSCar.Flecha, R. (1997). Compartiendo palabras. Barcelona: Paidós.Flecha, R. (Ed.). (2015). Successful educational actions for inclusion and social cohesion in Europe. Springer. Valls, R. & Kyriakides, L. (2013). The power of Interactive Groups: how diversity of adults volunteering in classroom groups can promote inclusion and success for children of vulnerable minority ethnic populations. Cambridge Journal of Education, 43 (1), 17-33INCLUD-ED Project (2011). Actuaciones de éxito en las escuelas europeas. Madrid: Ministerio de Educación, IFIIE, European Comission, Estudios CREADE.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 02-10-2023 (Segunda-feira) 18:30 - 22:00 3:30 Presencial
2 11-10-2023 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
3 18-10-2023 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
4 25-10-2023 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
5 30-10-2023 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
6 08-11-2023 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
7 13-11-2023 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
8 15-11-2023 (Quarta-feira) 18:30 - 22:00 3:30 Presencial

Ref. 138D5/23 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116862/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 02-10-2023

Fim: 27-11-2023

Regime: b-learning

Local: Escola Secundária Ferreira Dias

Formador

Ricardo Oliveira

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as competências digitais dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 3) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Pretende-se desenvolver com os docentes de nível 3 (C1/C2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e de processos que lhes permita potenciar as suas competências digitais na promoção de estratégias e ações inovadoras na comunidade educativa. São objetivos específicos: - formular estratégias pedagógicas inovadoras e promotoras das CD dos docentes e alunos; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - promover o desenvolvimento de ações que contribuam para os Plano de Ação para o Desenvolvimento Digital das suas escolas; - promover e estimular a reflexão, a partilha e a utilização crítica das tecnologias digitais em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1 e 2. - Exploração de documentos de enquadramento das políticas educativas. - Discussão, renovação e inovação na prática profissional. - Reflexão em torno de conceitos relacionados com escolas, professores e alunos digitalmente competentes. - Utilização das tecnologias digitais na colaboração e inovação pedagógica ao serviço da comunidade educativa. - Estratégias e metodologias relacionadas com o desenvolvimento curricular através de ambientes e ferramentas digitais. - Estratégias digitais de caráter científico-pedagógico promotoras do desenvolvimento profissional dos docentes. - Planeamento de atividades didático-pedagógicas promotoras do desenvolvimento da competência digital dos alunos. - Conceção de Planos de Ação para o Desenvolvimento Digital: conceitos, metodologias de desenvolvimento, implementação, monitorização, avaliação.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htmComissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=ENEU Science Hub (2018). Self-reflection tool for digitally capable schools (SELFIE). Disponível em: https://ec.europa.eu/jrc/en/digcomporg/selfie-toolLucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora.Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 02-10-2023 (Segunda-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Presencial
2 09-10-2023 (Segunda-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
3 16-10-2023 (Segunda-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
4 30-10-2023 (Segunda-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
5 06-11-2023 (Segunda-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
6 13-11-2023 (Segunda-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
7 20-11-2023 (Segunda-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Presencial
8 27-11-2023 (Segunda-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Presencial

Ref. 138D4/23 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116862/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 30-09-2023

Fim: 25-11-2023

Regime: b-learning

Local: Agrup. Escolas Agualva-Mira Sintra - Secundária Matias Aires

Formador

Adriano Ricardo Rodrigues Ferreira Marques

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as competências digitais dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 3) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Pretende-se desenvolver com os docentes de nível 3 (C1/C2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e de processos que lhes permita potenciar as suas competências digitais na promoção de estratégias e ações inovadoras na comunidade educativa. São objetivos específicos: - formular estratégias pedagógicas inovadoras e promotoras das CD dos docentes e alunos; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - promover o desenvolvimento de ações que contribuam para os Plano de Ação para o Desenvolvimento Digital das suas escolas; - promover e estimular a reflexão, a partilha e a utilização crítica das tecnologias digitais em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1 e 2. - Exploração de documentos de enquadramento das políticas educativas. - Discussão, renovação e inovação na prática profissional. - Reflexão em torno de conceitos relacionados com escolas, professores e alunos digitalmente competentes. - Utilização das tecnologias digitais na colaboração e inovação pedagógica ao serviço da comunidade educativa. - Estratégias e metodologias relacionadas com o desenvolvimento curricular através de ambientes e ferramentas digitais. - Estratégias digitais de caráter científico-pedagógico promotoras do desenvolvimento profissional dos docentes. - Planeamento de atividades didático-pedagógicas promotoras do desenvolvimento da competência digital dos alunos. - Conceção de Planos de Ação para o Desenvolvimento Digital: conceitos, metodologias de desenvolvimento, implementação, monitorização, avaliação.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htmComissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=ENEU Science Hub (2018). Self-reflection tool for digitally capable schools (SELFIE). Disponível em: https://ec.europa.eu/jrc/en/digcomporg/selfie-toolLucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora.Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 30-09-2023 (Sábado) 09:00 - 13:00 4:00 Presencial
2 07-10-2023 (Sábado) 09:00 - 12:00 3:00 Online síncrona
3 14-10-2023 (Sábado) 09:00 - 12:00 3:00 Online síncrona
4 21-10-2023 (Sábado) 09:00 - 13:00 4:00 Presencial
5 28-10-2023 (Sábado) 09:00 - 12:00 3:00 Online síncrona
6 04-11-2023 (Sábado) 09:00 - 12:00 3:00 Online síncrona
7 11-11-2023 (Sábado) 09:00 - 12:00 3:00 Online síncrona
8 25-11-2023 (Sábado) 09:00 - 13:00 4:00 Presencial

Ref. 138D3/23 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116862/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 28-09-2023

Fim: 23-11-2023

Regime: b-learning

Local: Escola Secundária Ferreira Dias

Formador

Ricardo Oliveira

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as competências digitais dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 3) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Pretende-se desenvolver com os docentes de nível 3 (C1/C2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e de processos que lhes permita potenciar as suas competências digitais na promoção de estratégias e ações inovadoras na comunidade educativa. São objetivos específicos: - formular estratégias pedagógicas inovadoras e promotoras das CD dos docentes e alunos; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - promover o desenvolvimento de ações que contribuam para os Plano de Ação para o Desenvolvimento Digital das suas escolas; - promover e estimular a reflexão, a partilha e a utilização crítica das tecnologias digitais em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1 e 2. - Exploração de documentos de enquadramento das políticas educativas. - Discussão, renovação e inovação na prática profissional. - Reflexão em torno de conceitos relacionados com escolas, professores e alunos digitalmente competentes. - Utilização das tecnologias digitais na colaboração e inovação pedagógica ao serviço da comunidade educativa. - Estratégias e metodologias relacionadas com o desenvolvimento curricular através de ambientes e ferramentas digitais. - Estratégias digitais de caráter científico-pedagógico promotoras do desenvolvimento profissional dos docentes. - Planeamento de atividades didático-pedagógicas promotoras do desenvolvimento da competência digital dos alunos. - Conceção de Planos de Ação para o Desenvolvimento Digital: conceitos, metodologias de desenvolvimento, implementação, monitorização, avaliação.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htmComissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=ENEU Science Hub (2018). Self-reflection tool for digitally capable schools (SELFIE). Disponível em: https://ec.europa.eu/jrc/en/digcomporg/selfie-toolLucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora.Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 28-09-2023 (Quinta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Presencial
2 12-10-2023 (Quinta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
3 19-10-2023 (Quinta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
4 26-10-2023 (Quinta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
5 02-11-2023 (Quinta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
6 09-11-2023 (Quinta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
7 16-11-2023 (Quinta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Presencial
8 23-11-2023 (Quinta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Presencial

Ref. 137B4/23 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116863/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 26-09-2023

Fim: 28-11-2023

Regime: b-learning

Local: Escola Secundária Ferreira Dias

Formador

Marco Ivo Brandão de Sousa Marques Lobato

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores da Comissão Europeia (doravante DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 1) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se, assim, criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 1 (A1/A2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (B1/B2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes na utilização significativa de ambientes e ferramentas digitais e definição de estratégias diversificadas de integração destes em contexto educativo; - capacitar os docentes para a implementação de atividades promotoras da aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos.

Conteúdos

1. Documentos enquadradores das políticas educativas atuais associados ao Plano nacional de Transição Digital. 2. Envolvimento profissional: Exploração de opções digitais para colaboração e comunicação institucional e melhoria da prática profissional. 3. Recursos Digitais: Exploração, seleção e adequação de RED ao contexto de aprendizagem. Utilização de RED interativos. 4. Ensino e Aprendizagem: Exploração de estratégias de ensino e de aprendizagem digital. Integração significativa de RED na melhoria de atividades de ensino e aprendizagem. 5. Avaliação das aprendizagens: Exploração de estratégias de avaliação digital. Melhoria das abordagens de avaliação através de soluções digitais. 6. CD dos Alunos: Exploração de estratégias de promoção e uso pedagógico de tecnologias digitais. Utilização de ferramentas e estratégias para suporte ao desenho e implementação de atividades de promoção da CD dos alunos. 7. Planificação de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htmComissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=ENLucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora.Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdfMinistério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 25-09-2023 (Segunda-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Presencial
2 28-09-2023 (Quinta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
3 10-10-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
4 19-10-2023 (Quinta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
5 30-10-2023 (Segunda-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Presencial
6 09-11-2023 (Quinta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
7 16-11-2023 (Quinta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
8 27-11-2023 (Segunda-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Presencial

Ref. 139C3/23 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116864/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 26-09-2023

Fim: 05-12-2023

Regime: b-learning

Local: Escola Secundária Ferreira Dias

Formador

Maria de Lurdes Graça Caetano Silva

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

- Documentos de enquadramento das políticas educativas. - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htmComissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=ENLucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA EditoraLicht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdfMinistério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 26-09-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Presencial
2 03-10-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
3 10-10-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
4 17-10-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
5 31-10-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Presencial
6 14-11-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
7 21-11-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
8 05-12-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Presencial

Ref. 134G1/23 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115653/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 25-09-2023

Fim: 04-12-2023

Regime: e-learning

Local: Online

Formador

Cláudia Maria Rosa da Fonseca Manata do Outeiro

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e grupo de recrutamento 360

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e grupo de recrutamento 360. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Escolas Novafoco

Enquadramento

O enquadramento legal da educação inclusiva e as orientações sobre a recuperação das aprendizagens constituem um enorme desafio para novas práticas inclusivas em sala de aula, bem como novas metodologias que promovam as aprendizagens de todos os alunos. Assim, há que criar ambientes seguros e estimulantes nas escolas para que o diálogo, a reflexão e a partilha desbravem o caminho e orientem todos os agentes educativos para as mudanças a realizar. Esta ação de formação procura contribuir para uma reflexão crítica sobre os desafios da diversidade, bem como apoiar a operacionalização de práticas pedagógicas ajustadas para que os alunos sejam melhores aprendentes e o professor melhor ensinante, definindo com maior acuidade as ações bem como as evidências a identificar em contexto de sala de aula. A presente ação insere-se no processo de concretização do Projeto Educação Inclusiva 21-23 e do plano integrado para a recuperação das aprendizagens dos alunos do ensino básico e secundário, Plano 21|23 Escola+.

Objetivos

Explorar os documentos legislativos (DL n.º 54/2018 e 55/2018, PASEO, Aprend. Essenciais) e de apoio à prática letiva de forma integrada, identificando implicações para a organização de práticas pedagógicas mais inclusivas Consolidar o conhecimento sobre os modelos de enquadramento à operacionalização da educação inclusiva nas suas características essenciais Planear com intencionalidade estratégica, organizando a dinâmica pedagógica, conciliando as aprendizagens a desenvolver e as características de todos alunos (Desenho Universal para a Aprendizagem) Aprofundar o conhecimento sobre metodologias e estratégias pedagógicas inclusivas e inovadoras Consolidar a implementação do ciclo: Avaliar–Planear–Agir– Rever para a inclusão Promover a avaliação como parte integrante da gestão inclusiva do currículo e instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens Reforçar competências de trabalho colaborativo, reflexivo e de resolução de problemas entre os profissionais

Conteúdos

Módulo 1 - Impacto das orientações de política educativa nas práticas pedagógicas • Exploração de documentos legislativos (DL n.º 54/2018, DL n.º 55/2018, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória e Aprendizagens Essenciais) de apoio à prática letiva de forma integrada, destacando-se a reflexão e a análise de práticas sobre: o os valores e princípios de base humanista, onde o aluno assume a centralidade da ação; o a gestão inclusiva, integrada, flexível e articulada do currículo; o o recurso a modelos de intervenção e modelos pedagógicos de resposta à diversidade e de promoção de uma educação de qualidade para todos os alunos; o a valorização da avaliação como parte integrante da gestão do currículo e instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens; o a voz dos alunos e das suas famílias, aumentando os seus níveis de participação. Módulo 2 - Ambientes educativos inclusivos - opções metodológicas • Práticas de ensino e intervenção diferenciadas, em função do perfil de competências dos alunos. • Estratégias de antecipação da diversidade em sala de aula, com recurso a ambientes de aprendizagem flexíveis e centrados no aluno (Desenho Universal para a Aprendizagem). Módulo 3 – Gerir a diversidade em sala de aula • Gestão da diversidade em sala de aula atendendo à participação e aprendizagem efetivas de todos os alunos – partilha de práticas. • Mecanismos de planeamento e gestão curricular com caráter intencional e estratégico, que conciliem as aprendizagens a desenvolver e as características de todos alunos. Módulo 4 – Avaliação como processo regulador do ensino e da aprendizagem • Caráter contínuo e sistemático da avaliação, ao serviço das aprendizagens, enquanto processo regulador do ensino e das aprendizagens. • Planificação intencional da avaliação formativa tendo como objetivos melhorar os resultados das aprendizagens e ajustar o processo de ensino. • O feedback como uma das dimensões indispensáveis à aplicação prática da avaliação formativa na sala de aula.

Metodologias

Nesta formação, em regime de frequência e-learning, serão abordados os conteúdos recorrendo a metodologias ativas de ensino e de aprendizagem. Será privilegiado o trabalho em pequeno e grande grupo com momentos de reflexão e de discussão restrita e alargada. Nas sessões, devem ser definidos tempos de partilha e de reflexão em torno das experiências e das práticas dos formandos, devendo o formador ter um papel ativo na ligação das práticas às políticas educativas de inclusão. Os docentes devem ser desafiados à revisão das suas práticas pedagógicas de acordo com os referenciais normativos em vigor. Elaboração de trabalho/reflexão final individual em função dos interesses e preferências dos formandos.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado pelos formandos.

Bibliografia

DGE (2018), Para uma educação inclusiva: Manual de Apoio à Prática Disponível em https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/EEspecial/manual_de_apoio_a_pratica.pdf Acesso 02/02/2022Cosme, A., Lima L., Ferreira D., Ferreira N., Metodologias, métodos e situações de aprendizagem: propostas e estratégias de ação : ensino básico, ensino secundário,1ª ed. - Porto: Porto Editora, 2021.European Agency for Special Needs and Inclusive Education (2018), Key Actions for Raising Achievement, Guidance for Teachers and Leaders Disponível em https://www.european-agency.org/sites/default/files/Key%20Actions%20for%20Raising%20Achievement.pdf Acesso 02/02/2022Fernandes, D. (2021). Para uma Fundamentação e Melhoria das Práticas de Avaliação Pedagógica no Âmbito do Projeto MAIA, Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Acesso 02/02/2022UNESCO (2022). REACHING OUT TO ALL LEARNERS: a resource pack for supporting inclusion and equity in education. Geneva: UNESCO – IBE. Disponível em: http://www.ibe.unesco.org/en/news/reaching-out-all-learners-resource-pack-supporting-inclusion-and-equity-education.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 25-09-2023 (Segunda-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Presencial
2 09-10-2023 (Segunda-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
3 16-10-2023 (Segunda-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
4 30-10-2023 (Segunda-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
5 06-11-2023 (Segunda-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
6 13-11-2023 (Segunda-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
7 27-11-2023 (Segunda-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona

Ref. 137B3/23 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116863/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 25-09-2023

Fim: 13-11-2023

Regime: b-learning

Local: Escola Secundária Ferreira Dias

Formador

Nuno Sérgio Infante de Passos Sousa

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores da Comissão Europeia (doravante DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 1) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se, assim, criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 1 (A1/A2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (B1/B2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes na utilização significativa de ambientes e ferramentas digitais e definição de estratégias diversificadas de integração destes em contexto educativo; - capacitar os docentes para a implementação de atividades promotoras da aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos.

Conteúdos

1. Documentos enquadradores das políticas educativas atuais associados ao Plano nacional de Transição Digital. 2. Envolvimento profissional: Exploração de opções digitais para colaboração e comunicação institucional e melhoria da prática profissional. 3. Recursos Digitais: Exploração, seleção e adequação de RED ao contexto de aprendizagem. Utilização de RED interativos. 4. Ensino e Aprendizagem: Exploração de estratégias de ensino e de aprendizagem digital. Integração significativa de RED na melhoria de atividades de ensino e aprendizagem. 5. Avaliação das aprendizagens: Exploração de estratégias de avaliação digital. Melhoria das abordagens de avaliação através de soluções digitais. 6. CD dos Alunos: Exploração de estratégias de promoção e uso pedagógico de tecnologias digitais. Utilização de ferramentas e estratégias para suporte ao desenho e implementação de atividades de promoção da CD dos alunos. 7. Planificação de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htmComissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=ENLucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora.Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdfMinistério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 25-09-2023 (Segunda-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Presencial
2 02-10-2023 (Segunda-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
3 09-10-2023 (Segunda-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
4 16-10-2023 (Segunda-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
5 23-10-2023 (Segunda-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Presencial
6 30-10-2023 (Segunda-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
7 06-11-2023 (Segunda-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
8 13-11-2023 (Segunda-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Presencial

Ref. 139C4/23 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116864/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 25-09-2023

Fim: 27-11-2023

Regime: b-learning

Local: Escola Secundária Ferreira Dias

Formador

Ana Isabel Martins Tomás dos Anjos Sequeira Costa

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

- Documentos de enquadramento das políticas educativas. - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htmComissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=ENLucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA EditoraLicht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdfMinistério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 25-09-2023 (Segunda-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Presencial
2 02-10-2023 (Segunda-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
3 09-10-2023 (Segunda-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
4 16-10-2023 (Segunda-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
5 23-10-2023 (Segunda-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Presencial
6 06-11-2023 (Segunda-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
7 20-11-2023 (Segunda-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
8 27-11-2023 (Segunda-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Presencial

Ref. 133H9/23 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115654/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 22-09-2023

Fim: 10-11-2023

Regime: b-learning

Local: Agrupamento de Escolas Professor Agostinho da Silva

Formador

Ana de Lurdes Videira Sérgio

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário, de Educação Especial e do grupo de recrutamento 360

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário, de Educação Especial e do grupo de recrutamento 360. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Escolas Novafoco

Enquadramento

O enquadramento legal da educação inclusiva e as orientações sobre a recuperação das aprendizagens constituem um enorme desafio para novas/os práticas pedagógicas, interfaces comunicativas, fundamentos humanistas em que todos são parte do sistema e desenvolvem um diálogo igualitário, um pensamento e uma consciência próprios. Assim, há que criar ambientes seguros e estimulantes nas escolas para que o diálogo, a reflexão e a partilha orientem os agentes educativos para a inclusão. Esta formação procura apoiar a operacionalização de práticas pedagógicas inclusivas para que os alunos sejam melhores aprendentes e o professor melhor ensinante, definindo com maior acuidade as ações bem como as evidências a identificar em contexto de sala de aula. A presente ação insere-se no processo de concretização do Projeto Educação Inclusiva 21-23 e do plano integrado para a recuperação das aprendizagens dos alunos do ensino básico e secundário, Plano 21|23 Escola+.

Objetivos

• Explorar os documentos legislativos (Decreto- Lei n.º 54/2018, Decreto-Lei n.º 55/2018, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Aprendizagens Essenciais) e de apoio à prática letiva de forma integrada, identificando implicações para a organização de práticas mais inclusivas • Aplicar colaborativamente os princípios subjacentes ao desenho universal para a aprendizagem e à abordagem multinível • Planear com intencionalidade estratégica, organizando a dinâmica pedagógica, conciliando as aprendizagens a desenvolver e a diversidade de todos alunos • Conceber instrumentos de suporte à recolha de informação que contribuam para a tomada de decisão. • Consolidar a implementação do ciclo: Avaliar – Planear – Agir - Rever • Produzir e aplicar em contexto de sala de aula instrumentos de avaliação e planificação das aprendizagens • Partilhar experiências facilitadoras do um processo ensino-aprendizagem inclusivo • Explorar colaborativamente práticas educativas inovadoras

Conteúdos

Módulo 1. Impacto das orientações de política educativa nas práticas pedagógicas • Exploração integrada dos documentos de política educativa (Decreto- Lei n.º 54/2018, Decreto-Lei n.º 55/2018, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Aprendizagens Essenciais) Módulo 2. Ambientes educativos inclusivos - opções metodológicas • Práticas de ensino e intervenção diferenciadas, em função do perfil de competências dos alunos • Estratégias de antecipação da diversidade em sala de aula, com recurso a ambientes de aprendizagem flexíveis e centrados no aluno (DUA) Módulo 3. Valorização da diversidade em sala de aula – criação e partilha de recursos • Mecanismos de planeamento e gestão curricular com caráter intencional e estratégico • O que ensinar e porquê, como, quando, com que prioridades, com que meios, com que organização e com que resultados: exercícios práticos Módulo 4. Avaliação formativa enquanto processo regulador do ensino e da aprendizagem • Planificação intencional da avaliação formativa tendo como objetivos melhorar os resultados das aprendizagens e ajustar o processo de ensino

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado pelos formandos.

Bibliografia

DGE (2018), Para uma educação inclusiva: Manual de Apoio à Prática https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/EEspecial/manual_de_apoio_a_pratica.pdf Acesso 02/02/2022Cosme, A., Lima L., Ferreira D., Ferreira N. (2021), Metodologias, métodos e situações de aprendizagem: propostas e estratégias de ação : ensino básico, ensino secundário,1ª ed. - Porto: Porto Editora.European Agency for Special Needs and Inclusive Education (2018), Key Actions for Raising Achievement, Guidance for Teachers and Leaders • Disponível em https://www.european-agency.org/sites/default/files/Key%20Actions%20for%20Raising%20Achievement.pdf Acesso 02/02/2022Fernandes, D. (2021). Para uma Fundamentação e Melhoria das Práticas de Avaliação Pedagógica no Âmbito do Projeto MAIA, Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Acesso 02/02/2022UNESCO (2022). REACHING OUT TO ALL LEARNERS: a resource pack for supporting inclusion and equity in education. Geneva: UNESCO – IBE. Disponível em: http://www.ibe.unesco.org/en/news/reaching-out-all-learners-resource-pack-supporting-inclusion-and-equity-education Acesso em 02/02/2022


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 22-09-2023 (Sexta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Presencial
2 29-09-2023 (Sexta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
3 06-10-2023 (Sexta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
4 13-10-2023 (Sexta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
5 20-10-2023 (Sexta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Presencial
6 27-10-2023 (Sexta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
7 03-11-2023 (Sexta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
8 10-11-2023 (Sexta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Presencial

Ref. 133H5/23 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115654/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 15-09-2023

Fim: 27-11-2023

Regime: b-learning

Local: Agrupamento de Escolas Ruy Belo

Formador

Ana de Lurdes Videira Sérgio

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário, de Educação Especial e do grupo de recrutamento 360

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário, de Educação Especial e do grupo de recrutamento 360. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Escolas Novafoco

Enquadramento

O enquadramento legal da educação inclusiva e as orientações sobre a recuperação das aprendizagens constituem um enorme desafio para novas/os práticas pedagógicas, interfaces comunicativas, fundamentos humanistas em que todos são parte do sistema e desenvolvem um diálogo igualitário, um pensamento e uma consciência próprios. Assim, há que criar ambientes seguros e estimulantes nas escolas para que o diálogo, a reflexão e a partilha orientem os agentes educativos para a inclusão. Esta formação procura apoiar a operacionalização de práticas pedagógicas inclusivas para que os alunos sejam melhores aprendentes e o professor melhor ensinante, definindo com maior acuidade as ações bem como as evidências a identificar em contexto de sala de aula. A presente ação insere-se no processo de concretização do Projeto Educação Inclusiva 21-23 e do plano integrado para a recuperação das aprendizagens dos alunos do ensino básico e secundário, Plano 21|23 Escola+.

Objetivos

• Explorar os documentos legislativos (Decreto- Lei n.º 54/2018, Decreto-Lei n.º 55/2018, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Aprendizagens Essenciais) e de apoio à prática letiva de forma integrada, identificando implicações para a organização de práticas mais inclusivas • Aplicar colaborativamente os princípios subjacentes ao desenho universal para a aprendizagem e à abordagem multinível • Planear com intencionalidade estratégica, organizando a dinâmica pedagógica, conciliando as aprendizagens a desenvolver e a diversidade de todos alunos • Conceber instrumentos de suporte à recolha de informação que contribuam para a tomada de decisão. • Consolidar a implementação do ciclo: Avaliar – Planear – Agir - Rever • Produzir e aplicar em contexto de sala de aula instrumentos de avaliação e planificação das aprendizagens • Partilhar experiências facilitadoras do um processo ensino-aprendizagem inclusivo • Explorar colaborativamente práticas educativas inovadoras

Conteúdos

Módulo 1. Impacto das orientações de política educativa nas práticas pedagógicas • Exploração integrada dos documentos de política educativa (Decreto- Lei n.º 54/2018, Decreto-Lei n.º 55/2018, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Aprendizagens Essenciais) Módulo 2. Ambientes educativos inclusivos - opções metodológicas • Práticas de ensino e intervenção diferenciadas, em função do perfil de competências dos alunos • Estratégias de antecipação da diversidade em sala de aula, com recurso a ambientes de aprendizagem flexíveis e centrados no aluno (DUA) Módulo 3. Valorização da diversidade em sala de aula – criação e partilha de recursos • Mecanismos de planeamento e gestão curricular com caráter intencional e estratégico • O que ensinar e porquê, como, quando, com que prioridades, com que meios, com que organização e com que resultados: exercícios práticos Módulo 4. Avaliação formativa enquanto processo regulador do ensino e da aprendizagem • Planificação intencional da avaliação formativa tendo como objetivos melhorar os resultados das aprendizagens e ajustar o processo de ensino

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado pelos formandos.

Bibliografia

DGE (2018), Para uma educação inclusiva: Manual de Apoio à Prática https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/EEspecial/manual_de_apoio_a_pratica.pdf Acesso 02/02/2022Cosme, A., Lima L., Ferreira D., Ferreira N. (2021), Metodologias, métodos e situações de aprendizagem: propostas e estratégias de ação : ensino básico, ensino secundário,1ª ed. - Porto: Porto Editora.European Agency for Special Needs and Inclusive Education (2018), Key Actions for Raising Achievement, Guidance for Teachers and Leaders • Disponível em https://www.european-agency.org/sites/default/files/Key%20Actions%20for%20Raising%20Achievement.pdf Acesso 02/02/2022Fernandes, D. (2021). Para uma Fundamentação e Melhoria das Práticas de Avaliação Pedagógica no Âmbito do Projeto MAIA, Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Acesso 02/02/2022UNESCO (2022). REACHING OUT TO ALL LEARNERS: a resource pack for supporting inclusion and equity in education. Geneva: UNESCO – IBE. Disponível em: http://www.ibe.unesco.org/en/news/reaching-out-all-learners-resource-pack-supporting-inclusion-and-equity-education Acesso em 02/02/2022


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 15-09-2023 (Sexta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Presencial
2 25-09-2023 (Segunda-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
3 09-10-2023 (Segunda-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
4 16-10-2023 (Segunda-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Presencial
5 23-10-2023 (Segunda-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
6 02-11-2023 (Quinta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
7 13-11-2023 (Segunda-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
8 27-11-2023 (Segunda-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Presencial

Ref. 142J1/23 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-118484/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 12-09-2023

Fim: 05-12-2023

Regime: b-learning

Local: None

Formador

Maria Cristina Bilro Barriga Negra

Destinatários

Professores do grupo de recrutamento 500

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do grupo de recrutamento 500. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do grupo de recrutamento 500.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

No âmbito do projeto Contexto e Visão para a revisão curricular das Aprendizagens Essenciais em Matemática, foram homologadas as novas Aprendizagens Essenciais de Matemática para o Ensino Secundário (Matemática B e Matemática do Ensino Profissional) que entrarão em vigor a partir do ano letivo: a) 2024/2025, no que respeita ao 10.º ano de escolaridade; b) 2025/2026, no que respeita ao 11.º ano de escolaridade; c) 2026/2027, no que respeita ao 12.º ano de escolaridade. Tendo consciência da necessidade de formação dos professores do grupo 500, para a operacionalização destes novos documentos curriculares em Matemática do Ensino Secundário procurar-se-á desenvolver uma formação focada em aspetos específicos das novas AE de Matemática para o Ensino Secundário (Matemática A), destacando o que de mais significativo e novo existe nestes documentos curriculares.

Objetivos

No final da formação, os professores participantes devem: - Compreender, de forma aprofundada, as orientações curriculares expressas nas novas AE de Matemática para o Ensino Secundário (Matemática A), as suas finalidades e as consequências para o ensino da Matemática; - Estar dotados com o conhecimento didático e o conhecimento matemático requeridos para o ensino orientado pelas novas AE de Matemática para o Ensino Secundário (Matemática A); - Ser capazes de refletir sobre os problemas que possam surgir na prática de ensino das novas AE de Matemática para o Ensino Secundário (Matemática A).

Conteúdos

- Orientações curriculares para o ensino da Matemática no Ensino Secundário expressas nas novas AE - Ideias inovadoras do Currículo: o Matemática para a Cidadania; o Pensamento Computacional; o Diversificação de temas no currículo; o Matemática para todos. - Ideias-Chave das Aprendizagens Essenciais: o Resolução de problemas, modelação e conexões o Raciocínio dedutivo e lógica matemática o Recurso sistemático à tecnologia o Tarefas e recursos educativos o Práticas enriquecedoras e criatividade o Organização do trabalho dos alunos o Comunicação matemática o Avaliação para a aprendizagem - Operacionalização das Aprendizagens Essenciais. - Exploração de ideias e conceitos, integrando a tecnologia como alavanca para a compreensão e resolução de problemas: o Abordagem exploratória de ideias e conceitos matemáticos; o Integração da tecnologia na experimentação, visualização, representação, simulação, interatividade, bem como no cálculo numérico e simbólico; o Recurso à folha de cálculo, a ambientes de geometria dinâmica, a aplicativos digitais diversos, a simulações, a smartphones, à calculadora gráfica e aos sensores, bem como a outros equipamentos e materiais; o Desenvolvimento do pensamento computacional com recurso a atividades de programação integradas na resolução de problemas. - Preparação, apresentação e discussão dos trabalhos e avaliação do curso de formação.

Avaliação

A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a realização e discussão das tarefas propostas nas sessões síncronas, a elaboração e reflexão sobre tarefas para os alunos, e o trabalho final elaborado pelos formandos. O trabalho final deverá ser uma reflexão escrita individual sobre a formação, as aprendizagens realizadas e capacidades desenvolvidas, e a sua participação na formação.

Bibliografia

Revista dedicada ao Pensamento Computacional: Educação e Matemática, 162Veloso, E. (1998). Geometria: Temas Actuais: materiais para professores. Lisboa: IIE.Graça Martins, M. E. & Cerveira, A. (1998). Introdução às Probabilidades e à Estatística. Universidade Aberta.Amado, N. & Carreira, S. (2019). Trabalho de Projeto. Obtido de: http://hdl.handle.net/10400.1/15482Teixeira, P., Precatado, A., Albuquerque, C., Antunes, C., & Nápoles, S. (1997). Funções - 10º ano. Lisboa: Ministério da Educação


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 12-09-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:15 2:30 Presencial
2 19-09-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:15 2:30 Online síncrona
3 26-09-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:15 2:30 Presencial
4 03-10-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:15 2:30 Online síncrona
5 10-10-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:15 2:30 Online síncrona
6 17-10-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:15 2:30 Presencial
7 24-10-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:15 2:30 Online síncrona
8 07-11-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:15 2:30 Presencial
9 28-11-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:15 2:30 Online síncrona
10 05-12-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:15 2:30 Online síncrona

Ref. 142J2/23 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-118484/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 12-09-2023

Fim: 05-12-2023

Regime: b-learning

Local: None

Formador

Emanuel Jorge Ferreira Martinho

Destinatários

Professores do grupo de recrutamento 500

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do grupo de recrutamento 500. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do grupo de recrutamento 500.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

No âmbito do projeto Contexto e Visão para a revisão curricular das Aprendizagens Essenciais em Matemática, foram homologadas as novas Aprendizagens Essenciais de Matemática para o Ensino Secundário (Matemática B e Matemática do Ensino Profissional) que entrarão em vigor a partir do ano letivo: a) 2024/2025, no que respeita ao 10.º ano de escolaridade; b) 2025/2026, no que respeita ao 11.º ano de escolaridade; c) 2026/2027, no que respeita ao 12.º ano de escolaridade. Tendo consciência da necessidade de formação dos professores do grupo 500, para a operacionalização destes novos documentos curriculares em Matemática do Ensino Secundário procurar-se-á desenvolver uma formação focada em aspetos específicos das novas AE de Matemática para o Ensino Secundário (Matemática A), destacando o que de mais significativo e novo existe nestes documentos curriculares.

Objetivos

No final da formação, os professores participantes devem: - Compreender, de forma aprofundada, as orientações curriculares expressas nas novas AE de Matemática para o Ensino Secundário (Matemática A), as suas finalidades e as consequências para o ensino da Matemática; - Estar dotados com o conhecimento didático e o conhecimento matemático requeridos para o ensino orientado pelas novas AE de Matemática para o Ensino Secundário (Matemática A); - Ser capazes de refletir sobre os problemas que possam surgir na prática de ensino das novas AE de Matemática para o Ensino Secundário (Matemática A).

Conteúdos

- Orientações curriculares para o ensino da Matemática no Ensino Secundário expressas nas novas AE - Ideias inovadoras do Currículo: o Matemática para a Cidadania; o Pensamento Computacional; o Diversificação de temas no currículo; o Matemática para todos. - Ideias-Chave das Aprendizagens Essenciais: o Resolução de problemas, modelação e conexões o Raciocínio dedutivo e lógica matemática o Recurso sistemático à tecnologia o Tarefas e recursos educativos o Práticas enriquecedoras e criatividade o Organização do trabalho dos alunos o Comunicação matemática o Avaliação para a aprendizagem - Operacionalização das Aprendizagens Essenciais. - Exploração de ideias e conceitos, integrando a tecnologia como alavanca para a compreensão e resolução de problemas: o Abordagem exploratória de ideias e conceitos matemáticos; o Integração da tecnologia na experimentação, visualização, representação, simulação, interatividade, bem como no cálculo numérico e simbólico; o Recurso à folha de cálculo, a ambientes de geometria dinâmica, a aplicativos digitais diversos, a simulações, a smartphones, à calculadora gráfica e aos sensores, bem como a outros equipamentos e materiais; o Desenvolvimento do pensamento computacional com recurso a atividades de programação integradas na resolução de problemas. - Preparação, apresentação e discussão dos trabalhos e avaliação do curso de formação.

Avaliação

A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a realização e discussão das tarefas propostas nas sessões síncronas, a elaboração e reflexão sobre tarefas para os alunos, e o trabalho final elaborado pelos formandos. O trabalho final deverá ser uma reflexão escrita individual sobre a formação, as aprendizagens realizadas e capacidades desenvolvidas, e a sua participação na formação.

Bibliografia

Revista dedicada ao Pensamento Computacional: Educação e Matemática, 162Veloso, E. (1998). Geometria: Temas Actuais: materiais para professores. Lisboa: IIE.Graça Martins, M. E. & Cerveira, A. (1998). Introdução às Probabilidades e à Estatística. Universidade Aberta.Amado, N. & Carreira, S. (2019). Trabalho de Projeto. Obtido de: http://hdl.handle.net/10400.1/15482Teixeira, P., Precatado, A., Albuquerque, C., Antunes, C., & Nápoles, S. (1997). Funções - 10º ano. Lisboa: Ministério da Educação


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 12-09-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:15 2:30 Presencial
2 19-09-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:15 2:30 Online síncrona
3 26-09-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:15 2:30 Presencial
4 03-10-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:15 2:30 Online síncrona
5 10-10-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:15 2:30 Online síncrona
6 17-10-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:15 2:30 Presencial
7 24-10-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:15 2:30 Online síncrona
8 07-11-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:15 2:30 Presencial
9 28-11-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:15 2:30 Online síncrona
10 05-12-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:15 2:30 Online síncrona

Ref. 1465/23 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-120123/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 05-09-2023

Fim: 28-09-2023

Regime: b-learning

Local: None

Formador

Ana Margarida de Sá Machado Simões Dias de Oliveira Soares

Destinatários

Professores do Grupo 510

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do Grupo 510. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do Grupo 510.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

Um ensino das ciências que se pretenda renovado passa pela valorização da experimentação. Assim, é necessário ajudar os professores a utilizar metodologias ativas, aplicações (DataLogger) e materiais (calculadoras gráficas e sensores) que lhes permitam enfrentar os desafios do ensino experimental. Nesta formação pretende-se que os professores, no âmbito da experimentação, aprendam a utilizar sensores e a realizar tratamento de dados na calculadora gráfica. A experimentação assume, nas aprendizagens essenciais, o papel preponderante na operacionalização dos conhecimentos, capacidades e atitudes. Para além disso, a ação visa promover a iniciativa prioritária “formação e capacitação digital de professores”, identificada no Plano 21|23 Escola+.

Objetivos

Conhecer as funcionalidades da calculadora gráfica na ótica do utilizador (professor e aluno). Utilizar os écrans e as teclas da calculadora gráfica para criar recursos educativos digitais. Utilizar um sistema de recolha de dados (CLAB) durante a realização das atividades experimentais, indicadas nas aprendizagens essenciais, de Física e Química A dos 10.º e 11.º anos. Realizar o tratamento estatístico e a representação gráfica dos dados recolhidos e a partir destes obter conclusões. Elaborar protocolos para os alunos de acordo com as aprendizagens essenciais e as especificações técnicas dos equipamentos. Partilhar e divulgar materiais, estratégias e experiências inovadoras que possam ser úteis aos professores do grupo 510.

Conteúdos

O número total de horas será de 25, distribuídas por 4 sessões presenciais (12 horas), 3 sessões síncronas (8 horas) e 1 sessão assíncronas (5 horas). Os conteúdos da ação estão centrados nas atividades laboratoriais, indicadas nas aprendizagens essenciais, de Física e Química dos 10.º e 11.º anos. A lista de atividades é a seguinte: - Movimento num plano inclinado: variação da energia cinética e distância percorrida; - Movimento vertical de queda e ressalto de uma bola: transformações e transferências de energia; - Características de uma pilha; - Radiação e potência elétrica de um painel fotovoltaico; - Capacidade térmica mássica; - Balanço energético num sistema termodinâmico; - Queda livre: força gravítica e aceleração da gravidade; - Forças nos movimentos retilíneos acelerado e uniforme; - Movimento uniformemente variado: velocidade e deslocamento; - Características do som; - Velocidade de propagação do som; - Absorção, reflexão, refração e reflexão total; - Constante de acidez; - Titulação ácido-base. Na ação de formação, de acordo com os interesses dos formandos e do material disponível, serão exploradas pelo menos 50% das atividades referidas. Sessão 1: 3,5 horas (presencial) Apresentação e exploração da aplicação que permite a recolha de dados experimentais (DataLogger). Ligação da calculadora ao CLAB. Ligação dos sensores ao CLAB. Utilização dos sensores em ambiente laboratorial. Realização de uma atividade laboratorial do 10.º ano ou do 11.º ano orientada pelo formador. Sessão 2: 2,5 horas (presencial) Realização, por cada grupo de formandos, de pelo menos duas atividades laboratoriais da lista. Sessão 3: 3 horas (síncrona) Exploração do ScreenReceiver. Tratamento dos dados. Exportação de dados para o menu da estatística. Sessão 4: 3,5 horas (presencial) Realização, em cada grupo de formandos, de atividades laboratoriais da lista. Tratamento dos dados. Sessão 5: 2,5 horas (presencial) Recolha de dados da tarefa a avaliar. Sessão 6: 2,5 horas (síncrona) Tratamento dos dados. Sessão 7: 5 horas (assíncrona) Tratamento dos dados, conclusões e sugestões da tarefa a avaliar. Realização do protocolo para o aluno. Sessão 8: 2,5 horas (síncrona) Apresentação dos trabalhos. 12 horas presenciais 8 horas síncronas na plataforma Google Meet ou Zoom 5 horas assíncronas Total: 25 horas

Metodologias

Na primeira sessão haverá um momento teórico onde se fornecerão instruções sobre o funcionamento da calculadora, do CLAB e dos sensores. As restantes horas presenciais serão práticas, para aplicar o que foi exemplificado na exploração das atividades laboratoriais da lista. A turma será dividida em pequenos grupos de trabalho. Nos momentos à distância (síncronos) serão explorados o ScreenReceiver, o tratamento de dados e a exportação de dados para o menu da estatística. Os formandos serão divididos em sala simultâneas para trabalhar com os mesmos elementos do grupo das sessões presenciais. Assincronamente, os formandos desenvolvem um protocolo, para os alunos, de uma atividade laboratorial realizada na formação. Devem também apresentar a recolha e tratamento de dados, análise e conclusões. Na última sessão os formandos apresentam o trabalho realizado assincronamente.

Avaliação

Os formandos serão avaliados de 0 a 10 valores, conforme Carta Circular n.º 3 de 2007, utilizando os parâmetros de avaliação estabelecidos pelos formadores e respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua. Será avaliado o envolvimento ativo dos formandos na participação do trabalho individual e em grupo, na elaboração de materiais e na participação nos momentos de discussão coletiva. Os formandos apresentarão um trabalho de produção, aplicação e reflexão crítica de uma atividade integrada nos conteúdos desta ação. No final da formação, cada formando deverá ainda entregar uma breve reflexão escrita sobre o seu desenvolvimento e uma identificação de necessidades futuras de formação e/ou projetos a desenvolver.

Bibliografia

Dias, M. (2018). Atividades laboratoriais de Física-Química do 10.º e 11º ano. Lisboa: CASIO Portugal.Teixeira, J. & Soares, A. (2021). Atividades experimentais e resolução de problemas com calculadora gráfica: ensino remoto de Física. In F. Teixeira, F. Paixão, A. Frias, S. Silveira, D. Vaz & J. Morgado (Coord.), Educação em ciências: interações e desafios (pp. 52-55). Escola Superior de Educação de Coimbra.Kedzierska, E. & Salinci, L. (2021). Data logger App User’s Guide ver. 2.0. Amsterdam: CMA.Ventura, G., Fiolhais, M. & Fiolhais, C. (2021). 10 F – Física e Química A. Lisboa: Texto Editores.DGE (2018). Aprendizagens essenciais: Física e Química A (10.º e 11.º ano). Direção Geral de Educação, Ministério da Educação. https://www.dge.mec.pt/fisica-e-quimica-0


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 05-09-2023 (Terça-feira) 09:30 - 12:30 3:00 Presencial
2 05-09-2023 (Terça-feira) 14:00 - 17:00 3:00 Presencial
3 06-09-2023 (Quarta-feira) 15:00 - 18:00 3:00 Online síncrona
4 07-09-2023 (Quinta-feira) 09:30 - 12:30 3:00 Presencial
5 07-09-2023 (Quinta-feira) 14:00 - 17:00 3:00 Presencial
6 08-09-2023 (Sexta-feira) 14:00 - 17:30 3:30 Online síncrona
7 28-09-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona

Ref. 1403/23 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-119273/23

Modalidade: Curso de formação - Colóquios; congressos; simpósios; jornadas ou iniciativas congéneres

Duração: 15.0 horas

Início: 19-07-2023

Fim: 20-07-2023

Regime: Presencial

Local: Centro Cultural Olga Cadaval

Formador

Maria Joana de Santos Inácio Vicente

Ana de Lurdes Videira Sérgio

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial, Técnicos/Psicólogos

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

define-a como “o estado de bem-estar no qual o indivíduo tem consciência das suas capacidades, pode lidar com o stress habitual do dia-a-dia, trabalhar de forma produtiva e frutífera, e é capaz de contribuir para a comunidade em que se insere”. O direito à saúde e, em especial, o direito à saúde mental e ao bem-estar em geral, é um direito central no desenvolvimento das crianças e jovens. É função da escola promover contextos educativos facilitadores de cultura e de clima de Bem-Estar que fomentem as melhores aprendizagens e o propósito de ser. Tal é extensível aos agentes educativos que são modelos pedagógicos e que, a eles assiste, também a necessidade de autocuidado e de preservação física e psicológica. i) No contexto atual das medidas de recuperação de aprendizagens vigora o foco no bem-estar e no desenvolvimento emocional em contexto escolar. São várias as ações que potenciam a promoção da saúde mental na comunidade educativa, a saber – Clubes Ubuntu, Plano Nacional das Artes, Plano Nacional de Cinema, Escola SaudávelMente, Parlamento dos Jovens, confirmando a pertinência da temática no evento de reflexão-ação, que as Jornadas protagonizam. ii) A urgência em agregar esforços, alinhar vontades, e aproximar as pessoas, num esforço contínuo de reforço da identidade cultural do Agrupamento de Escolas Agualva Mira Sintra.

Objetivos

• Possibilitar aos diferentes agentes educativos – diretor, professores, alunos, pessoal não docente e agentes da comunidade local - a partilha e o cruzamento de testemunhos decorrentes das experiências vividas no âmbito da Saúde Mental. • Dar a conhecer projetos de relevância pedagógica em curso no agrupamento de escolas. • Esclarecer, debater e reflectir em torno de práticas que potenciem a Saúde Mental no contexto educativo. • Desafiar os professores, alunos e demais agentes educativos a pensarem conjuntamente os processos de ensino, no sentido da contínua melhoria da promoção da qualidade do sucesso educativo e do Bem- Estar. • Possibilitar a formação entre pares por via da criação de espaços e tempos de partilha e reflexão sobre as práticas de ensino e de aprendizagem. • Contribuir para o bem-estar comum, numa lógica de reforço dos laços de cooperação, colaboração e inclusão, de todos os profissionais que trabalham no AEAMS.

Conteúdos

19/07/2023 PERÍODO DA MANHà - (3,5 HORAS) 9h - Recepção 9h30 - 9h45 – Sessão de Abertura das Jornadas do AEAMS 9h45 – 10h30 SAÚDE MENTAL E BEM-ESTAR – CONTRIBUTOS DO PROJETO EDUCATIVO DO AEAMS Intervenção do Diretor com participação de Perito Externo e Equipa de Autoavaliação com os resultados do inquérito “Clima de Escola”. 10h30-10h45 Coffee Break 10h45 – 12h30 SAÚDE MENTAL NOS JOVENS • Intervenção de alunos e de Encarregados de Educação: • Parlamento dos Jovens • Clubes Ubuntu do AEAMS (DDJ, ESMA e E2O de Sintra) • Associações de Pais • Debate 12h30 – 14h Almoço PERÍODO DA TARDE - (3 HORAS) 14h – 15h30 SAÚDE MENTAL NA ESCOLA • Equipa do Bem-estar do AEAMS 15h30 – 15h45 Coffee Break 15h45 – 17h MESA REDONDA: PRÁTICAS DO AGRUPAMENTO • Debate 20/07/2023 PERÍODO DA MANHà - (3,5 HORAS) 9h - Recepção BEM-ESTAR: CORPO SÃO, MENTE Sà 9h30 – 10h45 Professor Carlos Neto 10h45-11h Coffee Break 11h – 12h30 MESA REDONDA: PRÁTICAS DO AGRUPAMENTO • Debate 12h30 – 14h Almoço PERÍODO DA TARDE - (3 HORAS) 14h – 16h PEDDYPAPPER DO BEM-ESTAR NA VILA DE SINTRA 16h-17h Encerramento das Jornadas Elaboração do Relatório de Avaliação - (2 HORAS)

Metodologias

Metodologias expositivas e ativas assentes na partilha de experiências e práticas. Reflexão sobre a atuação pedagógica no sentido da sua melhoria.

Avaliação

Avaliação dos formandos por meio de questionário reflexivo com finalidade de incidir sobre: 1. Impacto da reflexão-ação em torno da temática veiculada pelas Jornadas nas práticas educativas e pedagógicas em contexto escolar. 2. Aferição de sugestões de estratégias e medidas a implementar no contexto educativo que fomente uma cultura de escola saudável. Parâmetros de avaliação: • Participação nas Jornadas 50% (12,5% por cada bloco de 3h (Manhã/Tarde de cada dia) • Questionário reflexivo: 50% • Escala de avaliação: 1 a 0 valores

Bibliografia

https://saudemental.min-saude.pt/https://saudemental.pt/Portal Saúde Psicológica e Bem-Estar: eusinto.me https://eusinto.me/Portal Manifestamente: https://www.manifestamente.org/https://escolasaudavelmente.pt/


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 19-07-2023 (Quarta-feira) 09:00 - 17:00 8:00 Presencial
2 20-07-2023 (Quinta-feira) 09:00 - 17:00 8:00 Presencial

Ref. 133H7/23 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115654/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 16-06-2023

Fim: 11-07-2023

Regime: b-learning

Local: Escola Secundária Ferreira Dias

Formador

Carlota Alexandra da Conceição Brazileiro

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário, de Educação Especial e do grupo de recrutamento 360

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário, de Educação Especial e do grupo de recrutamento 360. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Escolas Novafoco

Enquadramento

O enquadramento legal da educação inclusiva e as orientações sobre a recuperação das aprendizagens constituem um enorme desafio para novas/os práticas pedagógicas, interfaces comunicativas, fundamentos humanistas em que todos são parte do sistema e desenvolvem um diálogo igualitário, um pensamento e uma consciência próprios. Assim, há que criar ambientes seguros e estimulantes nas escolas para que o diálogo, a reflexão e a partilha orientem os agentes educativos para a inclusão. Esta formação procura apoiar a operacionalização de práticas pedagógicas inclusivas para que os alunos sejam melhores aprendentes e o professor melhor ensinante, definindo com maior acuidade as ações bem como as evidências a identificar em contexto de sala de aula. A presente ação insere-se no processo de concretização do Projeto Educação Inclusiva 21-23 e do plano integrado para a recuperação das aprendizagens dos alunos do ensino básico e secundário, Plano 21|23 Escola+.

Objetivos

• Explorar os documentos legislativos (Decreto- Lei n.º 54/2018, Decreto-Lei n.º 55/2018, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Aprendizagens Essenciais) e de apoio à prática letiva de forma integrada, identificando implicações para a organização de práticas mais inclusivas • Aplicar colaborativamente os princípios subjacentes ao desenho universal para a aprendizagem e à abordagem multinível • Planear com intencionalidade estratégica, organizando a dinâmica pedagógica, conciliando as aprendizagens a desenvolver e a diversidade de todos alunos • Conceber instrumentos de suporte à recolha de informação que contribuam para a tomada de decisão. • Consolidar a implementação do ciclo: Avaliar – Planear – Agir - Rever • Produzir e aplicar em contexto de sala de aula instrumentos de avaliação e planificação das aprendizagens • Partilhar experiências facilitadoras do um processo ensino-aprendizagem inclusivo • Explorar colaborativamente práticas educativas inovadoras

Conteúdos

Módulo 1. Impacto das orientações de política educativa nas práticas pedagógicas • Exploração integrada dos documentos de política educativa (Decreto- Lei n.º 54/2018, Decreto-Lei n.º 55/2018, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Aprendizagens Essenciais) Módulo 2. Ambientes educativos inclusivos - opções metodológicas • Práticas de ensino e intervenção diferenciadas, em função do perfil de competências dos alunos • Estratégias de antecipação da diversidade em sala de aula, com recurso a ambientes de aprendizagem flexíveis e centrados no aluno (DUA) Módulo 3. Valorização da diversidade em sala de aula – criação e partilha de recursos • Mecanismos de planeamento e gestão curricular com caráter intencional e estratégico • O que ensinar e porquê, como, quando, com que prioridades, com que meios, com que organização e com que resultados: exercícios práticos Módulo 4. Avaliação formativa enquanto processo regulador do ensino e da aprendizagem • Planificação intencional da avaliação formativa tendo como objetivos melhorar os resultados das aprendizagens e ajustar o processo de ensino

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado pelos formandos.

Bibliografia

DGE (2018), Para uma educação inclusiva: Manual de Apoio à Prática https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/EEspecial/manual_de_apoio_a_pratica.pdf Acesso 02/02/2022Cosme, A., Lima L., Ferreira D., Ferreira N. (2021), Metodologias, métodos e situações de aprendizagem: propostas e estratégias de ação : ensino básico, ensino secundário,1ª ed. - Porto: Porto Editora.European Agency for Special Needs and Inclusive Education (2018), Key Actions for Raising Achievement, Guidance for Teachers and Leaders • Disponível em https://www.european-agency.org/sites/default/files/Key%20Actions%20for%20Raising%20Achievement.pdf Acesso 02/02/2022Fernandes, D. (2021). Para uma Fundamentação e Melhoria das Práticas de Avaliação Pedagógica no Âmbito do Projeto MAIA, Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Acesso 02/02/2022UNESCO (2022). REACHING OUT TO ALL LEARNERS: a resource pack for supporting inclusion and equity in education. Geneva: UNESCO – IBE. Disponível em: http://www.ibe.unesco.org/en/news/reaching-out-all-learners-resource-pack-supporting-inclusion-and-equity-education Acesso em 02/02/2022


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 16-06-2023 (Sexta-feira) 18:45 - 22:05 3:20 Presencial
2 23-06-2023 (Sexta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
3 27-06-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
4 30-06-2023 (Sexta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
5 04-07-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
6 07-07-2023 (Sexta-feira) 18:45 - 22:05 3:20 Online síncrona
7 11-07-2023 (Terça-feira) 18:45 - 22:05 3:20 Presencial
8 14-07-2023 (Sexta-feira) 18:45 - 22:15 3:30 Presencial

Ref. 136F/23 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115649/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 15-06-2023

Fim: 06-07-2023

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária Ferreira Dias

Formador

Amélia Maria Marques Mestre

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário, de Educação Especial, do grupo de recrutamento 360

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário, de Educação Especial, do grupo de recrutamento 360. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

Inclusão, equidade, cooperação, solidariedade, responsabilidade e interligação, são conceitos-chave que enformam as políticas e as práticas educativas. Assegurar o direito de todos à educação é garantir acesso, presença, participação e sucesso em processos educativos de qualidade. Os atores educativos, nomeadamente lideranças de topo e intermédias, são figuras essenciais na educação e na transformação social. Acolher e apoiar todos os alunos, independentemente das suas capacidades e exigências, são dois compromissos éticos e profissionais indiscutíveis. Uma escola inclusiva exige uma liderança eficaz, capaz de apoiar e promover o envolvimento de toda a comunidade escolar. A presente ação insere-se no processo de concretização do Projeto Educação Inclusiva 21-23 e do plano integrado para a recuperação das aprendizagens dos alunos do ensino básico e secundário, Plano 21|23 Escola+.

Objetivos

Identificar práticas de gestão e organização pedagógica, de topo e intermédias, à luz dos normativos/documentos de referência sobre políticas de inclusão Explorar fatores que se constituem como obstáculo à inclusão na escola e sociedade Consolidar uma perspetiva de abordagem integrada de práticas que concorrem para a inclusão Refletir sobre a relevância das aprendizagens informais, os meios de as incorporar na promoção de ambientes educativos favoráveis à participação de alunos na condução do processo educativo Promover estratégias de otimização da participação dos alunos na vida da escola Elencar mecanismos de promoção do envolvimento das famílias na criação de ambientes inclusivos Refletir sobre o papel das lideranças na criação de ambientes promotores de aprendizagens não-formais e informais consistentes com os objetivos da educação inclusiva Equacionar os termos da cooperação interinstitucional em ordem à inclusão Refletir sobre instrumentos de monitorização das práticas de inclusão

Conteúdos

1. Enquadramento teórico e normativo 1.1. Quadro conceptual Os direitos humanos e as políticas de inclusão. Justiça distributiva e éticas do cuidado. Tradução dos princípios de justiça em direitos e capacidades. O projeto Strength Through Diversity e a diversidade dos públicos na educação escolar: dimensões da diversidade; abordagens multinível da diversidade em educação. 1.2. Quadro normativo de referência Os Decretos-Leis nº 54/2018 de 6 de julho (na sua redação atual) e n.º 55/2018, de 6 de julho (e respetivas Portarias). O Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória. Autonomia e responsabilidade dos decisores locais: interpretação dos normativos; as margens de autonomia potenciada pela portaria n.º 181/2019, de 11 de junho, na sua redação atual. Documentos curriculares e instrumentos de autonomia dos AE/ENA. 1.3. Dimensões organizacionais das políticas de inclusão – exercício exploratório [trabalho com os formandos, orientado pela abordagem prévia dos pontos 1.1. e 1.2.] 2. Concretização das políticas de inclusão 2.1 As escolas e as práticas A inclusão em contexto: modelos educativos e conceções de cidadania e equidade. 2.2. Os agentes sociais das práticas de inclusão Pessoas, instituições, ambientes de aprendizagem. Cooperação interinstitucional em ordem à inclusão. 2.3. Os recursos para a inclusão A identificação e gestão dos recursos (humanos, materiais, institucionais) e a sua potencialização na promoção da escola inclusiva. 2.4. Contextos de interação socioeducativa na perspetiva da inclusão: a sala de aula e ‘o resto’ – exercício exploratório [trabalho com os formandos, orientado pela abordagem prévia dos pontos 2.1., 2.2. e 2.3.] 3. Conhecer, partilhar, decidir 3.1. Conhecer e cooperar com as pessoas e as instituições 3.2. Conhecer, estimular e proteger as crianças e jovens: princípios, métodos, instrumentos 3.3. Conhecer para transformar: dos instrumentos de suporte à monitorização às modalidades de participação de professores, pais e alunos nos processos de decisão – exercício exploratório [trabalho com os formandos, orientado pela abordagem prévia dos pontos 3.1. e 3.2.] 4. Avaliação Apresentação e discussão dos trabalhos/produtos finais dos formandos

Metodologias

Exploração dos temas propostos, com adequado suporte teórico. Reflexão, análise e discussão em grupo, com recurso a fontes documentais pertinentes. Debate em plenário. Elaboração individual de trabalho/produto final da ação, em função dos interesses dos formandos.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado pelos formandos.

Bibliografia

Cerna, L. et al. (2021) Promoting inclusive education for diverse societies: A conceptual framework. Disponível em: Promoting inclusive education for diverse societies : A conceptual framework | OECD Education Working Papers | OECD iLibrary (oecd-ilibrary.org)Eurydice (2020). A equidade na educação escolar na Europa (trad. Lisboa: DGEEC/Unidade portuguesa de Eurydice). Disponível em: https://op.europa.eu/en/publication-detail/-/publication/517ee2ef-4404-11eb-b59f-01aa75ed71a1/language-ptEuropean Agency for Special Needs and Inclusive Education (2021). Inclusive School Leadership: A Tool for Self-Reflection on Policy and Practice. (M. Turner-Cmuchal, E. Óskarsdóttir and M. Bilgeri, eds.). Odense, Denmark. Disponível em: https://www.european-agency.org/sites/default/files/SISL_Self-Reflection_Tool.pdfPereira, F. (Coord.). (2018). Para uma Educação Inclusiva. Manual de Apoio à Prática. Lisboa. Ministério da Educação. Direção-Geral da Educação. Disponível em: https://dge.mec.pt/sites/default/files/EEspecial/manual_de_apoio_a_pratica.pdfUNESCO (2022). Reaching out to all learners: a resource pack for supporting inclusion and equity in education. Geneva: UNESCO, IBE. Disponível em: http://www.ibe.unesco.org/en/news/reaching-out-all-learners-resource-pack-supporting-inclusion-and-equity-education


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 15-06-2023 (Quinta-feira) 17:00 - 20:30 3:30 Presencial
2 19-06-2023 (Segunda-feira) 17:00 - 20:30 3:30 Presencial
3 22-06-2023 (Quinta-feira) 17:00 - 20:30 3:30 Presencial
4 26-06-2023 (Segunda-feira) 17:00 - 20:30 3:30 Presencial
5 28-06-2023 (Quarta-feira) 17:00 - 20:30 3:30 Presencial
6 03-07-2023 (Segunda-feira) 17:00 - 20:30 3:30 Presencial
7 06-07-2023 (Quinta-feira) 17:00 - 21:00 4:00 Presencial

Ref. 12602/23 Concluída

Registo de acreditação: ACD01

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 14-06-2023

Fim: 14-06-2023

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária Ferreira Dias (Sala de Reuniões)

Formador

Ricardo Oliveira

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Escolas Novafoco

Objetivos

- Promover uma literacia digital e o combate à desinformação nas salas de aula e nas escolas. - Analisar e avaliar a literacia digital na escola e na sala de aula: orientações concretas para professores. - Incentivar o desenvolvimento de práticas que contribuam para a promoção da literacia digital dos professores e dos alunos. - Fornecer orientações para a criação de um ambiente de aprendizagem propício a ajudar os alunos a adquirir literacia digital e a desenvolver as competências necessárias para se tornarem resilientes à informação errada, à má informação e, em especial, à desinformação.

Conteúdos

1. Desinformação a) Clarificação concetual b) Plano de Ação contra a desinformação 2. Cultura das redes sociais e da partilha 3. Fenómeno “Fake News” 4. Competências de literacia no combate à desinformação 5. Ferramentas digitais para detetar e combater a desinformação 6. Orientações pedagógicas de promoção à literacia digital


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 14-06-2023 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial

Ref. 134G5/23 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115653/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 09-06-2023

Fim: 14-07-2023

Regime: e-learning

Local: Online

Formador

Ana de Lurdes Videira Sérgio

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e grupo de recrutamento 360

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e grupo de recrutamento 360. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Escolas Novafoco

Enquadramento

O enquadramento legal da educação inclusiva e as orientações sobre a recuperação das aprendizagens constituem um enorme desafio para novas práticas inclusivas em sala de aula, bem como novas metodologias que promovam as aprendizagens de todos os alunos. Assim, há que criar ambientes seguros e estimulantes nas escolas para que o diálogo, a reflexão e a partilha desbravem o caminho e orientem todos os agentes educativos para as mudanças a realizar. Esta ação de formação procura contribuir para uma reflexão crítica sobre os desafios da diversidade, bem como apoiar a operacionalização de práticas pedagógicas ajustadas para que os alunos sejam melhores aprendentes e o professor melhor ensinante, definindo com maior acuidade as ações bem como as evidências a identificar em contexto de sala de aula. A presente ação insere-se no processo de concretização do Projeto Educação Inclusiva 21-23 e do plano integrado para a recuperação das aprendizagens dos alunos do ensino básico e secundário, Plano 21|23 Escola+.

Objetivos

Explorar os documentos legislativos (DL n.º 54/2018 e 55/2018, PASEO, Aprend. Essenciais) e de apoio à prática letiva de forma integrada, identificando implicações para a organização de práticas pedagógicas mais inclusivas Consolidar o conhecimento sobre os modelos de enquadramento à operacionalização da educação inclusiva nas suas características essenciais Planear com intencionalidade estratégica, organizando a dinâmica pedagógica, conciliando as aprendizagens a desenvolver e as características de todos alunos (Desenho Universal para a Aprendizagem) Aprofundar o conhecimento sobre metodologias e estratégias pedagógicas inclusivas e inovadoras Consolidar a implementação do ciclo: Avaliar–Planear–Agir– Rever para a inclusão Promover a avaliação como parte integrante da gestão inclusiva do currículo e instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens Reforçar competências de trabalho colaborativo, reflexivo e de resolução de problemas entre os profissionais

Conteúdos

Módulo 1 - Impacto das orientações de política educativa nas práticas pedagógicas • Exploração de documentos legislativos (DL n.º 54/2018, DL n.º 55/2018, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória e Aprendizagens Essenciais) de apoio à prática letiva de forma integrada, destacando-se a reflexão e a análise de práticas sobre: o os valores e princípios de base humanista, onde o aluno assume a centralidade da ação; o a gestão inclusiva, integrada, flexível e articulada do currículo; o o recurso a modelos de intervenção e modelos pedagógicos de resposta à diversidade e de promoção de uma educação de qualidade para todos os alunos; o a valorização da avaliação como parte integrante da gestão do currículo e instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens; o a voz dos alunos e das suas famílias, aumentando os seus níveis de participação. Módulo 2 - Ambientes educativos inclusivos - opções metodológicas • Práticas de ensino e intervenção diferenciadas, em função do perfil de competências dos alunos. • Estratégias de antecipação da diversidade em sala de aula, com recurso a ambientes de aprendizagem flexíveis e centrados no aluno (Desenho Universal para a Aprendizagem). Módulo 3 – Gerir a diversidade em sala de aula • Gestão da diversidade em sala de aula atendendo à participação e aprendizagem efetivas de todos os alunos – partilha de práticas. • Mecanismos de planeamento e gestão curricular com caráter intencional e estratégico, que conciliem as aprendizagens a desenvolver e as características de todos alunos. Módulo 4 – Avaliação como processo regulador do ensino e da aprendizagem • Caráter contínuo e sistemático da avaliação, ao serviço das aprendizagens, enquanto processo regulador do ensino e das aprendizagens. • Planificação intencional da avaliação formativa tendo como objetivos melhorar os resultados das aprendizagens e ajustar o processo de ensino. • O feedback como uma das dimensões indispensáveis à aplicação prática da avaliação formativa na sala de aula.

Metodologias

Nesta formação, em regime de frequência e-learning, serão abordados os conteúdos recorrendo a metodologias ativas de ensino e de aprendizagem. Será privilegiado o trabalho em pequeno e grande grupo com momentos de reflexão e de discussão restrita e alargada. Nas sessões, devem ser definidos tempos de partilha e de reflexão em torno das experiências e das práticas dos formandos, devendo o formador ter um papel ativo na ligação das práticas às políticas educativas de inclusão. Os docentes devem ser desafiados à revisão das suas práticas pedagógicas de acordo com os referenciais normativos em vigor. Elaboração de trabalho/reflexão final individual em função dos interesses e preferências dos formandos.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado pelos formandos.

Bibliografia

DGE (2018), Para uma educação inclusiva: Manual de Apoio à Prática Disponível em https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/EEspecial/manual_de_apoio_a_pratica.pdf Acesso 02/02/2022Cosme, A., Lima L., Ferreira D., Ferreira N., Metodologias, métodos e situações de aprendizagem: propostas e estratégias de ação : ensino básico, ensino secundário,1ª ed. - Porto: Porto Editora, 2021.European Agency for Special Needs and Inclusive Education (2018), Key Actions for Raising Achievement, Guidance for Teachers and Leaders Disponível em https://www.european-agency.org/sites/default/files/Key%20Actions%20for%20Raising%20Achievement.pdf Acesso 02/02/2022Fernandes, D. (2021). Para uma Fundamentação e Melhoria das Práticas de Avaliação Pedagógica no Âmbito do Projeto MAIA, Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Acesso 02/02/2022UNESCO (2022). REACHING OUT TO ALL LEARNERS: a resource pack for supporting inclusion and equity in education. Geneva: UNESCO – IBE. Disponível em: http://www.ibe.unesco.org/en/news/reaching-out-all-learners-resource-pack-supporting-inclusion-and-equity-education.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 09-06-2023 (Sexta-feira) 18:45 - 21:55 3:10 Online síncrona
2 13-06-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:55 3:10 Online síncrona
3 16-06-2023 (Sexta-feira) 18:45 - 21:55 3:10 Online síncrona
4 23-06-2023 (Sexta-feira) 18:45 - 21:55 3:10 Online síncrona
5 30-06-2023 (Sexta-feira) 18:45 - 21:55 3:10 Online síncrona
6 03-07-2023 (Segunda-feira) 18:45 - 21:55 3:10 Online síncrona

Ref. 137B2/23 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116863/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 05-06-2023

Fim: 19-07-2023

Regime: b-learning

Local: Salas de formação do Centro de Formação Novafoco

Formador

Maria de Lurdes Graça Caetano Silva

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores da Comissão Europeia (doravante DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 1) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se, assim, criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 1 (A1/A2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (B1/B2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes na utilização significativa de ambientes e ferramentas digitais e definição de estratégias diversificadas de integração destes em contexto educativo; - capacitar os docentes para a implementação de atividades promotoras da aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos.

Conteúdos

1. Documentos enquadradores das políticas educativas atuais associados ao Plano nacional de Transição Digital. 2. Envolvimento profissional: Exploração de opções digitais para colaboração e comunicação institucional e melhoria da prática profissional. 3. Recursos Digitais: Exploração, seleção e adequação de RED ao contexto de aprendizagem. Utilização de RED interativos. 4. Ensino e Aprendizagem: Exploração de estratégias de ensino e de aprendizagem digital. Integração significativa de RED na melhoria de atividades de ensino e aprendizagem. 5. Avaliação das aprendizagens: Exploração de estratégias de avaliação digital. Melhoria das abordagens de avaliação através de soluções digitais. 6. CD dos Alunos: Exploração de estratégias de promoção e uso pedagógico de tecnologias digitais. Utilização de ferramentas e estratégias para suporte ao desenho e implementação de atividades de promoção da CD dos alunos. 7. Planificação de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htmComissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=ENLucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora.Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdfMinistério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 05-06-2023 (Segunda-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Presencial
2 07-06-2023 (Quarta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
3 14-06-2023 (Quarta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
4 21-06-2023 (Quarta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Presencial
5 28-06-2023 (Quarta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
6 05-07-2023 (Quarta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
7 10-07-2023 (Segunda-feira) 21:45 - 22:15 0:30 Presencial
8 19-07-2023 (Quarta-feira) 21:45 - 22:15 0:30 Online síncrona

Ref. 139C2/23 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116864/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 29-05-2023

Fim: 10-07-2023

Regime: b-learning

Local: Salas de formação do Centro de Formação Novafoco

Formador

Ana Isabel Martins Tomás dos Anjos Sequeira Costa

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

- Documentos de enquadramento das políticas educativas. - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htmComissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=ENLucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA EditoraLicht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdfMinistério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 29-05-2023 (Segunda-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Presencial
2 05-06-2023 (Segunda-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
3 12-06-2023 (Segunda-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
4 19-06-2023 (Segunda-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
5 26-06-2023 (Segunda-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Presencial
6 28-06-2023 (Quarta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
7 03-07-2023 (Segunda-feira) 18:45 - 22:15 3:30 Online síncrona
8 10-07-2023 (Segunda-feira) 18:45 - 22:15 3:30 Presencial

Ref. 13501 Concluída

Registo de acreditação: ACD06

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 27-05-2023

Fim: 27-05-2023

Regime: Presencial

Local: Manhã: Centro Lúdico de Massamá; Tarde: Real Sport Clube de

Formador

Joaquim António Mendes Trovão

Destinatários

Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Escolas Novafoco e Câmara Municipal de Sintra

Enquadramento

Proporcionar dinâmicas inovadoras que facilitem, aos docentes, momentos reflexivos e práticos relativos ao Referencial para a Educação Ambiental e para a Sustentabilidade, aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável nºs 4, 7, 11, 12 e 13 e como promover a aquisição de competências sócio emocionais em ambientes educativos inovadores.

Objetivos

• Sensibilizar para a pertinência da educação ambiental e para a sustentabilidade, promovendo ações sobre a importância das fontes de energias alternativas e sustentáveis. • Cooperar com parceiros, numa comunidade de partilha de práticas pedagógicas. • Participar em práticas sustentáveis e amigas do ambiente.

Conteúdos

O Sintra Edu Green Steam, pretende assumir-se como um programa de vertente pedagógica, mobilizador de práticas educativas promotoras da diminuição da pegada ecológica, realizando trabalhos de projeto que deem origem a produtos inovadores, assentes numa cultura da sustentabilidade do planeta. Ao longo do ano, os professores envolvidos irão construir, com os seus alunos, um veículo movido a energia solar cuja eficácia irá ser posta à prova numa demonstração conjunta. Em simultâneo, diferentes grupos de alunos, irão desenvolver um produto tecnológico que irá ser exibido à comunidade educativa. Esta demonstração e mostra de produtos acontecerá, em simultâneo, em dia e local próprio, será um momento de partilha comum, bem como de formação para os intervenientes, uma vez que se pretendem realizar um seminário temático, workshops educativos e partilha de práticas educativas. O projeto, pretende envolver todos os AE do Concelho de Sintra com a dinamização de ações de sensibilização, de formação e de partilha, com os docentes do Concelho. Conta com parceiros de instituições públicas e privadas, especialistas na temática ambiental e sustentabilidade energética, que possam ser uma mais-valia para a concretização dos objetivos propostos.

Metodologias

Palestra, workshop práticas pedagógicas, exposição de produtos tecnológicos, corrida de veículos solares.

Bibliografia

Link para consulta do projeto: https://view.genial.ly/636ff36e839aab0012de6ea5/presentation-apresenta-sintra-edugreen-tech


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 27-05-2023 (Sábado) 10:00 - 16:00 6:00 Presencial

Ref. 137B1/23 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116863/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 25-05-2023

Fim: 13-07-2023

Regime: b-learning

Local: Salas de formação do Centro de Formação Novafoco

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores da Comissão Europeia (doravante DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 1) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se, assim, criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 1 (A1/A2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (B1/B2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes na utilização significativa de ambientes e ferramentas digitais e definição de estratégias diversificadas de integração destes em contexto educativo; - capacitar os docentes para a implementação de atividades promotoras da aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos.

Conteúdos

1. Documentos enquadradores das políticas educativas atuais associados ao Plano nacional de Transição Digital. 2. Envolvimento profissional: Exploração de opções digitais para colaboração e comunicação institucional e melhoria da prática profissional. 3. Recursos Digitais: Exploração, seleção e adequação de RED ao contexto de aprendizagem. Utilização de RED interativos. 4. Ensino e Aprendizagem: Exploração de estratégias de ensino e de aprendizagem digital. Integração significativa de RED na melhoria de atividades de ensino e aprendizagem. 5. Avaliação das aprendizagens: Exploração de estratégias de avaliação digital. Melhoria das abordagens de avaliação através de soluções digitais. 6. CD dos Alunos: Exploração de estratégias de promoção e uso pedagógico de tecnologias digitais. Utilização de ferramentas e estratégias para suporte ao desenho e implementação de atividades de promoção da CD dos alunos. 7. Planificação de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htmComissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=ENLucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora.Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdfMinistério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME



Ref. 138D1/23 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116862/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 25-05-2023

Fim: 13-07-2023

Regime: b-learning

Local: Salas de formação do Centro de Formação Novafoco

Formador

Miguel Ângelo Carromeu

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as competências digitais dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 3) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Pretende-se desenvolver com os docentes de nível 3 (C1/C2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e de processos que lhes permita potenciar as suas competências digitais na promoção de estratégias e ações inovadoras na comunidade educativa. São objetivos específicos: - formular estratégias pedagógicas inovadoras e promotoras das CD dos docentes e alunos; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - promover o desenvolvimento de ações que contribuam para os Plano de Ação para o Desenvolvimento Digital das suas escolas; - promover e estimular a reflexão, a partilha e a utilização crítica das tecnologias digitais em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1 e 2. - Exploração de documentos de enquadramento das políticas educativas. - Discussão, renovação e inovação na prática profissional. - Reflexão em torno de conceitos relacionados com escolas, professores e alunos digitalmente competentes. - Utilização das tecnologias digitais na colaboração e inovação pedagógica ao serviço da comunidade educativa. - Estratégias e metodologias relacionadas com o desenvolvimento curricular através de ambientes e ferramentas digitais. - Estratégias digitais de caráter científico-pedagógico promotoras do desenvolvimento profissional dos docentes. - Planeamento de atividades didático-pedagógicas promotoras do desenvolvimento da competência digital dos alunos. - Conceção de Planos de Ação para o Desenvolvimento Digital: conceitos, metodologias de desenvolvimento, implementação, monitorização, avaliação.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htmComissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=ENEU Science Hub (2018). Self-reflection tool for digitally capable schools (SELFIE). Disponível em: https://ec.europa.eu/jrc/en/digcomporg/selfie-toolLucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora.Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf



Ref. 139C1/23 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116864/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 25-05-2023

Fim: 13-07-2023

Regime: b-learning

Local: Salas de formação do Centro de Formação Novafoco

Formador

Marco Ivo Brandão de Sousa Marques Lobato

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

- Documentos de enquadramento das políticas educativas. - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htmComissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=ENLucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA EditoraLicht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdfMinistério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME



Ref. 134G2/23 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115653/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 24-05-2023

Fim: 12-07-2023

Regime: e-learning

Local: Online

Formador

Cláudia Maria Rosa da Fonseca Manata do Outeiro

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e grupo de recrutamento 360

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e grupo de recrutamento 360. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Escolas Novafoco

Enquadramento

O enquadramento legal da educação inclusiva e as orientações sobre a recuperação das aprendizagens constituem um enorme desafio para novas práticas inclusivas em sala de aula, bem como novas metodologias que promovam as aprendizagens de todos os alunos. Assim, há que criar ambientes seguros e estimulantes nas escolas para que o diálogo, a reflexão e a partilha desbravem o caminho e orientem todos os agentes educativos para as mudanças a realizar. Esta ação de formação procura contribuir para uma reflexão crítica sobre os desafios da diversidade, bem como apoiar a operacionalização de práticas pedagógicas ajustadas para que os alunos sejam melhores aprendentes e o professor melhor ensinante, definindo com maior acuidade as ações bem como as evidências a identificar em contexto de sala de aula. A presente ação insere-se no processo de concretização do Projeto Educação Inclusiva 21-23 e do plano integrado para a recuperação das aprendizagens dos alunos do ensino básico e secundário, Plano 21|23 Escola+.

Objetivos

Explorar os documentos legislativos (DL n.º 54/2018 e 55/2018, PASEO, Aprend. Essenciais) e de apoio à prática letiva de forma integrada, identificando implicações para a organização de práticas pedagógicas mais inclusivas Consolidar o conhecimento sobre os modelos de enquadramento à operacionalização da educação inclusiva nas suas características essenciais Planear com intencionalidade estratégica, organizando a dinâmica pedagógica, conciliando as aprendizagens a desenvolver e as características de todos alunos (Desenho Universal para a Aprendizagem) Aprofundar o conhecimento sobre metodologias e estratégias pedagógicas inclusivas e inovadoras Consolidar a implementação do ciclo: Avaliar–Planear–Agir– Rever para a inclusão Promover a avaliação como parte integrante da gestão inclusiva do currículo e instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens Reforçar competências de trabalho colaborativo, reflexivo e de resolução de problemas entre os profissionais

Conteúdos

Módulo 1 - Impacto das orientações de política educativa nas práticas pedagógicas • Exploração de documentos legislativos (DL n.º 54/2018, DL n.º 55/2018, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória e Aprendizagens Essenciais) de apoio à prática letiva de forma integrada, destacando-se a reflexão e a análise de práticas sobre: o os valores e princípios de base humanista, onde o aluno assume a centralidade da ação; o a gestão inclusiva, integrada, flexível e articulada do currículo; o o recurso a modelos de intervenção e modelos pedagógicos de resposta à diversidade e de promoção de uma educação de qualidade para todos os alunos; o a valorização da avaliação como parte integrante da gestão do currículo e instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens; o a voz dos alunos e das suas famílias, aumentando os seus níveis de participação. Módulo 2 - Ambientes educativos inclusivos - opções metodológicas • Práticas de ensino e intervenção diferenciadas, em função do perfil de competências dos alunos. • Estratégias de antecipação da diversidade em sala de aula, com recurso a ambientes de aprendizagem flexíveis e centrados no aluno (Desenho Universal para a Aprendizagem). Módulo 3 – Gerir a diversidade em sala de aula • Gestão da diversidade em sala de aula atendendo à participação e aprendizagem efetivas de todos os alunos – partilha de práticas. • Mecanismos de planeamento e gestão curricular com caráter intencional e estratégico, que conciliem as aprendizagens a desenvolver e as características de todos alunos. Módulo 4 – Avaliação como processo regulador do ensino e da aprendizagem • Caráter contínuo e sistemático da avaliação, ao serviço das aprendizagens, enquanto processo regulador do ensino e das aprendizagens. • Planificação intencional da avaliação formativa tendo como objetivos melhorar os resultados das aprendizagens e ajustar o processo de ensino. • O feedback como uma das dimensões indispensáveis à aplicação prática da avaliação formativa na sala de aula.

Metodologias

Nesta formação, em regime de frequência e-learning, serão abordados os conteúdos recorrendo a metodologias ativas de ensino e de aprendizagem. Será privilegiado o trabalho em pequeno e grande grupo com momentos de reflexão e de discussão restrita e alargada. Nas sessões, devem ser definidos tempos de partilha e de reflexão em torno das experiências e das práticas dos formandos, devendo o formador ter um papel ativo na ligação das práticas às políticas educativas de inclusão. Os docentes devem ser desafiados à revisão das suas práticas pedagógicas de acordo com os referenciais normativos em vigor. Elaboração de trabalho/reflexão final individual em função dos interesses e preferências dos formandos.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado pelos formandos.

Bibliografia

DGE (2018), Para uma educação inclusiva: Manual de Apoio à Prática Disponível em https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/EEspecial/manual_de_apoio_a_pratica.pdf Acesso 02/02/2022Cosme, A., Lima L., Ferreira D., Ferreira N., Metodologias, métodos e situações de aprendizagem: propostas e estratégias de ação : ensino básico, ensino secundário,1ª ed. - Porto: Porto Editora, 2021.European Agency for Special Needs and Inclusive Education (2018), Key Actions for Raising Achievement, Guidance for Teachers and Leaders Disponível em https://www.european-agency.org/sites/default/files/Key%20Actions%20for%20Raising%20Achievement.pdf Acesso 02/02/2022Fernandes, D. (2021). Para uma Fundamentação e Melhoria das Práticas de Avaliação Pedagógica no Âmbito do Projeto MAIA, Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Acesso 02/02/2022UNESCO (2022). REACHING OUT TO ALL LEARNERS: a resource pack for supporting inclusion and equity in education. Geneva: UNESCO – IBE. Disponível em: http://www.ibe.unesco.org/en/news/reaching-out-all-learners-resource-pack-supporting-inclusion-and-equity-education.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 24-05-2023 (Quarta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
2 31-05-2023 (Quarta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
3 07-06-2023 (Quarta-feira) 18:45 - 21:55 3:10 Online síncrona
4 14-06-2023 (Quarta-feira) 18:45 - 21:55 3:10 Online síncrona
5 21-06-2023 (Quarta-feira) 18:45 - 21:55 3:10 Online síncrona
6 28-06-2023 (Quarta-feira) 18:45 - 21:55 3:10 Online síncrona
7 05-07-2023 (Quarta-feira) 18:45 - 21:55 3:10 Online síncrona
8 12-07-2023 (Quarta-feira) 18:45 - 21:55 3:10 Online síncrona

Ref. 125L1/2023 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-119545/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 24-05-2023

Fim: 11-07-2023

Regime: e-learning

Local: Online

Formador

Ricardo Oliveira

Destinatários

Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico, Secundário e de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico, Secundário e de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Escolas Novafoco

Enquadramento

Avaliar não descura a exigência de conhecimentos ao nível das conceções pedagógicas, teorias de aprendizagem, técnicas e reflexões sobre o papel do professor, do aluno e dos recursos digitais. Atualmente, tem sido conferida à Escola a possibilidade de gerir o currículo dos ensinos básico e secundário, com autonomia e flexibilidade, de modo a alcançar as competências previstas no Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória. Com efeito, é essencial que a avaliação de competências requeira uma nova abordagem, na qual se devem integrar conhecimentos, capacidades e atitudes, contemplando transformações didáticas, desde o desenho curricular à transparência na avaliação, a qual deve ser visível e compreensível por todos os intervenientes.

Objetivos

• Analisar sobre os modos de avaliar atualmente na sala de aula e na escola. • Reconhecer a importância de avaliar para as aprendizagens. • Identificar as características inerentes às práticas de avaliação de aprendizagens. • Reconhecer a importância da transparência na avaliação. • Distinguir meios de instrumentos de avaliação. • Identificar potencialidades e limitações dos vários processos de avaliação, retirando destes as suas mais-valias. • Realizar tarefas autênticas com recurso ao digital. • Diversificar processos de avaliação com tecnologias digitais.

Conteúdos

Sessão 1 [3,5h] - Apresentação do formador e dos formandos. - Diagnóstico de necessidades e expetativas. - Apresentação da proposta de formação: objetivos, conteúdos, metodologia, calendarização e avaliação da ação. - Distinção concetual: meio de instrumento de avaliação. - Quadro concetual para as práticas de avaliação modelo PrACT (Praticabilidade, Consistência, Autenticidade e Transparência). - Critérios que contemplam a Dimensão da «Transparência» na avaliação: (i) Democratização; (ii) Envolvimento; (iii) Visibilidade; e (iv) Impacto. - A importância da transparência na avaliação. - Avaliação de aprendizagens. - Características dos meios de avaliação. - Levantamento dos meios e instrumentos de avaliação (conhecidos, aplicados, pretendidos). Sessão 2 [3h] - Mudanças provocadas pelas TIC no contexto da avaliação. - Meios e instrumentos de avaliação. - Potencialidades e limitações das tecnologias utilizadas (ex. apresentações digitais). - Características das tarefas autênticas. - Utilização das tecnologias para a criação de tarefas autênticas e/ou projetos digitais. Sessão 3 [3h] - As tecnologias digitais para a criação de processos de avaliação. - Potencialidades e limitações das tecnologias utilizadas (ex. portefólios digitais). - Utilização das tecnologias para a criação de tarefas autênticas e/ou projetos digitais. Sessão 4 [3h] - As tecnologias digitais para a criação de processos de avaliação. - Potencialidades e limitações das tecnologias utilizadas (ex. mapas mentais/concetuais). - Utilização das tecnologias para a criação de tarefas autênticas e/ou projetos digitais. Sessão 5 [3h] - As tecnologias digitais para a criação de processos de avaliação. - Potencialidades e limitações das tecnologias utilizadas (ex. sondagens). - Utilização das tecnologias para a criação de tarefas autênticas e/ou projetos digitais. Sessão 6 [3h] - As tecnologias digitais para a criação de processos de avaliação. - Potencialidades e limitações das tecnologias utilizadas (ex. feedback). - Utilização das tecnologias para a criação de tarefas autênticas e/ou projetos digitais. Sessão 7 [3h] - As tecnologias digitais para a criação de processos de avaliação. - Potencialidades e limitações das tecnologias utilizadas (ex. vídeo/questionários). - Utilização das tecnologias para a criação de tarefas autênticas e/ou projetos digitais. Sessão 8 [3,5h] - Apresentação das propostas de tarefas e projetos digitais desenvolvidos. - Balanço e avaliação final da ação de formação.

Metodologias

O presente curso de formação é composto por oito sessões síncronas, com momentos de natureza teórica, nomeadamente para o esclarecimento concetual, mas predominantemente prática. Nestas sessões pretende-se, essencialmente, fomentar a reflexão sobre as práticas avaliativas. Por outro lado, será aberto o leque de meios e instrumentos de avaliação com a utilização das tecnologias digitais. O contacto com inúmeras ferramentas digitais, onde se inclui a Web, exige que as sessões tenham uma prevalência dos momentos práticos face aos de natureza teórica que também servirão para conhecer, identificar e contextualizar alguns conceitos. Os docentes irão disponibilizar e partilhar os vários projetos criados, no decorrer das sessões, através da plataforma Moodle do Centro de Formação. Este espaço online, devidamente preparado, terá ainda locais próprios para partilha de documentos de apoio à formação, dicas/sugestões pedagógicas, projetos de práticas e fóruns de partilha/discussão de temas.

Avaliação

– Parâmetros de Avaliação: (i) Participação (15%) (ii) Atividades realizadas (70%) (iii) Reflexão crítica individual (15%) II – Escala de Classificação (quantitativa e qualitativa): - 1 a 4,9 valores – Insuficiente - 5 a 6,4 valores – Regular - 6,5 a 7,9 valores – Bom - 8 a 8,9 valores – Muito Bom - 9 a 10 valores – Excelente III – Condições para aprovação: (i) Frequência obrigatória: 2/3 das sessões online (sessões síncronas) (ii) Realização das atividades propostas (iii) Realização da reflexão crítica individual (iv) Avaliação igual ou superior a 5 (Regular)

Bibliografia

Amante, L., Oliveira, I., & Araújo. (2017). O Modelo PrACT: Um novo olhar sobre a conceção e desenvolvimento de práticas de avaliação alternativa digital. Oficina realizada no âmbito do V Seminário Web Currículo. PUC São PauloAmante, L., Oliveira, I., & Pereira, A. (2017). Cultura da Avaliação e Contextos Digitais de Aprendizagem: o Modelo PrACT. Revista Docência e Cibercultura, 1(1), 135-150.Barberà, E. (2016). Aportaciones de la tecnología a la e-Evaluación. Obtido em 10/ 2017, de RED - Revista de Educación a Distancia. Em linha: http://www.um.es/ead/red/50/barbera.pdfDepresbiteris, L. (2011). Recursos de avaliação: necessidade de diversificá-los. Em L. Depresbiteris, Avaliação da aprendizagem: casos comentados (pp. 47-61). Pinhais: Editora Melo.Estanqueiro, A. (2010). Boas Práticas na Educação - O Papel dos Professores. Lisboa: Editorial Presença.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 24-05-2023 (Quarta-feira) 18:45 - 22:15 3:30 Online síncrona
2 31-05-2023 (Quarta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
3 06-06-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
4 13-06-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
5 20-06-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
6 27-06-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
7 04-07-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
8 11-07-2023 (Terça-feira) 18:45 - 22:15 3:30 Online síncrona

Ref. 134G3/23 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115653/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 09-05-2023

Fim: 02-06-2023

Regime: e-learning

Local: Online

Formador

Ana de Lurdes Videira Sérgio

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e grupo de recrutamento 360

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e grupo de recrutamento 360. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Escolas Novafoco

Enquadramento

O enquadramento legal da educação inclusiva e as orientações sobre a recuperação das aprendizagens constituem um enorme desafio para novas práticas inclusivas em sala de aula, bem como novas metodologias que promovam as aprendizagens de todos os alunos. Assim, há que criar ambientes seguros e estimulantes nas escolas para que o diálogo, a reflexão e a partilha desbravem o caminho e orientem todos os agentes educativos para as mudanças a realizar. Esta ação de formação procura contribuir para uma reflexão crítica sobre os desafios da diversidade, bem como apoiar a operacionalização de práticas pedagógicas ajustadas para que os alunos sejam melhores aprendentes e o professor melhor ensinante, definindo com maior acuidade as ações bem como as evidências a identificar em contexto de sala de aula. A presente ação insere-se no processo de concretização do Projeto Educação Inclusiva 21-23 e do plano integrado para a recuperação das aprendizagens dos alunos do ensino básico e secundário, Plano 21|23 Escola+.

Objetivos

Explorar os documentos legislativos (DL n.º 54/2018 e 55/2018, PASEO, Aprend. Essenciais) e de apoio à prática letiva de forma integrada, identificando implicações para a organização de práticas pedagógicas mais inclusivas Consolidar o conhecimento sobre os modelos de enquadramento à operacionalização da educação inclusiva nas suas características essenciais Planear com intencionalidade estratégica, organizando a dinâmica pedagógica, conciliando as aprendizagens a desenvolver e as características de todos alunos (Desenho Universal para a Aprendizagem) Aprofundar o conhecimento sobre metodologias e estratégias pedagógicas inclusivas e inovadoras Consolidar a implementação do ciclo: Avaliar–Planear–Agir– Rever para a inclusão Promover a avaliação como parte integrante da gestão inclusiva do currículo e instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens Reforçar competências de trabalho colaborativo, reflexivo e de resolução de problemas entre os profissionais

Conteúdos

Módulo 1 - Impacto das orientações de política educativa nas práticas pedagógicas • Exploração de documentos legislativos (DL n.º 54/2018, DL n.º 55/2018, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória e Aprendizagens Essenciais) de apoio à prática letiva de forma integrada, destacando-se a reflexão e a análise de práticas sobre: o os valores e princípios de base humanista, onde o aluno assume a centralidade da ação; o a gestão inclusiva, integrada, flexível e articulada do currículo; o o recurso a modelos de intervenção e modelos pedagógicos de resposta à diversidade e de promoção de uma educação de qualidade para todos os alunos; o a valorização da avaliação como parte integrante da gestão do currículo e instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens; o a voz dos alunos e das suas famílias, aumentando os seus níveis de participação. Módulo 2 - Ambientes educativos inclusivos - opções metodológicas • Práticas de ensino e intervenção diferenciadas, em função do perfil de competências dos alunos. • Estratégias de antecipação da diversidade em sala de aula, com recurso a ambientes de aprendizagem flexíveis e centrados no aluno (Desenho Universal para a Aprendizagem). Módulo 3 – Gerir a diversidade em sala de aula • Gestão da diversidade em sala de aula atendendo à participação e aprendizagem efetivas de todos os alunos – partilha de práticas. • Mecanismos de planeamento e gestão curricular com caráter intencional e estratégico, que conciliem as aprendizagens a desenvolver e as características de todos alunos. Módulo 4 – Avaliação como processo regulador do ensino e da aprendizagem • Caráter contínuo e sistemático da avaliação, ao serviço das aprendizagens, enquanto processo regulador do ensino e das aprendizagens. • Planificação intencional da avaliação formativa tendo como objetivos melhorar os resultados das aprendizagens e ajustar o processo de ensino. • O feedback como uma das dimensões indispensáveis à aplicação prática da avaliação formativa na sala de aula.

Metodologias

Nesta formação, em regime de frequência e-learning, serão abordados os conteúdos recorrendo a metodologias ativas de ensino e de aprendizagem. Será privilegiado o trabalho em pequeno e grande grupo com momentos de reflexão e de discussão restrita e alargada. Nas sessões, devem ser definidos tempos de partilha e de reflexão em torno das experiências e das práticas dos formandos, devendo o formador ter um papel ativo na ligação das práticas às políticas educativas de inclusão. Os docentes devem ser desafiados à revisão das suas práticas pedagógicas de acordo com os referenciais normativos em vigor. Elaboração de trabalho/reflexão final individual em função dos interesses e preferências dos formandos.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado pelos formandos.

Bibliografia

DGE (2018), Para uma educação inclusiva: Manual de Apoio à Prática Disponível em https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/EEspecial/manual_de_apoio_a_pratica.pdf Acesso 02/02/2022Cosme, A., Lima L., Ferreira D., Ferreira N., Metodologias, métodos e situações de aprendizagem: propostas e estratégias de ação : ensino básico, ensino secundário,1ª ed. - Porto: Porto Editora, 2021.European Agency for Special Needs and Inclusive Education (2018), Key Actions for Raising Achievement, Guidance for Teachers and Leaders Disponível em https://www.european-agency.org/sites/default/files/Key%20Actions%20for%20Raising%20Achievement.pdf Acesso 02/02/2022Fernandes, D. (2021). Para uma Fundamentação e Melhoria das Práticas de Avaliação Pedagógica no Âmbito do Projeto MAIA, Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Acesso 02/02/2022UNESCO (2022). REACHING OUT TO ALL LEARNERS: a resource pack for supporting inclusion and equity in education. Geneva: UNESCO – IBE. Disponível em: http://www.ibe.unesco.org/en/news/reaching-out-all-learners-resource-pack-supporting-inclusion-and-equity-education.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 09-05-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
2 12-05-2023 (Sexta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
3 16-05-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:55 3:10 Online síncrona
4 19-05-2023 (Sexta-feira) 18:45 - 21:55 3:10 Online síncrona
5 22-05-2023 (Segunda-feira) 18:45 - 21:55 3:10 Online síncrona
6 26-05-2023 (Sexta-feira) 18:45 - 21:55 3:10 Online síncrona
7 30-05-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:55 3:10 Online síncrona
8 02-06-2023 (Sexta-feira) 18:45 - 21:55 3:10 Online síncrona

Ref. 133H1/23 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115654/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 09-05-2023

Fim: 13-06-2023

Regime: b-learning

Local: Escola Secundária Padre Alberto Neto – Queluz

Formador

Carlota Alexandra da Conceição Brazileiro

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário, de Educação Especial e do grupo de recrutamento 360

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário, de Educação Especial e do grupo de recrutamento 360. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Escolas Novafoco

Enquadramento

O enquadramento legal da educação inclusiva e as orientações sobre a recuperação das aprendizagens constituem um enorme desafio para novas/os práticas pedagógicas, interfaces comunicativas, fundamentos humanistas em que todos são parte do sistema e desenvolvem um diálogo igualitário, um pensamento e uma consciência próprios. Assim, há que criar ambientes seguros e estimulantes nas escolas para que o diálogo, a reflexão e a partilha orientem os agentes educativos para a inclusão. Esta formação procura apoiar a operacionalização de práticas pedagógicas inclusivas para que os alunos sejam melhores aprendentes e o professor melhor ensinante, definindo com maior acuidade as ações bem como as evidências a identificar em contexto de sala de aula. A presente ação insere-se no processo de concretização do Projeto Educação Inclusiva 21-23 e do plano integrado para a recuperação das aprendizagens dos alunos do ensino básico e secundário, Plano 21|23 Escola+.

Objetivos

• Explorar os documentos legislativos (Decreto- Lei n.º 54/2018, Decreto-Lei n.º 55/2018, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Aprendizagens Essenciais) e de apoio à prática letiva de forma integrada, identificando implicações para a organização de práticas mais inclusivas • Aplicar colaborativamente os princípios subjacentes ao desenho universal para a aprendizagem e à abordagem multinível • Planear com intencionalidade estratégica, organizando a dinâmica pedagógica, conciliando as aprendizagens a desenvolver e a diversidade de todos alunos • Conceber instrumentos de suporte à recolha de informação que contribuam para a tomada de decisão. • Consolidar a implementação do ciclo: Avaliar – Planear – Agir - Rever • Produzir e aplicar em contexto de sala de aula instrumentos de avaliação e planificação das aprendizagens • Partilhar experiências facilitadoras do um processo ensino-aprendizagem inclusivo • Explorar colaborativamente práticas educativas inovadoras

Conteúdos

Módulo 1. Impacto das orientações de política educativa nas práticas pedagógicas • Exploração integrada dos documentos de política educativa (Decreto- Lei n.º 54/2018, Decreto-Lei n.º 55/2018, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Aprendizagens Essenciais) Módulo 2. Ambientes educativos inclusivos - opções metodológicas • Práticas de ensino e intervenção diferenciadas, em função do perfil de competências dos alunos • Estratégias de antecipação da diversidade em sala de aula, com recurso a ambientes de aprendizagem flexíveis e centrados no aluno (DUA) Módulo 3. Valorização da diversidade em sala de aula – criação e partilha de recursos • Mecanismos de planeamento e gestão curricular com caráter intencional e estratégico • O que ensinar e porquê, como, quando, com que prioridades, com que meios, com que organização e com que resultados: exercícios práticos Módulo 4. Avaliação formativa enquanto processo regulador do ensino e da aprendizagem • Planificação intencional da avaliação formativa tendo como objetivos melhorar os resultados das aprendizagens e ajustar o processo de ensino

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado pelos formandos.

Bibliografia

DGE (2018), Para uma educação inclusiva: Manual de Apoio à Prática https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/EEspecial/manual_de_apoio_a_pratica.pdf Acesso 02/02/2022Cosme, A., Lima L., Ferreira D., Ferreira N. (2021), Metodologias, métodos e situações de aprendizagem: propostas e estratégias de ação : ensino básico, ensino secundário,1ª ed. - Porto: Porto Editora.European Agency for Special Needs and Inclusive Education (2018), Key Actions for Raising Achievement, Guidance for Teachers and Leaders • Disponível em https://www.european-agency.org/sites/default/files/Key%20Actions%20for%20Raising%20Achievement.pdf Acesso 02/02/2022Fernandes, D. (2021). Para uma Fundamentação e Melhoria das Práticas de Avaliação Pedagógica no Âmbito do Projeto MAIA, Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Acesso 02/02/2022UNESCO (2022). REACHING OUT TO ALL LEARNERS: a resource pack for supporting inclusion and equity in education. Geneva: UNESCO – IBE. Disponível em: http://www.ibe.unesco.org/en/news/reaching-out-all-learners-resource-pack-supporting-inclusion-and-equity-education Acesso em 02/02/2022


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 09-05-2023 (Terça-feira) 18:45 - 22:05 3:20 Presencial
2 11-05-2023 (Quinta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
3 16-05-2023 (Terça-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
4 19-05-2023 (Sexta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
5 26-05-2023 (Sexta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
6 02-06-2023 (Sexta-feira) 18:45 - 21:45 3:00 Online síncrona
7 06-06-2023 (Terça-feira) 18:45 - 22:05 3:20 Presencial
8 13-06-2023 (Terça-feira) 18:45 - 22:05 3:20 Presencial

Ref. 133H4/23 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115654/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 08-05-2023

Fim: 29-06-2023

Regime: b-learning

Local: Sala do Centro de Formação

Formador

Ana de Lurdes Videira Sérgio

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário, de Educação Especial e do grupo de recrutamento 360

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário, de Educação Especial e do g